18/11/2013

Lestadas e Inverno

Não sabemos de vocês mas nós começamos por senti-lo nos pés. Subitamente, já não é tão confortável andar descalço. Na praia, a areia, mais frequentemente molhada, já se sente e fica nas meias, colada aos dedos, depois do surf. O roxo da pele começa a contrastar com o preto do fato. De vez em quando, o wax escorrega e os pés, rijos, teimam em não se moldar às linhas cravadas nos meses anteriores. As impiedosas pedras do alcatrão do parque de estacionamento começam a doer mais. 

É o Inverno a chegar e, com ele, o frio, o sol sem temperatura e o vento leste. Este ano, temos contas a acertar. No ano passado, pouco mais de uma mão cheia de dias nos encheram a barriga. Agora, um ano depois, quando os narizes voltam a fungar e o cabelo demora a secar, queremos um Inverno melhor. Oh tu aí em cima, ouviste? Isto não são queixas. São contrapartidas. Nada disto importa se tu fores bom para nós. Só queremos aquele frio cortante, facas que deslizam nas nossas orelhas, aquele frio que vem com o vento offshore. Sabes que vento é? Aquele que depois de uma onda nos dispara balas de água para a cara, aquele que deixa a superfície tão fria que por momentos - breves momentos! - nos deixam a questionar sobre o que raio estamos ali a fazer. Sabes qual é? 

Depois do Inverno passado, talvez não te recordes, oh tu aí de cima. Mas nós vamos refrescar-te as ideias. Tal como tu nos refrescas o corpo quando mais uma vez vestimos o fato molhado e mergulhamos no mar e gritamos surdamente de frio e deslizamos nas ondas e esperamos pelos sets e esfregamos os braços em busca de calor. E, depois, saímos, gelados, mas satisfeitos, com os olhos picados e a pele dorida. É o vento leste, é o Inverno...e nós estamos à tua espera. Por Diogo Alpendre

Com fotos, aqui.

Sem comentários: