23/01/2011

Dean Morrison à procura de um lugar ao sol

Nunca fui um grande fã do surf de Dean Morrison. Sempre me pareceu, e ainda parece, (e tenho vindo a perceber que isto é uma opinião muito pessoal..), que ele parece um macaquinho em cima da prancha. Também não digo que esteja sempre a ver se tem desodorizante como os Hobgood, mas a verdade é que ele dá assim uns pulinhos e pá, não gosto muito do surf dele. Da única vez que interagi com ele - em Peniche, 2009 -, também não me pareceu um tipo propriamente simpático, embora não seja um sujeito que caracterizaria como desagradável. Antes resguardado e tímido. A verdade é que, tirando o Rabbit com quem ele estava, Dingo não conhecia mais ninguém, o que não deve (e não é mesmo) uma situação propriamente confortável. Num plano mais pessoal, uma conversa/discussão que uma vez tive sobre ele também me trouxe alguns dissabores e talvez eu tenha criado uma associação entre o Coolie Kid e sentimentos menos positivos. Seja como for, a verdade é que nos últimos tempos tenho sentido culpa do tipo. Foi agredido, por engano, na sua Coolangatta há uns tempos, caiu do WCT no infame corte pós-Teahupoo, consta que está há algum tempo num mau momento de forma (embora tenha eliminado o Adriano de Souza em Outubro passado em Peniche, onde entrou como substituto), dizem as más línguas que está à beira do divórcio com a sua mulher e também surfista Alana Brennan e que a Volcom está (ou esteve?) à beira de o largar. Temos então um bom surfista (posso não gostar dele mas reconheço que ele surfa bem, principalmente nos tubos) de quem pouco se tem falado - o que é prejudicial para a carreira de alguém que competitivamente nunca fez grande coisa - e que está à procura de voltar para o seu lugar ao Sol.

Nada melhor do que ter um Inverno havaiano estrondoso, com várias ondas suas nomeadas para Onda do Inverno do Surfline, e do que ter um filme/biopic. Morrison é o último dos três Coooooolie Kids (que já nos trouxeram 2 Degrees, Fanning The Fire, Free as a Dog, etc etc) que ainda não tem o seu filme e parece que é mesmo nisso que a Volcom e ele estão a investir/investiram - o que acaba por ser um sinal relativamente positivo quanto à sua relação com patrocinadores. Ora até à saída do trailer/teaser, eu não sabia que este estava a ser feito - o que não é muito bom sinal, ou para mim que se calhar ando distraído, ou para o filme e seu sucesso. Seja como for e depois desta "cheap talk" toda, fiquem com o raio do teaser do raio do puxa-cordinhas do Dingo. Via Waves.


P.S. A verdade é que o Dingo não tem uma história de vida fácil desde criança, quando roubava para viver, história parecida com a do seu padrinho Rabbit. Esperemos que o filme conte isso porque o gajo até acaba por ser interessante.

Sem comentários: