21/12/2015

As listas oficiais de 2016

Em breve numa Snapper Rocks perto de si.

2015 Top 22 CT:
1. Adriano de Souza (BRA)
2. Mick Fanning (AUS)
3. Gabriel Medina (BRA)
4. Filipe Toledo (BRA)
5. Owen Wright (AUS)
6. Julian Wilson (AUS)
7. Italo Ferreira (BRA)
8. Jeremy Flores (FRA)
9. Kelly Slater (USA)
10. Nat Young (USA)
11. Josh Kerr (AUS)
12. Bede Durbidge (AUS)
13. Joel Parkinson (AUS)
14. John John Florence (HAW)
15. Wiggolly Dantas (BRA)
16. Taj Burrow (AUS)
17. Kai Otton (AUS)
18. Matt Wilkinson (AUS)
19. Adrian Buchan (AUS)
20. Keanu Asing (HAW)
21. Michel Bourez (PYF)
22. Jadson Andre (BRA)

2015 Top 10 QS (minus double qualifiers from CT):
• Caio Ibelli (BRA)
• Kolohe Andino (USA)
• Jack Freestone (AUS)
• Miguel Pupo (BRA)
• Alejo Muniz (BRA)
• Kanoa Igarashi (USA)
• Alex Ribeiro (BRA)
• Conner Coffin (USA)
• Davey Cathels (AUS)
• Ryan Callinan (AUS)

WSL Wildcards: Jordy Smith (ZAF) and Matt Banting (AUS)

2015 Top 10 CT:
1. Carissa Moore (HAW)
2. Courtney Conlogue (USA)
3. Sally Fitzgibbons (AUS)
4. Bianca Buitendag (ZAF)
5. Tyler Wright (AUS)
6. Lakey Peterson (USA)
7. Tatiana Weston-Webb (HAW)
8. Johanne Defay (FRA)
9. Nikki Van Dijk (AUS)
10. Malia Manuel (HAW)

2015 Top 6 QS (minus double qualifiers from the CT:
• Sage Erickson (USA)
• Chelsea Tuach (BRB)
• Keely Andrew (AUS)
• Alessa Quizon (HAW)
• Coco Ho (HAW)
• Laura Enever (AUS)

WSL Wildcard: Stephanie Gilmore (AUS)

Quero apenas chamar atenção para o facto de tanto a Stephanie Gilmore como o Jordy Smith, candidatos à vitória de qualquer evento (mais ainda no caso da australiana que ainda por cima é 6x campeã mundial), começarem o ano com um seeding muito baixo, o que vai garantir grandes disputas  e derrotas nas primeiras etapas até ao restabelecer dos seedings.

Jordy em acção. Foto: WSL/Cestari

17/12/2015

#BrazilianStorm na WSL: 2015 foi o ano e os números falam por si

Adriano de Souza, campeão do World Tour em 2015;

Ítalo Ferreira, melhor rookie do World Tour 2015;

Caio Ibelli, primeiro do ranking das World Qualifying Series;

Gabriel Medina, vencedor da Vans Triple Crown of Surfing e vice-campeão do Billabong Pipeline Masters pela segunda vez consecutiva;

Dois surfistas no Top 3 do World Tour (Adriano de Souza e Gabriel Medina), três no Top 5 (Gabriel Medina);

10 surfistas qualificados para o World Tour masculino de 2016 (Adriano de Souza, Gabriel Medina, Filipe Toledo, Ítalo Ferreira, Wiggolly Dantas, Jadson André, Caio Ibelli, Miguel Pupo, Alejo Muniz e Alex Ribeiro;

Primeiro Pipeline Master (Adriano de Souza);

Vitória em 6 de 11 etapas do World Tour;

Vitória em 4 de 9 etapas QS10.000 das World Qualifying Series.

Única nota negativa do ano é a da saída de Silvana Lima do World Women's Tour (não conseguiu a manutenção), deixando o circuito mundial feminino vazio de brasileiras em 2016.

É BRASIL!

Foto: WSL

Adriano "Mineiro" de Souza faz uma dobradinha: leva o título mundial e o Billabong Pipeline Masters



Quem não estiver feliz por ele (e com alguma pena do Mick...) não tem coração. E, já agora, como nota final, o Gabriel Medina faz a sua segunda final consecutiva em Pipeline... #VaiAdriano #GoMick #VaiMedina QUE ANO!

Mick Fanning a caminho da reforma? O rumor pode ter força

Caiu que nem uma bomba.

Há algum tempo que oiço e leio rumores que um ou vários surfistas do top 5 do World Tour dos últimos anos podem estar na iminência (tipo, já este ano) de anunciar a sua saída mas, em toda a minha ingenuidade, nunca pensei que um deles fosse o Fanning.

Honestamente, sempre achei que fosse um, dois ou todos dos seguintes: Kelly Slater, Joel Parkinson e Taj Burrow. Os projectos laterais e o aparente desinteresse validam a teoria no primeiro, o ano de merda (como consequência de ter decidido reformar-se?) a teoria no segundo e o nascimento da filha a teoria no terceiro (o Taj não me parece ser um tipo de andar pelo Mundo com a catraia ás costas). Simples. Só que depois aconteceu o ataque do tubarão. Aqui, começou a infiltrar-se no meu esquema a possibilidade de Mick ser um dos que se vai retirar. Mas ainda era remota.

Até esta manhã. A norte-americana Surfing Magazine atordoou o planeta do surf com esta notícia, dizendo que se o australiano igualar já este ano os quatro títulos do compatriota Mark Richards, Fanning pode pendurar as botas. Isto preocupa-me porque o Mick é um surfista do caraças, super difícil de derrotar, um bom modelo para os mais jovens e, sem dúvida, está ainda no auge da sua carreira. E é assim que se calhar se quer retirar, compreendo isso.

Outra coisa que me preocupa é a notícia ter vindo do quartel-general da Surfing. Seria de pensar que uma das revistas australianas (ou o Beach Grit...) conseguiria a notícia primeiro, mas não. A notícia vem da Surfing e isto preocupa-me porque é lá que Corey Wilson é fotógrafo residente. E quem é este tipo? Bom, é "o" fotógrafo da Rip Curl, marca que... patrocina Fanning. Wilson regista a esmagadora maioria das campanhas da marca (incluindo a recentemente re-lançada The Search), faz os catálogos, é quem acompanha os surfistas da marca em viagens para artigos de revistas e... é bom amigo do Gabriel Medina, Matt Wilkinson, Owen Wright e... Mick Fanning. Estão a topar o meu problema?

Eu quero que o Mick ganhe o quarto título mundial mas se isso significa que ele vai pendurar as botas, então #VaiAdriano.

Outra ideia, sugerida pelo Vinícius no Twitter, é a de que tudo isto podem ser jogos psicológicos. E, verdade seja dita, podem mesmo. Fechem os olhos e imaginem... A Rip Curl têm influência sobre o Corey Wilson e sabe que o Mick Fanning é bom amigo dele. Sabe também que o Wilson trabalhar na Surfing... E boom! Já está! Ou melhor... Fanning pede um favorzinho ao amigo e o amigo acede... Ou melhor ainda: o amigo tem iniciativa própria e arranca ele com os jogos psicológicos! Ou ainda melhor, todos trabalham em conjunto no objectivo de dar o 4º caneco ao australiano. Eu sei que pode parecer rebuscado mas se o Slater disse I Love You ao ouvido de Andy Irons antes de um heat decisivo entre ambos, tudo pode acontecer.

É esperar e esperar. #GoMick

Mick e dois ex-colegas do Tour, Beau Emerton e Taylor Knox, fotografados por Corey Wilson, num artigo de Agosto da Surfing Magazine.

O El Niño está mal-diposto e Pipeline irritou-se

Em pouco mais de duas semanas, a rainha do North Shore de Oahu mostrou que está de facto de mau-humor este Inverno. Dentes e garras de fora. Daquilo que se sabe (porque há sempre pequenos acidentes que não chegam às revistas e outros maiores que não são mediáticos) temos:

- o Evan Geiselman inconsciente;

- o Owen Wright com uma pequena hemorragia no cérebro que o forçou a retirar-se do Pipe Masters e da corrida ao título mundial;

- o Bede Durbidge com uma dupla fractura na pélvis durante um heat da já referida competição.

E ainda estamos em Dezembro! Em ano de El Niño! Vamos ter pelo menos mais 4 meses de ondas potentes no Havaí!

Acrescente-se ainda uma menção honrosa ao Mark Matthews que, na manhã do Peahi Challenge e depois de apanhar aquela que pode muito bem ser a maior onda apanhada na remada, basicamente destruiu o ombro, e temos um Inverno com contornos feios.

Sobre o episódio do Evan e Owen, deixem-me deixar-vos aqui este artigo da Stab Mag para o qual a revista australiana falou com um médico sobre estes casos e a eterna iminência do afogamento.

Cuidado convosco, malta.

O bodyboarder sul-africano Andre Botha no momento decisivo em que, provavelmente, salva a vida a Evan Geiselman. Foto: @evangeiselman 

16/12/2015

Stab Mag anuncia saída de Craig Anderson da Quiksilver

O rumor já andava a circular, tendo ganho ainda mais força depois da saída de Dane Reynolds ter saído da marca da onda e da montanha. Hoje, a Stab Mag, que a par do Beach Grit (que também já tinha dado um cheirinho desta possibilidade) parece ser quem mais se deleita com este tipo de notícia, dá o facto como consumado a partir do próximo 31 de Dezembro.

A revista australiana raramente se engana nestas coisas mas o que é facto é que ainda não houve nenhuma confirmação oficial, provas fotográficas (como rapidamente surgiram de Dane) e o surfista continua a aparecer no site da marca.

A Stab aponta como próxima etapa na carreira de Ando a mesma que aponta a Reynolds: uma possível marca própria em parceira com a dupla skater Dylan Rieder e Austyn Gillete. Este rumor é reforçado pelo patrocinador comum que Anderson, Rieder e Gillete têm, a marca de sapatos HUF Footwear. Dane surge como o amigo que todos querem ter e o mais velho do grupo. Conhecendo bem o perfil destes quatro indivíduos, sem dúvida parecidos entre si, confesso que gostaria de ver esta marca nascer...e há quem diga até que já tem nome: Destroyer. 

Seja como for, não haja dúvidas que Ando (e Dane...) merece um patrocinador principal digno do seu talento e estilo em cima da prancha (e há quem diga fora dela também). Fica por saber se, como diz o Beach Grit, foi Anderson que quis sair ou, por outro lado, foi a Quiksilver que o despediu, fruto das recentes dificuldades financeiras.

Fiquemos com atenção às cenas dos próximos capítulos desta matéria e, já agora, espreitem este vídeo da Monster Children que tem estes quatro estilososos como protagonistas. ... Lá vão eles, todos felizes, a caminho de uma viagem onde se conhecem melhor... A lançar as pedras da revolução da indústria...

10/12/2015

O Evan Geiselman ia morrendo em Pipe..mas o Andre Botha não deixou que isso acontecesse



Andre Botha talks about the Evan Geiselman rescue at Pipeline from STAB on Vimeo.

Quando há situações de perigo, não importo se somos surfistas ou bodyboarders, pretos ou roxos, heteros ou gays, europeus ou chineses, ricos ou pobres. Não há maior dádiva que a vida.

05/12/2015

Não vi melhor manobra este ano na WSL...e vocês?



E, em baixo, a onda completa do Mick Fanning em Sunset Beach na quarta ronda da Vans World Cup, segunda jóia da Vans Triple Crown of Surfing. Talvez um prenúncio da sua vitória dias depois, não?

GOLD

Eu gosto do Sterling Spencer. Olhando para as fileiras de surfistas profissionais que há, sinto que há muitos competidores e poucos com personalidade. O Sterling encaixa-se nesta última categoria. Pode não ter tido o talento necessário para chegar ou Tour ou fazer carreira no WQS mas já viram o que se estaria a perder por lá? Nem todos são competidores e tanto as marcas como os surfistas têm de perceber isso. Não vale a pena estar a forçar. Já conhecia o instagram do floridiano e foi por lá que acompanhei a aventura que foi fazer "GOLD", o seu mais recente filme. No fundo, é meia hora daquilo a que ele já nos habitou no seu Vimeo. Humor, skits e surf competente.

Se querem dar uma boa gargalhada, eis o sítio certo. E o surf também não é mau. E as personagens secundárias também não.




Em baixo, uma amostra do tipo de humor.

04/12/2015

O próximo ano vai ser giro



Qualificaram-se três dos meus surfistas preferidos no WQS, o Jack, o Conner e o Jack. Acredito que podem ter impacto imediato. Assim o espero. Por oposição, parece-me que estamos prestes a "livrar-nos" de alguns "pesos-mortos" no Tour. Já ia sendo tempo. Vamos a isto!

Do site da WSL:

"The following Top 10 QS surfers will be guaranteed a spot on the 2016 Championship Tour: 

Caio Ibelli (BRA), 
Jack Freestone (AUS), 
Kolohe Andino (USA), 
Miguel Pupo (BRA), 
Alejo Muniz (BRA), 
Kanoa Igarashi (USA), 
Alex Ribeiro (BRA), 
Conner Coffin (USA), 
Davey Cathels (AUS) 
and Ryan Callinan (AUS)."

Atenção que o Stu Kennedy e o Dusty Payne ainda se podem qualificar (ou requalificar no caso do havaiano), dependendo do que o Kolohe Andino e o Miguel Pupo façam em Pipeline para a semana.

Que fim de ano em GRANDE!