27/02/2011

Mais impressões do primeiro dia de Quiksilver Pro Gold Coast

Para além de tudo isto, retirei mais algumas impressões do primeiro dia de competição do Quiksilver/Roxy Pro Gold Coast que gostava de partilhar convosco:

- No tema dos patrocínios, gostei de ver que o Dan Ross já tem um main sponsor, a Patagonia. Não me espantou saber que o Bobby Martinez perdeu o patrocínio da O'Neill, visto que a) provavelmente ele tinha um contrato por objectivos e 2010 correu mal, b) ele é um surfista bastante polémico e que muitas vezes ataca a a ASP c) embora tenha um excelente surf, já não é um dos melhores goofys do Tour como em tempos foi. Não gostei nada de ver que das 18 surfistas no Tour, 5 não têm patrocínio sendo que uma delas, a havaiana Melanie Bartels, não teve sequer fundos para viajar para a Austrália.

- 2011 vai ser um ano muito entusiasmante no WWT, com várias surfistas com muito boas hipóteses de ganhar etapas e, consequentemente, lutar pelo título mundial.

- Os juízes não gostam do surf do Josh Kerr, dando-lhe scores,  na minha opinião baixos para o nível de surf que ele estava a praticar.

- O wildcard Mitch Crews tem um dos piores estilos de surf de que há memória. Matt Banting, mais novo, nem se compara.

- O Patrick Gudauskas continua a surfar como se estivesse no WQS e continua a tentar demasiado acertar manobrões em vez de surfar de forma um pouco mais conservadora (e assim vencer heats, porque o talento está todo lá). Dusty Payne idem idem aspas aspas.

- O Julian Wilson está com uma enorme confiança e isto é uma espada de dois gumes pois quanto maior a subida maior a queda OU temos um sério candidato ao título mundial.

- A mentalidade do Taj (finalmente!!) mudou e ele vai ser muito, muito perigoso este ano.

- Os juízes finalmente começaram a apreciar o surf do Tiago.

- O Jordy tem um "flow" único e incomparável no Tour.

- O Dane faz falta.

- O Cory Lopez não pertence ao World Tour pelo menos em Snapper - de certeza que pertence em Teahupoo.

- O Matt Wilkinson é muito melhor surfista do que se pensa.

- O heat 11 foi chato pa caraças (Adam Melling x Chris Davidson (de quem eu até gosto!) x Kieren Perrow).

- Os Hobgood vão ter que subir a parada.

- Aquelas porrinhas das "blue bottles" devem chatear dentro de água pa caraças.

Convido-vos a deixarem as vossas impressões e comentarem as minhas.

Sigam o Quiksilver Pro Gold Coast aqui.

9 comentários:

Gabriel disse...

Diego... Acho que o Alejo Muniz ta surfando incrívle. Por qué nao lhe dedicas umas palavras?
Abraço

ben disse...

as suas apreciações estão a meu ver exelentes saca nesta onda não dá hipodeses os seu carve é u dos melhores do tour

Diogo Alpendre disse...

Olá aos dois,

Antes de mais nada, bem vindos ao meu blog e obrigado por passarem por cá.

Gabriel, sobre o Alejo, fiz este post sobre ele: http://linhadeonda.blogspot.com/2011/02/nao-tirem-os-olhos-deste-miudo.html

Ben, concordo contigo! E obrigado pelo elogio!

Um abraço e vão passando e comentando aqui no blog.

Um abraço,

Diogo aqui do blog

Anónimo disse...

Engracado vc falar de estilo dos surfitas.

O Tiago Pires , o queridinho dos Portugues tem o pior estilo do mundo.
Pra ser honesto, o estilo do Peterson Rosa eh pior mas ele nao compete mais.
E nao eh soh o estilo do "Saca" que eh ruim, ele eh um surfista mediocre e nao pertence ao WT.


No mais o seu Blog eh muito bom.

abs

Marcelo Bolao

Anónimo disse...

Marcelo como pode um surfista ser medíocre e tirar a quarta melhor média do dia e fazer a terceira melhor onda? Não compres guerras, descarrega a frustração noutro lado...

Titi disse...

Boa análise Diogo, a subjectividade está sempre presente neste tipo de coisa, cada um gosta do que gosta, espero que já no próximo fds possas passar algum deste conhecimento para as folhas de julgamento, pelo que vi estás convocado, boa sorte e bom trabalho!

Pedro Matos disse...

Alô Diogo,

É sempre um prazer quando escreves sobre estes temas.
Tambem gosto dos post só com videos, mas os que desenvolves a escrita são sempre mais interessantes!

Concordo com a maioria dos dados da tua analíse, excepto alguns pontos;

- Não sei se a mentalidade do Taj mudou. Acho que até agora está igual ao ano passado, cheio de vontade no inicio. Daqui a uns meses veremos se mantem a consistência, o maior problema dele a meu ver. Ele ganhou o evento no ano passado e depois desapareceu..

