11/02/2015

Young Guns 2 e a memória

É engraçado como a memória funciona. E é mais engraçado ainda quando ela choca com as nossas convicções, desejos e necessidade de admiração. Por exemplo, nos filmes de surf. Eu gostava (será que gostava mesmo?) que as minhas melhores memórias associadas a um filme de surf fossem as da primeira vez que vi o Endless Summer ou o Morning Of The Earth. Gostava (será?) de poder dizer que o Modern Collective foi o filme que marcou a minha carreira de surfista ou que o Apocalypse Now representa qualquer espécia de revelação espiritual sobre a necessidade e presença do surf na minha vida, mas não. Essa acaba até por ser uma dos aspectos mais belos da meórias: a capacidade de se associar ao que quiser, como quiser, sem filtro. E depois cabe a nós aceitar, ou não, isso mesmo.
As minhas melhores memórias de surf estão associadas ao filme Young Guns 2 da Quiksilver. Soa tolo, eu sei, mas a memória assim o decidiu. Poderá ser pelo choque de ver Dane Reynolds pela primeira vez, pela disparidade de nível entre duas pessoas da mesma idade (Julian Wilson..e eu) ou pela banda sonora dos Wolfmother. Era bom que fosse, não era? Era um história mais impressionante de te contar. Mas também não é por isso. E também não vos vou dizer porque é. Saibam apenas que é o filme de surf da minha vida e que vê-lo deixa-me perdidamente nostálgico.

Para relembrar:

Sem comentários: