25/04/2011

Joel Parkinson e Sally Fitzgibbons arrasam com a competição em Bells


 E é assim que se vence um campeonato, sendo o melhor do evento e derrotando toda a competição de forma categórica. Pelo menos foi esta a fórmula usada por Sally Fitzgibbons. Já Parko...fez exactamente o mesmo. O Saca ficou em 9º, justamente.

Em breve deixarei aqui algumas ideias que retirei deste evento. Até lá.

RIP CURL PRO BELLS BEACH FINAL RESULTS:
1 – 
Joel Parkinson (AUS) 18.53
2 – Mick Fanning (AUS) 13.26
RIP CURL PRO BELLS BEACH SEMIFINAL RESULTS:
SF 1: 
Joel Parkinson (AUS) 16.33 def. Adriano de Souza (BRA) 12.00
SF 2: Mick Fanning (AUS) 18.87 def. Jordy Smith (ZAF) 17.23
RIP CURL PRO BELLS BEACH QUARTERFINAL RESULTS:
QF 1:
 Joel Parkinson (AUS) 16.66 def. Owen Wright (AUS) 13.16
QF 2: Adriano de Souza (BRA) 18.00 def. Kelly Slater (USA) 11.24
QF 3: Jordy Smith (ZAF) 14.16 def. Chris Davidson (AUS) 11.10
QF 4: Mick Fanning (AUS) 17.46 def. Jadson Andre (BRA) 14.03
RIP CURL PRO BELLS BEACH ROUND 5 RESULTS:
Heat 1: 
Owen Wright (AUS) 14.17 def. Bede Durbidge (AUS) 9.26
Heat 2: Adriano de Souza (BRA) 13.97 def. C.J. Hobgood (USA) 13.66
Heat 3: Chris Davidson (AUS) 16.03 def. Michel Bourez (PYF) 15.37
Heat 4: Jadson Andre (BRA) 14.37 def. Tiago Pires (PRT) 13.93
ASP WORLD TITLE RATINGS (After Rip Curl Pro Bells Beach):
1. 
Kelly Slater (USA) 15,200 pts
2. Joel Parkinson (AUS) 14,000 pts
3. Jordy Smith (ZAF) 13,000 pts
4. Adriano de Souza (BRA) 10,500 pts
4. Tiago Pires (PRT) 10,500 pt
RIP CURL WOMEN’S PRO BELLS BEACH FINAL RESULTS:
1 – 
Sally Fitzgibbons (AUS) 16.77
2 – Carissa Moore (HAW) 15.40
RIP CURL WOMEN’S PRO BELLS BEACH SEMIFINAL RESULTS:
SF 1: 
Carissa Moore (HAW) 15.10 def. Silvana Lima (BRA) 12.60
SF 2: Sally Fitzgibbons (AUS) 18.37 def Stephanie Gilmore (AUS) 12.60
RIP CURL WOMEN’S PRO BELLS BEACH QUARTERFINAL RESULTS:
QF 1: 
Silvana Lima (BRA) 15.57 def. Sofia Mulanovich (PER) 9.60
QF 2: Carissa Moore (HAW) 13.34 def. Courtney Conlogue (USA) 5.90
QF 3: Stephanie Gilmore (AUS) 15.00 def. Tyler Wright (AUS) 11.44
QF 4: Sally Fitzgibbons (AUS) 18.56 def. Coco Ho (HAW) 14.53
RIP CURL WOMEN’S PRO BELLS BEACH ROUND 4 RESULTS:
Heat 1: 
Sofia Mulanovich (PER) 14.50 def. Chelsea Hedges (AUS) 8.50
Heat 2: Courtney Conlogue (USA) 12.50 def. Melanie Bartels (HAW) 12.04
Heat 3: Tyler Wright (AUS) 13.60 def. Jessi Miley-Dyer (AUS) 12.47
Heat 4: Sally Fitzgibbons (AUS) 18.83 def. Pauline Ado (FRA) 11.50
ASP WOMEN’S WORLD TITLE TOP 5 (After Rip Curl Pro Bells Beach):
1. 
Carissa Moore (HAW) 18,000 pts
2. Sally Fitzgibbons (AUS) 16,400 pts
3. Tyler Wright (AUS) 13,200 pts
4. Stephanie Gilmore (AUS) 11,700 pts
5. Silvana Lima (BRA) 11,700pts

3 comentários:

NL disse...

De facto,Parko deixou a sua marca em todas as eliminatórias. Com uma excelente leitura de onda,essencial em Bells, acabou sempre por encher de manobras ousadas e fluidas aquelas paredes gigantes.

Uma manobra que me impressionou foi o mega-floater de backside do Jadson. Aquilo para mim foi surfar para além do risco, e se falamos de "Wow factor", como é que a nota saiu 8.30 (ou seja entre 8's e 8.5) quando o Fanning recebia 9.53 por encher longas ondas de manobras (apenas) muito boas.

Se juntarmos a nota 7 de Taj contra o Martinez,e o 6.93 de Durbidge contra o Heitor numa onda em que pareceu falhar todas as manobras, julgo que houve mais "Home factor" do que "Wow factor". Mas,mais uma vez,acho que ninguém perdeu injustamente - embora o desenrolar de cada bateria pudesse ser diferente com as notas a saírem mais justas.

Quanto ao Saca,estava à espera de mais mas foi justo. Definitivamente,ele não se dá bem com heats a 3 sem prioridade - o Saca precisa de controlar o heat, o que tem aprendido a ser cada vez melhor. (o tal desenrolar da saída das notas, o controlo da prioridade para assegurar as melhores ondas, etc). Embora aparentemente Bells favoreça o seu surf de linhas fluidas e curvas radicais, o facto de serem ondas tão longas denunciava o surf repetitivo que Saca muitas vezes apresenta. O Saca tem mesmo de começar a abrir a gama de manobras disponíveis para usar como trunfo em heats renhidos (aqueles Laybacks ajudam, mas não bastam). Se não,corre o risco de ficar muito visto e já não impressionar ninguém (como os pobres dos Hobgoods, que fazem tudo bem mas já ninguém se impressiona perante o que já fizeram).

De resto,campeonato excelente,com boas ondas até à final e com um nível de exigência à altura de um World Tour. Mas o alinhamento de provas deste ano tem mesmo um défice de esquerdas. Como bem diz o Ace Buchan, não são apenas os goofies a serem prejudicados, mas os natural que têm um bom backside também não ganham muito. E em Bells, o backside foi sempre uma limitação.

Boas ondas

NL disse...

E alguém em explica porque todos os pros puxavam a manga do fato no final das ondas?

Será que as marcas não desenvolvem fatos para tão altas performances? Será falta de hábito dos pros, em surfarem águas geladas? Será que os braços esticam depois de tantas manobras? Será um novo "Claim" mais discreto?

Boas ondas

Diogo Alpendre disse...

Olá Nl e, antes de mais nada, desculpa o atraso na resposta.

Vamos a isto.

O Parko, juntamente com o Mick, eram os favoritos à vitória. Como o próprio Parko confessou, os juízes estavam a gostar do seu surf, das suas linhas bonitas - as mais bonitas do Tour - e não é de espantar que ele tenha ganho. E justamente.

NL, sobre essa divergência que apontas na onda do Jadson em relação às ondas do Mick, acho que tu próprio deste a resposta. O Mick fazia várias (várias!) manobras muito boas, o Jadson só fez uma muito boa. Não podes esperar que apenas uma entra no leque de notas de uma onda cheia, bem lida e dizimada. Uma onda com uma manobra boa tem que estar longe da nota de uma onda com várias manobras boas.

O julgamento é susceptível e Bells é difícil de avaliar. O Martinez venceu mas eu acho que o Taj não perdeu, se me faço entender.

Uma coisa que é importante perceber é que os surfistas não são só avaliados pelo que estão fazer em determinado heat mas sim por outras várias coisas a adicionar também a essa. O Bede estava a surfar mais que o Heitor e merecia passar mais a bateria que o brasileiro. É injusto e estúpido? Bom...sim.

Quanto ao Saca, nada a apontar, tens toda a razão no que dizes. Queria apenas juntar que ele perdeu por culpa própria.

Concordo contigo, foi um grande campeonato!

E sim, volto a concordar quando dizes que faltam esquerdas ao Tour...até porque sou goofie!

Quanto aos fatos....mistério. Os surfistas manobras muito com os braços na água e isso pode ter efeitos nas mangas. Mas não descartava a hipótese do "claim", eheheh.

Um abraço e obrigado pelos teus comentários,

Diogo aqui do blog