17/02/2014

Firewire: um mistério?

Pergunto-me o que se passará com as Firewire. Eram a maior maravilha do século. Confesso que até eu - que pouco sei surfar - quis ter uma. Aliás, todos quiseram ter uma. 

Eu achava que o Taj estava bem em cima delas, outros diziam que não. Mas ele lá foi ficando na marca e foi com elas que o australiano encontrou maior sucesso entre 2007 e 2009, até, em inícios de 2012, depois de muito pouco em termos de surf ou resultados, ter saltado fora. Agora, foi o Filipe. 

Dos grandes, restam Sally Fitzgibbons e Michel Bourez. O resto nem vale a pena mencionar... No caso de Sally, que tem estado à porta de vários títulos mundiais, as pranchas podem muito bem ser uma possível justificação para os consecutivos vice-títulos. No caso do Michel, confesso que não consigo perceber: o homem faz tanta força nos rails que aquilo disfarça tudo. Ainda assim, há quem diga que as suas curvas são demasiado controladas para a força que aplica. Há quem diga que aquele surf...tem algo de estranho.

Afinal alguém me explica o que se passa com as Firewire?

A notícia do Filipe Toledo, que agora assinou com a Sharp Eyes Surfboards: http://xgames.espn.go.com/pt-BR/surfing/article/10470139/filipe-toledo-assina-com-novo-patrocinio-de-pranchas

Sem comentários: