21/03/2012

Backside carve



Minuto 0:10. Como eu gosto de ver isto! Uma arte que eu espero que nunca se perca e que o Andy Irons dominava como poucos (ver as provas em baixo). O Brian Bielmann, a falar sobre a sua foto (a segunda em baixo), dizia que quase parecia que Andy estava a fazer snowboard. Concordo e realço a calma celestial que o seu corpo revela. Espero que nunca se perca esta arte do surf de backside.

Andy Irons, Fiji. Foto: Tostee
Andy Irons, Fiji. Foto: Brian Bielmann

08/03/2012

Equal 13th

Ele surfa bem e há-de vingar mas não o ponham nas vossas equipas para Bells...

04/03/2012

Taj vs Adriano

Após mais um heat "polémico" entre Taj Burrow e Adriano de Souza, decidi dar também a minha opinião. Pois bem, antes de mais nada, o Mineirinho era o meu favorito à vitória - aliás, tinha-o dito no Twitter no início da noite. Estava a apostar numa final entre ele e o Jordy, final que o brasileiro ganhava fácil. Adriano estava a surfar com velocidade, confiança, sempre motivado e de forma dinâmica e activa. Jordy estava confiante e a levantar muita água. Contudo, como já se sabe, quem acabou por fazer a final foi Taj e Adriano.

Na minha opinião, Taj ganhou a final justamente. O 9.43 que ele recebeu, a melhor nota do dia, premiou, na minha opinião, aquela que foi mesmo a melhor onda surfada do dia. Fui rever os heats no Heat Review do campeonato e vi todas as ondas que contaram para o score final dos surfistas. O 9.43 foi, efectivamente, a melhor onda surfada durante o dia (vamos excluir as miúdas porque se as incluirmos, Steph foi a melhor surfista do dia...e dos eventos). Este é o primeiro ponto que queria abordar.

Segundo. Muitas pessoas opinam que o aéreo final do Adriano devia ter sido uma nota excelente e o suficiente para lhe dar a vitória. Discordo. O aéreo foi bem julgado. Para provar o meu ponto, sugiro que vão ver a nota 9 do Mineiro no heat 1 dos quartos-de-final contra Owen Wright. Um aéreo alto e excelente, na primeira secção numa onda com tamanho e de set, seguido de várias manobras boas e outras fortes, incluindo um aéreo para terminar. Isso sim é uma nota excelente e, aliás, devia ter sido mais do que nove. Tendo isto em mente, um aéreo bom, depois de trabalhar a onda, seguido de uma batida quilhas para fora e um reentry, nunca podia ser, na minha opinião, uma nota na casa do excelente e, como tal, não podia ser o suficiente para dar a vitória ao surfista da maior torcida na praia (o Adriano, não o Taj...e estamos na Austrália!!). Depois, podem inclusivé comparar com os aéreos dados pelo Josh Kerr na meia-final entre ambos, na primeira onda, um 4.83!

Terceiro, podemos inclusive comparar o 7.60 com um 8.0. Como podia ser o 7.6 maior que o 8.0 se esta onda foi, manifestamente, melhor? E se pensarmos muito, o 7.6 quase que parece inflacionado...

Seja como for, parabéns ao Taj e ao Adriano que mostraram muito bom surf e têm uma das maiores rivalidades no Tour hoje em dia. Num ataque ao título aposto mais no brasileiro que no Taj, visto que Mineiro consegue manter melhor o foco que o surfista da West Coast australiana.

Concordam comigo? Não? Ainda bem! Digam de vossa justiça.