31/12/2010

Ups..e agora? Tiago Pires de nose em branco e outras várias reflexões.

Esta é inesperada (cof, cof, cof..)!

Segundo aquilo que parece um press release da Billabong lançado no site noticioso Surftotal, Tiago Pires e a marca australiana seguiram caminhos diferentes a partir de hoje, dia 31 de Dezembro de 2010, pondo fim a uma relação de 12 anos entre ambos.

Vou explicar o cof, cof, cof. Um dia destes, já não sei (não sei mesmo) bem quando, embora saiba que foi há mais de um ano atrás, ouvi o fotógrafo Ricardo Bravo proferir uma expressão que nunca tinha ouvido: "zumzum de praia". Este "zumzum de praia" é, no meu entender, tipo a conversa de adeptos na bancada de um estádio futebol ou a coscuvilhice entre vizinhas e porteiras. 

Pois bem, eu já ouvia o "zumzum de praia" de que o Saca ia sair da Billabong há uns tempos, normalmente seguido pelo de que iria para a Quiksilver.

A minha opinião, embora ninguém a tenha pedido, é a seguinte (e quero realçar que nunca tive nenhuma relação profissional com qualquer uma das duas marcas): Tenho pena. Gostava, muito, de ver o Saca com a Billabong. Não sei se é por uma questão de hábito (desde que "sigo" surf que vejo o Saca de Billabong no nose da prancha em anúncios, fotografias, spreads, heats, etc etc..) mas Tiago Pires e Billabong sempre foram, para mim, um "match". Se o "Portuguese Tiger" for, efectivamente, para a Quiksilver, não sei se vou gostar tanto. Tenho receio, por exemplo, que seja prejudicada uma das melhores rivalidades no World Tour. Kelly Slater vs Tiago Pires. Embora fique um team interessante para a marca do 10x campeão do Mundo. Mas aqui entram outras questões...

...e essas questões chamam-se Dane Reynolds e Julian Wilson. 

No caso do primeiro, não é deste ano nem do ano passado que se ouvem rumores de que o melhor surfista do Mundo segundo Slater pode sair da QS e ir para uma marca menos mainstream e mais fora do plano competitivo. Marcas como a Analog ou a RVCA. Se for verdade que Dane vai sair do Tour já em 2011, esta situação, a saída de Dane da QS, pode mesmo vir a realizar-se. Nem vale a pena realçar a perda gigante que seria para a Quiksilver (e que foi para a Rip Curl quando, há mais de 8 anos atrás, optou entre Ben Dunn e Dane....). A questão de nome Julian Wilson é mais importante ainda que a de Dane. Slater tem 10 títulos mundiais conquistados de QS ao peito. Dane é um surfista incrível, de carácter apelativo e interessante, arrasta uma legião de fãs e embora não tenha resultados nada maus no Tour, não é o protótipo de surfista competitivo que a Quiksilver claramente gosta de ter. Não será, assim, o "herdeiro competitivo" de Slater - convenhamos, um dia Slater terá que sair do Tour! Já Julian Wilson, surfista de imenso talento e com um espírito competitivo bem latente (lembram-se do final de época havaiano?), poderá ser o "herdeiro" de Slater e a nova esperança da Quiksilver (caso Slater saia do Tour, atenção) em grandes resultados competitivos - como por exemplo um título mundial. Problema? Existe a forte, forte, possibilidade de Julian mudar os seus trapinhos para a Nike 6.0 já no início de 2011 (mesmo que inicialmente seja só de ténis, uma vez na prancha, existe sempre a possibilidade de saltar para o nose). Aliás, situação que já aconteceu este ano com Alejo Muniz, que antes da temporada havaiana deste ano se mudou para a Nike 6.0. E que já tinha acontecido com Michel Bourez o ano passado, exactamente no mesmo sentido.

Imagine-se, então, o seguinte. Será que a Quiksilver deixaria que o seu team no Tour fosse "apenas" (Slater), Freddy P (surfista capaz do pior e do melhor mas claramente em fim de carreira) e Jeremy Flores (surfista muito inconsistente)? A mim, parece-me que não e creio que o Saca não cairia bem nesta "team". Por um lado, acho que o Saca merece maior destaque e importância (talvez mesmo apoio financeiro e interno?) do que o que tinha na Billabong, principalmente a nível europeu (era o grande patrocinado da marca). Por outro, não estou a ver o Saca a ter, nem tanta dimensão como o Jeremy (o peso da Quiksilver na Europa está em França, o Jeremy é mais novo, sempre foi um dos "meninos" da Quiksilver..) ou como o Dane e Julian. Seria, então, "colocado" ao lado de Freddy P? Para bem do Saca, dos portugueses, e dos fãs de surf, espero bem que não. Este é outro dos meus receios relativamente à possível mudança do Saca para a Quiksilver, como se vai enquadrar na "team"? Fique a "team" toda, metade ou ainda menos, terá o Saca o destaque que merece? Aí, parece-me que a sua posição na Billabong era ideal (talvez só a precisar de alguns melhoramentos a nível do destaque europeu?).

Mas vamos ver aqui outra coisa, eu não sei o que motivou a mudança. Não sei se foram incompatibilidades ou se simplesmente aconteceu. Também não sei se a Billabong estava satisfeita com o Tiago e vice-versa. Não sei. Estou a especular apenas atenção.

Entretanto, o leitor do blog Pedro, levantou várias questões na área de comentários deste post (algumas delas que eu me tinha lembrado mas que me esqueci de escrever). De facto, a Billabong leva mais um corte na sua principal team. Depois da trágica morte de Andy Irons e da consequente redução da sua "A-Team" a três surfistas, ao perder Tiago Pires a sua "A-team" fica reduzida a dois surfistas, Taj Burrow e Joel Parkinson. Embora sejam dois surfistas de enorme mediatização, cheira-me que a Billabong US não vai gostar que isto esteja assim durante muito tempo. É preciso realçar também que já não são surfistas novos - "sangue fresco" - e mesmo que continuem com a sua excelente carreira competitiva, é preciso que a Billabong encontre o seu futuro. E se pensarmos em nomes da Billabong, nenhum nome verdadeiramente sólido surge à baila (Granger Larsen? Errr...). Aqui se vê um erro da Billabong em termos de aposta sólida no futuro, quando comparada com a Rip Curl ou a Quiksilver. E lembre-mo-nos que a Billabong perdeu o Jordy Smith há dois anos e Kolohe Andino no início deste ano...

A nível português, é sem dúvida uma chicotada valente na Billabong e a marca anda com a vida menos fácil aqui em Portugal. Primeiro, perderam (em termos de sponsors, etc etc) em 2009 o 6* de Ribeira D'Ilhas para o Rip Curl Pro em Peniche, ficando o tradicional evento sem se realizar nesse ano. Em 2010, o 6* de Ribeira D'Ilhas volta mas com a Quiksilver (seria um sinal de que o Saca estava a fazer as malas?) e a Billabong fez um bom trabalho com a organização do Prime dos Açores - o Billabong Azores Islands Pro, que já está garantido para 2011 e que em 2009, ainda 6*, tinha sido um sucesso. Agora perdem o seu principal patrocinado português, cada vez com maior destaque mediático, altamente publicitado no país. Uma chicotada valente e que me deixa com uma pergunta...e agora?

Muita especulação aqui pelo meio, não é? Ainda para mais não sendo certo e directo que o Saca vá para a Quiksilver! Existem outras marcas!

Quero é, como acho que também a maior parte de vocês quer, que o Saca se safe bem neste assunto, continue de pedra e cal no WCT e continue a levar a nossa bandeira bem alto (ver fotografia em baixo).


Foi só uma reflexão que por acaso saiu em post. Perdoem-me os ofendidos (caso os haja) e vamos lançar este debate para terminarmos 2010 em grande e começarmos, também em grande, 2011! Já agora, BOM ANO DE 2011 PARA TODOS VÓS!!

P.S. Entretanto, a revista Onfire Surf Mag já admitiu oficialmente no seu site ter informações que, obviamente, não pode publicar: "O staff da ONFIRE admite que tem informações sobre o assunto mas que, como é óbvio, não poderá divulgar até serem oficializadas. Vai ficando atento pois em Janeiro certamente teremos novidades..." (fonte).

6 comentários:

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro disse...

Alo mais uma vez!

Tambem ouvi esse "zum de praia" nos ultimos tempos e tambem ouvi o nome Quicksilver, com contrato milionario!
Bem analisada a tua questão do lado da Quicksilver, temos tambem a questão do lado da Billabong que ficou sem dois elementos do Team. Quem é que a Billabong irá contratar para o seu Team?
Será uma promessa ou alguem já com creditos? Tens alguma sugestão?

Aposto no Medina e quem sabe o Jordy ou Dane?

Abrc e bom ano

Diogo Alpendre disse...

Olá Pedro,

Pois, de facto, este "zumzum" circulou com alguma frequência.

Quanto a essa questão da Billabong ficar sem dois surfistas da sua equipa, tens toda a razão e eu é que me esqueci de abordar isso no post, embora me tenha lembrado (entretanto já está no post, com louvor ao teu comentário!).
Não sei quem é que a Billabong vai contratar ou sequer se vai contratar alguém. Mas vai ser engraçado de ver as movimentações da marca..mas sabes uma coisa, com a crise económica que está instalada, não sei se estão a pensar em contratar alguém. Mas sobre este assunto em específico, vê o parágrafo-adenda que acrescentei ao post.

No Medina duvido. Ele tem um contrato recente e sólido com a Rip Curl e já tem a Nike 6.0 na calha, ao patrocina-lo nos ténis. Para além de que a Quiksilver tentou sondar o miúdo..

No Dane, duvido. A Billabong já tem uma óptima team de freesurfers e duvido que queira mais um. Eles precisam de alguém de competição.

O Jordy, também duvido. Neste momento é a cara da O'Neill, grande esperança da marca pioneira num título mundial e não o vão deixar sair por nada. Para além de que ele era Billabong quando era júnior e saiu de lá, insatisfeito..

Abraço e obrigado Pedro,

Bom ano!

Diogo aqui do blog

Pedro barata disse...

Sinceramente, para mim o Saca e a Billabong nunca foram um match perfeito. Na minha opinião a billabong internacional nunca deu ao saca o devido valor, poucas foram as surftrips internacionais(excepção da campanha "i surf because", poucas aparencias em filmes(final do still filthy sem sequer aparecer o nome dele).
Fico contente pelo saca pois tenho a certeza que vai mudar para algo melhor! Para mim a marca que tem mais a ver com saca é a O´neill, ele é mais valorido nos States do que na australia!

Anónimo disse...

Também sou daqueles que ouvia os Zuns zuns na pria e nunca quis acreditar, no entanto quando vi o Tiago ser o cabeça de cartaz do WQS na Ericeira, sendo esta prova patrocinada pela marca concorrente do seu patrocinador não tive muitas duvidas. Relembremo-nos que este campeonato, foi um fiasco a nivel de participações tendo devido á falta de inscritos começado logo no round 96 e o Saca que não participou em nenhem WQS sem ser Prime, veio ser o cabeça de cartaz, dando com a sua participação um relevo a esta prova completamente diferente, pois sabemos como é um campeonato em Portugal com Saca e sem Saca. Mais do que isso vê-lo nos videos a participar no Tag Team, coisa que nunca tinha feito deixou-me sem duvias que os boatos estavam correctos.
Resumindo, Claro que o Tiago vai para a Quiksilver pois assim entendeu que é melhor para si e para a ua carreira e preferiu deixar o seu apoiante dos ultimos 12 anos que o audou a chegar ao tour, para acabar a sua carreira no seu grande concorrente, com certeza com óptimas condições monetárias.

Pedro Quadros disse...

Olá e bom anos a todos (para já 2011 começou com ondas).

Em relação ao apoio que a Billabong Europa dava ao Tiago relato 2 observações que fiz em Setembro durante o Quik Pro France : quando saíamos da auto-estrada em Hossegor deparavamo-nos com 3 cartazes - 1 do Quik Pro France, outro o Rip Curl Peniche Pro, e um 3º da Billabong da campanha "I surf..because" com o Tiago; A Billabong realizou uma sessão de autógrafos na loja de Hossegor com o Taj, Andy e o Tiago (este acabou por não estar presente). Isto pode parecer pouco, mas mostra que a Billabong o devia considerar como o seu principal atleta na Europa, mercado em expansão e com potencial p/ crescimento (embora abalado com a recente crise).

Aproveito para recordar que se o Tiago for p/ a Quiksilver, pode-se falar em regresso a esta marca, pois era a que o patrocinava antes da Billabong.

Por fim, e á laia de contexto : na Europa a Quiksilver é, clara e destacadamente, a lider em Surfwear (curiosamente, Portugal é o único mercado nacional em que é No.2).