08/10/2011

Directo de França

"Crónica de um repórter no local.

Directamente de França, chegam até ti, sem complexos ou fantasias, as impressões e vivências do nosso editor online, Diogo Alpendre, que está em França para assistir à 8ª etapa do World Tour, o Quiksilver Pro France.


  1º dia - À chegada a França ao final da tarde, após dez longas horas de viagem de carro, todos as ideias e preconceitos começaram a palpitar na minha cabeça: a indústria concentrada, os fãs franceses, as francesas semi-nuas, uma região que se liga com a chegada do maior campeonato europeu. A beleza de viajar começa por ser quando chegamos ao destino e rapidamente vemos todas as ideias e preconceitos que tínhamos a desfazerem-se qual copo de vidro caído no chão à nossa frente. A vila estava calma, nenhum sinal das lojas das marcas, nenhum surfista profissional à vista e muito menos das francesas que fazem as delícias dos australianos e americanos. Chegar a casa, largar pranchas e bagagem no quarto, jantar as famosas moules avec des frites num restaurante com uma simpática empregada francesa, uma vista de olhos na Place Landais para reconhecer o Rockfood - bem maior do que estava à espera - e estava o primeiro dia encerrado, sem muito tempo para pensar ou sequer assimilar o que estava à volta.

  2º dia - Os campeonatos têm o dom de sugar toda a nossa atenção e concentração do que está à volta e assim, depois de um acordar madrugador, rumo às acreditações (uma pulseira cor-de-rosa choque? a sério?) e a La Graviére para assistir à primeira ronda. Sobre o que se passou de campeonato, é só lerem aqui. Algum calor, pouco vento, água quente e aqui sim, surgem as primeiras ideias preconcebidas de França a concretizarem-se: o público imenso, as francesas, os écrans gigantes..uma estrutura gigante e com um plano diário arrebatador. Dia terminado cedo, compras para o jantar, depois toca a vestir o short (em Outubro! Em França!) e ir para dentro de água, sair de água à noite, jantar e adormecer. (..)"

Continuem a ler, aqui.

Sem comentários: