22/09/2012

Kelly Slater consegue a 50ª vitória no World Tour

"Kelly Slater, actual campeão do Mundo, revalidou o seu título de campeão do Hurley Pro Trestles naquela que foi a sua 50ª no World Tour. No derradeiro heat da prova, Kelly derrotou o australiano Joel Parkinson, naquela que foi a segunda final seguida entre ambos. O americano volta à corrida pelo título mundial mas ainda é o australiano Mick Fanning, campeão do Mundo em 2007 e 2009, quem lidera o ranking.

 O dia começou com o round 5 e, praticamente, sem surpresas. Julian Wilson, que nunca pareceu estar em sintonia com o mar de Trestles, foi eliminado por Mick Fanning que nunca pareceu temer o seu adversário e amigo. Os scores estão próximos mas Mick esteve mais consistente. Depois, novamente com scores próximos, Kelly Slater despachou o seu aprendiz e colega de equipa Jeremy Flores numa onda surfada nos últimos segundos, ao melhor jeito de buzzer beater. Jeremy estava a ser um dos melhores surfistas em prova e Kelly apenas surfou para a vitória. Na terceira bateria, Jordy despachou um tímido Josh Kerr que nunca viu as suas desejadas rampas de lançamento. A fechar a ronda, um confronto épico entre os dois maiores nomes do surf brasileiro, Adriano de Souza e Gabriel Medina. Muito se tem falado da evolução do surf brasileiro e da sua rivalidade com os "gringos". Contudo, as rivalidades também existem no seio do surf de Vera-Cruz e, apesar de mútuo respeito, Adriano e Gabriel mostraram-no. Com as esquerdas desaparecidas e longas direitas a serem o prato do dia, Adriano de Souza deu uma pesada combinação ao jovem Medina que nunca teve oportunidade para responder."

 Continua a ler aqui.

20/09/2012

Quem manda em Trestles são os top seeds

  "Honestamente, não se podia pedir muito mais. As previsões de ondas são boas, a qualidade de transmissão é excelente e os últimos doze surfistas em prova são quem ocupa os lugares cimeiros do ranking do World Tour (exceptuando o eliminado Owen Wright). Vai ser um final de prova com contornos épicos. 

 Compreendamos a situação. Estamos na exacta metade do ano de 2012 no Tour, sendo que o que vem a seguir é uma sucessão de eventos a um ritmo infernal. Um bom resultado em Trestles pode consumar um surfista como campeão, tirar outro da corrida ou juntar alguém à festa. Mick Fanning, nos seus anos de campeão mundial, foi sempre campeão à conta da segunda metade do ano. É em Trestles, a onda mais performance do Mundo, que se constrói o tão desejado momentum que pode consagrar a carreira de um determinado surfista. De forma incansável e repetida temos ouvido os comentadores do webcast afirmar quão importante este evento é. Até Renato Hickel, Tour Manager do World Tour, já o veio dizer! Como tal, não é despantar que os últimos doze surfistas em prova correspondam ao top 15 do Tour.

 A filtragem foi feita no round 3 onde, naturalmente, o topo do cadeia alimentar se encontrou com a base desta. Com heats mais (Gabriel Medina vs Michel Bourez, Adriano de Souza vs Travis Logie) ou menos (Adrian Buchan vs Heitor Alves) disputados, os top seeds desembaraçaram-se dos seus adversários e prepararam-se para se encontrar no round 4, ronda sem eliminação mas com o muito cobiçado prémio de presença garantida nos quartos-de-final."

 Continua a ler aqui.

 Concordam? O que acrescentariam?

 Obrigado.

15/09/2012

Jordy x Trestles



Tenham medo, tenham muito medo.

O Brek foi "esfaqueado"


  O João "Brek" Bracourt, amigo deste blog, tem de certeza uma relação especial com o arquipélago do Açores. Com várias fotografias diferentes de surf nos Açores, o Brek, primeiro, conquista uma série de páginas duplas numa edição da SURFPortugal, essa pequena revista. Em seguida, conquista o cabeçalho deste blog, sem dúvida uma conquista assinalável. Por último e mais recentemente, conquista uma fotografia do dia da Stab Mag. Eu se fosse ao Brek mudava-me para os Açores e tornava-me o fotógrafo oficial do surf no arquipélago, até porque há lá altas ondas. Parabéns, Brek!

Vejam o trabalho (e blog) notável deste caro companheiro, neste endereço: http://joaobracourt.com

05/09/2012

JJF

JJF tanto pode significar "John John Florence" como "John John, foda-se". É como preferirem, mesmo.
E este aéreo? Yup, eu também ia com a segunda versão do título.

3. JOHN FLORENCE from Kustom Footwear on Vimeo.