17/12/2015

#BrazilianStorm na WSL: 2015 foi o ano e os números falam por si

Adriano de Souza, campeão do World Tour em 2015;

Ítalo Ferreira, melhor rookie do World Tour 2015;

Caio Ibelli, primeiro do ranking das World Qualifying Series;

Gabriel Medina, vencedor da Vans Triple Crown of Surfing e vice-campeão do Billabong Pipeline Masters pela segunda vez consecutiva;

Dois surfistas no Top 3 do World Tour (Adriano de Souza e Gabriel Medina), três no Top 5 (Gabriel Medina);

10 surfistas qualificados para o World Tour masculino de 2016 (Adriano de Souza, Gabriel Medina, Filipe Toledo, Ítalo Ferreira, Wiggolly Dantas, Jadson André, Caio Ibelli, Miguel Pupo, Alejo Muniz e Alex Ribeiro;

Primeiro Pipeline Master (Adriano de Souza);

Vitória em 6 de 11 etapas do World Tour;

Vitória em 4 de 9 etapas QS10.000 das World Qualifying Series.

Única nota negativa do ano é a da saída de Silvana Lima do World Women's Tour (não conseguiu a manutenção), deixando o circuito mundial feminino vazio de brasileiras em 2016.

É BRASIL!

Foto: WSL

3 comentários:

Junior Pereira disse...

Diogo, como apreciador do seu blog gostaria a hora q vc tivesse a oportunidade de ler o texto sobre o título mundial do adriano escrito pelo jornalista brasileiri Tulio Brandão no site waves.com.br
Ali está na minha opinião ate agora o melhor relato sobre a conquista desse guerreiro, pouco compreendido pelo restante do tour da wsl.
Como portugues tenho certeza q ficaste feliz pelo mineiro e a mençao que adriano fez ao gigante Tiago Pires durante a premiaçao em pipe.
É isso, como surfista, por incrível q pareça fiquei mais emocionado com este título do adriano do q o do gabriel, por tudo aquilo q a minha geração que é desde a década de 90 viu em todo o circuito mundial.
Um abraço e continue colocando seu ponto de vista de maneira correta e responsável, mesmo para aqueles que discordam de alguns posts, como eu!
Um feliz Natal e boas ondas para todos em 2016.

Junior Pereira disse...

Diogo, como apreciador do seu blog gostaria a hora q vc tivesse a oportunidade de ler o texto sobre o título mundial do adriano escrito pelo jornalista brasileiri Tulio Brandão no site waves.com.br
Ali está na minha opinião ate agora o melhor relato sobre a conquista desse guerreiro, pouco compreendido pelo restante do tour da wsl.
Como portugues tenho certeza q ficaste feliz pelo mineiro e a mençao que adriano fez ao gigante Tiago Pires durante a premiaçao em pipe.
É isso, como surfista, por incrível q pareça fiquei mais emocionado com este título do adriano do q o do gabriel, por tudo aquilo q a minha geração que é desde a década de 90 viu em todo o circuito mundial.
Um abraço e continue colocando seu ponto de vista de maneira correta e responsável, mesmo para aqueles que discordam de alguns posts, como eu!
Um feliz Natal e boas ondas para todos em 2016.

Diogo Alpendre disse...

Júnior,

Obrigado pela sugestão, vou ler esse post assim que tiver tempo.
De qualquer forma, sim, é verdade, fiquei feliz pelo Adriano ter ganho o título, apesar de gostar mais do Mick Fanning. O Mineiro é um dos melhores exemplos que conheço de como o trabalho, a dedicação e a humildade, conquistados a preço, podem levar ao sucesso. E eu não acredito na conversa de que ele não tem talento - tem e muito. Acho que não é por acaso que o Adriano e o Tiago são tão amigos, são da mesma fibra, do mesmo material. Foi a mesma resiliência que levou o português ao Tour que levou o brasileiro ao título. Maravilhoso de ver e só posso imaginar como vocês, essa geração de que falas, se deve sentir. Parabéns!

Obrigado pelo encorajamento, cá estaremos para continuar a opinar e falar sobre o surf.

Um abraço forte, feliz natal, boas ondas!

Diogo aqui do blog