- O Mitch Crews não tem um estilo assim tão feio. Já vi pior...e curiosamente todos falam Português, excepto o Patacchia.

Gostei da entrada do Fanning e Parko. O Julian Wilson, acho que tem muito potencial para fazer alguns brilharetes neste ano de estreia. Ele é um excelente competidor e ao que parece, é muito bem acompanhado e orientado pelo irmão, o que pode ser fundamental no WT para evitar as tais "quedas" que referiste.

- Bobby Martinez está uns bons degraus abaixo do seu nível competitivo, mas surfa nas horas de backside, prova disso foi o 3º lugar em Snapper em 2010.
É uma pena que tenha difuculdade em lidar com instituições.

Os Hobgood..concordo inteiramente contigo, têm de subir a parada, apesar de terem detalhes de surf muito agradaveis, mas pouco de WT.

Round 3 cá estaremos!!

Pedro Matos disse...

Alô Diogo,

Escrevi um post anterior mas por alguma razão não ficou publicado.

Em traços gerais concordo com a tua analíse mas no caso do Taj acho que ainda é cedo para observar mudanças de mentalidade. Até agora ele está exactamente igual ao ano passado, grande pica inicial, como no ano passado em que ganha o evento, mas depois desapareceu.

O Julian Wilson, pelo que se sabe, é muito bem acompanhado e oriantado pelo irmão mais velho, o que pode evitar as tais "quedas" mentais. Ele é um excelente competidor e espero ver muito dele este ano em certas etapas.

O Mitch Crews não tem um estilo assim tão feio...que maldade Diogo:),já vi bem pior e curiosamente falam todos Português.

O Jordy, Fanning, Parko e Slater são, na minha perspectiva os fortes candidatos ao título.

Senti imenso a falta do Andy, um dos meus preferidos de sempre. Vê-lo surfar éra para mim um daqueles momentos de puro prazer, mesmo que perdesse o heat.

PS: estou a imaginar como será a prestação do Slater se voltarem a fazer o teste de medição de velocidade.

Diogo Alpendre disse...

Pedro,

Algo de muito estranho se passa neste post, eu recebo os teus comentários no meu e-mail mas eles não aparecem aqui. Como sei que estás "em cima" para ver se aparecem ou não, respondo-te assim, mesmo sem aparecer o comentário (vou responder ao primeiro ;).

Tens toda a razão quanto aos textos. Eu gosto bem mais de escrever do que vir até aqui, meio preguiçoso, só deixar um vídeo. Contudo, nem sempre tenho tempo para escrever..mas vou ter mais atenção a isso, obrigado pela tua nota Pedro ;)

Vamos então entrar a fundo nestas "impressões".

Quanto ao Taj, eu também tenho essa crítica, essa consistência que ele não consegue ter. Mas ainda assim, penso que ele nunca fez esta mudança, diz ele que "I used to try and surf to the criteria and I hated it. Now I just surf the way I want and it seems to work better for me." Esta vai ser a mudança dele em 2011 e quem sabe se ele dentro desta liberdade não vai encontrar a sua consistência? Eu torço por ele, ele é um dos meus surfistas preferidos.

Eu acho que o Mitch Crews surfa feio. Estamos a falar de um gajo que dominou largamente o Pro Junior australiano o ano passado e que está de caras a tentar entrar no CT este ano. Já viste que ele surfa todo para a frente, ombros incluídos? Vê bem aquele aéreo que ele deu no round 1. Tail em baixo, nose em cima. Horrível. Mas ele é muito competitivo, isso ninguém lhe tira..e é um bom competidor também. Mas repara, os próprios juízes cortaram, muito, as notas da sua bateria.

Sim, o Julian está com uma boa "entourage" e nem vale a pena realçar a importância disso. Estou curioso sobre como será o surf dele em ondas tipo Teahupoo (já a 5ªa etapa) e mesmo em Bells (2ª etapa) e J-Bay (4ª etapa), onde é mais surf de linha, mais encaixado do que o surf de beachbreak. De qualquer forma, a primeira metade do ano é claramente benéfica para ele: três beachbreaks (um deles para a direita, Snappets, e dois com a possibilidade de esquerda e direita, Rio e NY), dois pointbreaks de direita (Bells e J-Bay) e Teahupoo, a única esquerda.

Sobre o Bobby, onde está a chama dos primeiros dois eventos de 2010? O surf está lá todo e ele é capaz de vencer qualquer evento. Mas será que vai conseguir voltar a essa mentalidade? Essa é a minha dúvida e sinceramente, o Bobby que me perdoe, duvido.

Os Hobgood têm a vantagem de estar nisto há muitos anos, dominarem Teahupoo e serem bons competidores em beachbreaks. Mas vamos ver, eles podem destacar-se a qualquer momento e como se diz em inglês "rise to the occasion".

Como dizes e bem, round 3 cá estaremos!

Um abraço e obrigado,

Diogo aqui do blog