02/05/2015

Tocaram as campainhas VI

As campainhas voltaram!

E vamos continuar a manter a nota da polémica, sim? Afinal, é por causa disso que vocês vêm aqui, não é verdade? *piscar do olho*

Comecemos pelos Olímpicos. De 4 em 4 anos dou por mim embasbacado a ver curling, ginástica rítmica e metros barreiras. Isto para dizer que, por ser os Jogos, acabo por ver qualquer desporto que passe na televisão. Mas será que isso significa que veria também o surf? Claro! Agora, será que quero ver o surf nos Olímpicos? É que eu não tenho qualquer ligação e paixão pelo curling, por isso, em nada me preocupa se a sua presença na "competição grega" afecta o desporto. O mesmo não posso dizer sobre o surf. Claro que vai afectar...e eu não sei se nós, surfistas, precisamos disso. Portanto, ligando o modo cinismo ON, se quero o surf nos Olímpicos? Não! Mas se lá estivesse, será que veria? Sim!

Anyway, numa história do The Inertia, fiquemos com a mais recente vontade do presidente da ISA, Fernando Aguerre, que há 20 anos que defende o surf como desporto olímpico.

"(...) I am sure it will be one of the first Olympic venues to sell out of tickets,” Aguerre told Kyodo News.”Today you go to any beach around the world and people are dressed like surfers, wearing surf brands, and they all want to surf. Surfing is a young sport, it’s practiced by people of all ages, but it’s also a sport that has captivated the hearts and minds of young people around the world. (...)”

Escrevi PPV no google images e foi isto que apareceu.

Bom e agora...vamos para a WSL, sim? Que chatice, ando sempre a apertar com eles. Mas, de facto, a empresa (ainda me que custa a escrever empresa em vez de associação, foram muitos anos...) está sempre na ordem do dia. Hoje há coisas e notícias más, mais ou menos e boas. Vamos começar pelas boas? Siga! Não.Vamos começar pelas mais ou menos. 

Depois do anúncio da WSL sobre o acordo com a NeuLion, sobre o qual falámos aqui, a revista australiana Tracks Mag questionou Dave Prodan, VP de Comunicações da empresa do surf, acerca desse mesmo acordo. E parece que não vai haver pay-per-view!

"(...) “We have no plans to implement a pay-per-view model,” said Dave Prodan, the Vice-President of Communications for the WSL. “The WSL, from the beginning, has been about removing stop signs and putting out welcome mats. We have no plans to prevent our fans from watching the world’s best surfing.” (...)"

Boas notícias, não é? Mas quem é que acredita?! Ninguém! Logo, mais ou menos!

E agora, as boas notícias! Neste capítulo, arranquemos pelo novo patrocinador do "tempo" do Big Wave World Tour, a Tag Heurer, uma das maiores marcas de relógios do planeta, num anúncio feito hoje mesmo (a seguir aos prémios XXL! Que timing!). E parece que é uma parceria de vários anos!

"(...) The World Surf League (WSL) and TAG Heuer today announced the Swiss watchmaker's sponsorship as "Official Timekeeper" of the WSL Big Wave Tour (BWT), lending the company's reputation for "Avant-Garde" to a sport that champions fearlessness, athleticism and places a premium on quality and preparedness. 

This multi-year partnership will see the TAG Heuer inject its #DontCrackUnderPressure campaign into the heart of big wave surfing, serving as the Official Watch of the tour, and supporting the "Biggest Wave" and "Biggest Wipeout" components of the annual WSL Big Wave Awards. (...)".

Noutra coisa boa, lembram-se de aqui ter falado do rumor do choque entre WSL e IMG (a super empresa de eventos de media, moda e desporto?). Quem apanhou o press release (disfarçado...) a revelar que está tudo bem e o U.S. Open vai mesmo acontecer?

"The World Surf League (WSL) is pleased to announce that the Vans US Open of Surfing in Huntington Beach - an elite women's Championship Tour event, a men's QS10000 event and a Pro Junior event - has been confirmed for its 2015 schedule. 

The partnership marks a multi-year commitment between WSL and IMG for the Vans US Open of Surfing, ensuring the "Surf City" event is contested by the world's best surfers for years to come. (...)".

E agora, nas más notícias, não fosse o Júlio Adler no seu Facebook e no livesurfe, quem fora do Brasil saberia da escandaleira ambiental (não há outra palavra que possa usar) que está a acontecer no Rio de Janeiro em antecipação do Oi Rio Pro? E pelo segundo ano consecutivo! A SURFPortugal, aqui, conta muito bem a história.

"A menos de duas semanas do arranque da etapa brasileira do World Tour, a quarta paragem do circuito, começam a aquecer os motores para a chegada dos melhores surfistas do Mundo ao Rio de Janeiro. Contudo, as estrelas da WSL, tal como já havia acontecido no ano passado, não vão competir em São Conrado. Tudo devido aos esgotos que correm diretamente para o mar e que poluem uma das melhores ondas do Rio. (...)".

E, para fechar o capítulo do negativo, o que dizer da WSL que, depois de anunciar ao mundo o regresso da temporada do BWWT com o Quiksilver Ceremonial Punta de Lobos, não consegue transmitir o campeonato? Só o BeachGrit parece ter ter tido bolas para falar da coisa...

"THE PUNTA DE LOBOS BIG-WAVE CONTEST IS ON! 

…and the world's best big-wave surfers are putting their necks on the line in Chile's biggest tubes… Or so the WSL would have us believe. No webcast means no footage means no proof. To call this a fuck-up on the part of surfing’s competitive overlords would be an understatement. (...)"

E fechamos estas campainhas com a expectativa da Stab Magazine relativamente ao campeão mundial de 2015. Será mais um brasileiro? Que medo! Para responder a esta questão, a revista foi buscar um especialista conhecido por ser algo...tendencioso, o ex-Pipe Master australiano Jake Paterson. Só que, curiosamente, desta vez, o "The Snake" não o foi...muito.

"(...) What’s the percentage chance of a Brazilian world champ this year?
Sixty percent chance of a Brazilian world champ, I’d say.

What does the Brazilian Storm mean to Snake? 
I love it! They bring a whole new passion to the sport. Well, when I say new, I should say old: Back in the Rabbit, Pottz, Gerr, Dooma Hardman days it was dog eat dog. Everyone on tour these days are way too chummy… I want to see some hatred and pure fire back in the sport. (...)".

E já não soa mais nenhuma campainha! Acabou por hoje. Até breve.

Sem comentários: