15/10/2013

Entrevista ao Mick Fanning

"Quando o teu principal rival na luta pelo título mundial diz, em inúmeras entrevistas, que estás a ser o surfista que melhor está a surfar no Tour este ano, alguma coisa estás a fazer bem. Claro que podem ser os habituais jogos psicológicos de Kelly Slater mas Mick Fanning não parece estar preocupado, afectado ou sequer a pensar no assunto. Fanning, 32 anos, natural de New South Wales na Austrália, é o candidato número 1 ao título deste ano, título que a ser conquistado o põe no mesmo patamar de Andy Irons e Tom Curren, ambos com três títulos mundiais e duas lendas do desporto.

2007, ano do primeiro título, foi o ano do trabalho, do treino, da rotina e da bola de pilates. Ia para cada destino duas semanas antes do evento, treinava aquilo que mais lhe faltava e o deixou mal em anos passados, mostrava um foco ímpar que assustava os seus rivais e só tinha um pensamento, um objectivo, que cumpriu. Sem rival à altura nesse ano (Taj Burrow só por vezes pareceu ter a coragem para fazer frente ao compatriota), Fanning ganhou o caneco com aparente facilidade.

2009 foi quase um acaso, se assim se pode falar quando o assunto é um título mundial. Tudo indicava que cedo na temporada seria o ano de Joel Parkinson mas uma infeliz lesão arrumou com as chances do marido de Monica Parkinson, a simpática loura que vimos chorar no final de temporada agarrada à sua cara metade. Depois disso de vencer em Trestles, Mick deu por si a curta distância de mais um caneco, meteu as palas na cabeça e o foco levou-o ao seu título de bicampeão (e ao desgaste emocional de uma relação de amizade de mais de vinte anos).

2013 ainda não dá para perceber que ano vai/está a ser. Para já, mesmo que tenha menos vitórias que nos outros anos – uma contra três em 2007 e 2009 – está a mostrar uma consistência que por poucas vezes o Tour viu nos seus 37 anos de história. Com o fantasma de Peter Townend desvanecido [Townend, primeiro campeão do Mundo, foi-o sem conseguir uma vitória] e Kelly Slater fora do Moche Pro Portugal, o título é seu para conquistar. É só “aproveitar a viagem” e “se tudo correr bem, conquisto-o”. A SP apanhou o White Lightning para uma conversa rápida:

SURFPortugal - Sentes-te confiante a competir em Portugal? 

Mick Fanning - Sim, é um lugar onde já me dei bem no passado e onde sinto que me posso voltar a dar bem. Nos últimos três anos não tive os melhores resultados possíveis [9º em 2012, 13ª em 2011 e 2010) mas sinto-me muito bem este ano. Estou em forma, tenho boas pranchas e sinto-me relaxado, por isso, espero que corra tudo pelo melhor. Se não, é assim mesmo, acontece."

Se gostas, continuar a ler aqui.

Sem comentários: