31/12/2010

Ups..e agora? Tiago Pires de nose em branco e outras várias reflexões.

Esta é inesperada (cof, cof, cof..)!

Segundo aquilo que parece um press release da Billabong lançado no site noticioso Surftotal, Tiago Pires e a marca australiana seguiram caminhos diferentes a partir de hoje, dia 31 de Dezembro de 2010, pondo fim a uma relação de 12 anos entre ambos.

Vou explicar o cof, cof, cof. Um dia destes, já não sei (não sei mesmo) bem quando, embora saiba que foi há mais de um ano atrás, ouvi o fotógrafo Ricardo Bravo proferir uma expressão que nunca tinha ouvido: "zumzum de praia". Este "zumzum de praia" é, no meu entender, tipo a conversa de adeptos na bancada de um estádio futebol ou a coscuvilhice entre vizinhas e porteiras. 

Pois bem, eu já ouvia o "zumzum de praia" de que o Saca ia sair da Billabong há uns tempos, normalmente seguido pelo de que iria para a Quiksilver.

A minha opinião, embora ninguém a tenha pedido, é a seguinte (e quero realçar que nunca tive nenhuma relação profissional com qualquer uma das duas marcas): Tenho pena. Gostava, muito, de ver o Saca com a Billabong. Não sei se é por uma questão de hábito (desde que "sigo" surf que vejo o Saca de Billabong no nose da prancha em anúncios, fotografias, spreads, heats, etc etc..) mas Tiago Pires e Billabong sempre foram, para mim, um "match". Se o "Portuguese Tiger" for, efectivamente, para a Quiksilver, não sei se vou gostar tanto. Tenho receio, por exemplo, que seja prejudicada uma das melhores rivalidades no World Tour. Kelly Slater vs Tiago Pires. Embora fique um team interessante para a marca do 10x campeão do Mundo. Mas aqui entram outras questões...

...e essas questões chamam-se Dane Reynolds e Julian Wilson. 

No caso do primeiro, não é deste ano nem do ano passado que se ouvem rumores de que o melhor surfista do Mundo segundo Slater pode sair da QS e ir para uma marca menos mainstream e mais fora do plano competitivo. Marcas como a Analog ou a RVCA. Se for verdade que Dane vai sair do Tour já em 2011, esta situação, a saída de Dane da QS, pode mesmo vir a realizar-se. Nem vale a pena realçar a perda gigante que seria para a Quiksilver (e que foi para a Rip Curl quando, há mais de 8 anos atrás, optou entre Ben Dunn e Dane....). A questão de nome Julian Wilson é mais importante ainda que a de Dane. Slater tem 10 títulos mundiais conquistados de QS ao peito. Dane é um surfista incrível, de carácter apelativo e interessante, arrasta uma legião de fãs e embora não tenha resultados nada maus no Tour, não é o protótipo de surfista competitivo que a Quiksilver claramente gosta de ter. Não será, assim, o "herdeiro competitivo" de Slater - convenhamos, um dia Slater terá que sair do Tour! Já Julian Wilson, surfista de imenso talento e com um espírito competitivo bem latente (lembram-se do final de época havaiano?), poderá ser o "herdeiro" de Slater e a nova esperança da Quiksilver (caso Slater saia do Tour, atenção) em grandes resultados competitivos - como por exemplo um título mundial. Problema? Existe a forte, forte, possibilidade de Julian mudar os seus trapinhos para a Nike 6.0 já no início de 2011 (mesmo que inicialmente seja só de ténis, uma vez na prancha, existe sempre a possibilidade de saltar para o nose). Aliás, situação que já aconteceu este ano com Alejo Muniz, que antes da temporada havaiana deste ano se mudou para a Nike 6.0. E que já tinha acontecido com Michel Bourez o ano passado, exactamente no mesmo sentido.

Imagine-se, então, o seguinte. Será que a Quiksilver deixaria que o seu team no Tour fosse "apenas" (Slater), Freddy P (surfista capaz do pior e do melhor mas claramente em fim de carreira) e Jeremy Flores (surfista muito inconsistente)? A mim, parece-me que não e creio que o Saca não cairia bem nesta "team". Por um lado, acho que o Saca merece maior destaque e importância (talvez mesmo apoio financeiro e interno?) do que o que tinha na Billabong, principalmente a nível europeu (era o grande patrocinado da marca). Por outro, não estou a ver o Saca a ter, nem tanta dimensão como o Jeremy (o peso da Quiksilver na Europa está em França, o Jeremy é mais novo, sempre foi um dos "meninos" da Quiksilver..) ou como o Dane e Julian. Seria, então, "colocado" ao lado de Freddy P? Para bem do Saca, dos portugueses, e dos fãs de surf, espero bem que não. Este é outro dos meus receios relativamente à possível mudança do Saca para a Quiksilver, como se vai enquadrar na "team"? Fique a "team" toda, metade ou ainda menos, terá o Saca o destaque que merece? Aí, parece-me que a sua posição na Billabong era ideal (talvez só a precisar de alguns melhoramentos a nível do destaque europeu?).

Mas vamos ver aqui outra coisa, eu não sei o que motivou a mudança. Não sei se foram incompatibilidades ou se simplesmente aconteceu. Também não sei se a Billabong estava satisfeita com o Tiago e vice-versa. Não sei. Estou a especular apenas atenção.

Entretanto, o leitor do blog Pedro, levantou várias questões na área de comentários deste post (algumas delas que eu me tinha lembrado mas que me esqueci de escrever). De facto, a Billabong leva mais um corte na sua principal team. Depois da trágica morte de Andy Irons e da consequente redução da sua "A-Team" a três surfistas, ao perder Tiago Pires a sua "A-team" fica reduzida a dois surfistas, Taj Burrow e Joel Parkinson. Embora sejam dois surfistas de enorme mediatização, cheira-me que a Billabong US não vai gostar que isto esteja assim durante muito tempo. É preciso realçar também que já não são surfistas novos - "sangue fresco" - e mesmo que continuem com a sua excelente carreira competitiva, é preciso que a Billabong encontre o seu futuro. E se pensarmos em nomes da Billabong, nenhum nome verdadeiramente sólido surge à baila (Granger Larsen? Errr...). Aqui se vê um erro da Billabong em termos de aposta sólida no futuro, quando comparada com a Rip Curl ou a Quiksilver. E lembre-mo-nos que a Billabong perdeu o Jordy Smith há dois anos e Kolohe Andino no início deste ano...

A nível português, é sem dúvida uma chicotada valente na Billabong e a marca anda com a vida menos fácil aqui em Portugal. Primeiro, perderam (em termos de sponsors, etc etc) em 2009 o 6* de Ribeira D'Ilhas para o Rip Curl Pro em Peniche, ficando o tradicional evento sem se realizar nesse ano. Em 2010, o 6* de Ribeira D'Ilhas volta mas com a Quiksilver (seria um sinal de que o Saca estava a fazer as malas?) e a Billabong fez um bom trabalho com a organização do Prime dos Açores - o Billabong Azores Islands Pro, que já está garantido para 2011 e que em 2009, ainda 6*, tinha sido um sucesso. Agora perdem o seu principal patrocinado português, cada vez com maior destaque mediático, altamente publicitado no país. Uma chicotada valente e que me deixa com uma pergunta...e agora?

Muita especulação aqui pelo meio, não é? Ainda para mais não sendo certo e directo que o Saca vá para a Quiksilver! Existem outras marcas!

Quero é, como acho que também a maior parte de vocês quer, que o Saca se safe bem neste assunto, continue de pedra e cal no WCT e continue a levar a nossa bandeira bem alto (ver fotografia em baixo).


Foi só uma reflexão que por acaso saiu em post. Perdoem-me os ofendidos (caso os haja) e vamos lançar este debate para terminarmos 2010 em grande e começarmos, também em grande, 2011! Já agora, BOM ANO DE 2011 PARA TODOS VÓS!!

P.S. Entretanto, a revista Onfire Surf Mag já admitiu oficialmente no seu site ter informações que, obviamente, não pode publicar: "O staff da ONFIRE admite que tem informações sobre o assunto mas que, como é óbvio, não poderá divulgar até serem oficializadas. Vai ficando atento pois em Janeiro certamente teremos novidades..." (fonte).

Não hora H, não importam ninharias.

A verdade é que na hora H, na hora da necessidade e da entreajuda, não importa aquilo que nos ajuda a deslizar nada ondas. E é assim mesmo que deve ser.

Os surfistas profissionais Kai Barger, Tanner Hendrickson, Granger Larsen e Dusty Payne ajudam o bodyboarder Vaughn Stover após este ser mordido por um tubarão na perna e pé, num spot no Maui, Havai.

29/12/2010

Convenhamos, este puto Kolohe Andino parte a loiça..

...e, na minha opinião, é uma das maiores esperanças mundiais sub-16. Se não mesmo a maior. Este vídeo é a as "boas vindas" do Kolohe à Neff Headwear.

Agora sim as coisas começam a complicar tecnicamente.. ASP para 2011.

A ASP revelou hoje alguma mudanças que surgiram após várias reuniões do seu comité técnico. O comunicado é intitulado "O Comité Técnico da ASP finaliza os pontos para o One World Ranking de 2011".

E é mesmo complicado de trocar por miúdos. Nem a ASP no seu comunicado oficial conseguiu explicar isto de uma forma simples (remetem o leitor interessado para um pfd com ukm esquema mais fácil de entender que o texto do comunicado), quanto mais um mero analista como eu.

Mas enfim, basicamente, é a tal mudança/actualização dos pontos de cada resultado nos vários eventos Star, Prime e World Tour que era esperada depois do "bridge year" que foi 2010. Esta actualização define um "performance gap", ou seja, um momento no evento a partir do qual são esperadas as melhores performances dos surfistas. No World Tour, o "performance gap" é do 13th para o 9th; no Prime, do 13th para o 9th; nos Stars (de 6*) é dos 7th para os 5th, ou seja, a partir dos quartos de final.

O objectivo é premiar os atletas que cheguem mais longe e permitir uma mais fácil "movimentação" e "rotação" de surfistas nos vários tours, algo que foi manifestamente difícil este ano como todos sabemos (apenas 5 surfistas qualificados, 4 deles à justa!).

28/12/2010

Este Josh deixa todos Kerrazy..

Não me lembrei de nada mais cliché para usar como título. Enfim, é 2011 a chegar..

Notícia de última hora - Steph Gilmore atacada em casa - actualização

Steph no momento da saída do hospital. Foto: Channel 7, via P-Movement.

Através da ASP, Stephanie Gilmore já fez um comunicado sobre o que se passou na passada segunda feira à noite, momento em que foi atacada por um sem-abrigo armado com uma barra de ferro (ver notícia em baixo).

“There was an incident in which I was attacked at my property,” Gilmore said. “It was a completely random act in which I was a victim in the wrong place at the wrong time. It is now a matter for the court. I have sought medical attention and am on my road to recovery in high spirits. I look forward to getting back in the water in six weeks. In the mean time, I’m staying mentally and physically fit every way I can. I have fantastic support from my family and friends and look forward to resting up for a fresh start in the New Year.”

Desejo uma recuperação rápida e as melhoras à Steph, esperando que esteja motivada e em forma para o início do ano de 2011 do WWT na Gold Coast, em Fevereiro/Março.

Notícia de última hora - Stephanie Gilmore atacada em casa

Última actualização do Courier Mail (jornal australiano):

"FOUR-time world surfing champion Stephanie Gilmore has been bashed by a man wielding a metal pole in a terrifying attack outside her Tweed Heads apartment.

Gilmore, 22, suffered a fractured wrist and cuts to her head and hand as she fought off the pushbike-riding attacker about 9.30pm last night.

She was treated at Tweed Heads Hospital and was today 'traumatised' over the attack, a surfing industry insider said.

Gilmore's friends and neighbours made a dramatic citizens' arrest of the accused attacker after he allegedly returned to the scene.

A police spokeswoman would not confirm Gilmore as the victim but said the woman suffered defensive wounds as she fought off the man who attacked her with the pole on the steps leading up to her Hill Street unit on the Queensland-NSW border.

He allegedly struck Gilmore twice with the pole before fleeing the area on a pushbike.
 
The man later allegedly returned to Gilmore's unit complex where he was seen by friends and neighbours of the victim. They managed to detain the man until police arrived who arrested him.

The man was later arrested and charged with offences including wounding with intent to cause grievous bodily harm. He was bailed to appear in Tweed Heads Local Court on January 10.

``The woman received a laceration to the back of the head, a fractured wrist and lacerations to her hand,'' NSW police said.

Marine Cole, a spokeswoman for Gilmore's major sponsor, Rip Curl, said the surfing champion was too upset to talk and the matter was being handled by police.

``She's a bit shook up, as you would be,'' Ms Cole said.

Gilmore took over from seven-time world champion Layne Beachley as the golden girl of Australian surfing.
She won her first world tour event in 2005 as a schoolgirl wildcard and claimed the championship in her maiden year on the Association of Surfing Professionals circuit.

Gilmore clinched her fourth successvie world title in Puerto Rico last month."

Primeira notícia (do blog):  

Segundo o jornal australiano Herald Sun, a quatro vezes campeã do Mundo Stephanie Gilmore foi atacada por volta das 21h na sua casa em Tweed Heads. O atacante, um homem de 22 anos, tentava entrar em casa da 4x Campeã do Mundo e atingiu-a gravemente com uma barra de ferro.

A Steph ainda tentou lutar com o assaltante mas sofreu de um pulso partido e vários cortes. Foi mais tarde levada para o hospital.

O homem foi capturado pela polícia e está a ser acusado de diversos crimes, incluindo ataque físico com intenção de magoar seriamente.

Espera-se a todo o momento novas actualizações do estado de saúde da Stephanie.

Aqui do blog desejamos tudo pelo melhor à Stephanie Gilmore e esperamos que tudo esteja bem (ou que fique rapidamente!) com ela.

Fontes: Courier Mail, Herald Sun, Waves Mag.

27/12/2010

Steph

É impossível não gostar dela. She charges!!! Carreguem na fotografia para a ampliar! Fonte: Stab. Fotografia: Jimmy "Jimmicane" Wilson.

26/12/2010

Surfline Power Rankings pós Pipeline e finais de 2010

O Coach Ian Cairns já fez os seus Power Rankings para 2010 e o Surfline, como sempre, já os publicou. Confesso que já começo a "enjoar" um pouco os comentários de Cairns. Por um lado, ele confia nos jovens surfistas e na sua capacidade para surpreender no Tour, o que é obviamente bom. Contudo, por outro lado, parece duvidar que a) surfistas que têm estado consistentemente no Top 5, lá continuem e b) que haja margem para surpresas (mesmo tendo previsto, algures este ano, que o Jeremy Flores fosse ter um bom resultado em Pipeline este ano).
Mesmo assim acho que devemos continuar a ler estes Power Rankings para aguçar o nosso sentido crítico e nos despertar para alguns pormenores em que poderíamos não reparar se não fosse o Coach Cairns.

Leiam, então, os Power Rankings pós Pipe, aqui.

21/12/2010

Anunciado e oficializado Top 34 do World Tour para 2011!

Dane voa em Pipeline. Sim, em Pipeline. Foto: ASP/Cestari.

Notícia entusiasmante para finalmente abrir a semana! 

A ASP revelou hoje, através de um comunicado oficial, o alinhamento do World Tour para 2011 bem como o seu funcionamento.

Antes de mais nada, vamos aos 34 surfistas (Top 22 do World Tour de 2010, os seguintes dez qualificados do AS? Worlds Ranking e dois ASP Wildcards - um para o lesionado Kai Otton e outro para Gabe Kling). São eles:

1. Kelly Slater (USA)
2.
 Jordy Smith (ZAF)
3.
 Taj Burrow (AUS)
4.
 Mick Fanning (AUS)
5.
 Bede Durbidge (AUS)
6.
 Dane Reynolds (USA)
7.
 Adrian Buchan (AUS)
7.
 Owen Wright (AUS)
9.
 Jeremy Flores (FRA)
10.
 Adriano de Souza (BRA)
11.
 C.J. Hobgood (USA)
12.
 Michel Bourez (PYF)
13.
 Chris Davidson (AUS)
14.
 Jadson Andre (BRA)
15.
 Damien Hobgood (USA)
16.
 Kieren Perrow (AUS)
17.
 Brett Simpson (USA)
18.
 Joel Parkinson (AUS)
19.
 Taylor Knox (USA)
20.
 Heitor Alves (BRA)
21.
 Matt Wilkinson (AUS)
22.
 Bobby Martinez (USA)
23.
 Fredrick Patacchia (HAW)
24.
 Kai Otton (AUS)
25.
 Patrick Gudauskas (USA)
26.
 Tiago Pires (PRT)
27.
 Adam Melling (AUS)
28.
 Daniel Ross (AUS)
29.
 Raoni Monteiro (BRA)
30.
 Josh Kerr (AUS)
31.
 Alejo Muniz (BRA)
32.
 Dusty Payne (HAW)
33.
 Julian Wilson (AUS)
34.
 Gabe Kling (USA)

É preciso ter em atenção que o seeding pode (e vai) mudar consoante o resultado destes surfistas nos primeiros eventos Star e Prime.
Havia, também, grande especulação sobre de que forma se iria processar o Tour, com vários rumores a sugerir que haveria um re-alinhamento de surfistas a cada três ou quatro eventos - ou seja, os 10 últimos surfistas no Ranking do WT seriam substituídos pelos dez surfistas a seguir ao top 22 no One World Ranking. No já referido comunicado, a ASP revela que o tal re-alinhamento será sim feito depois dos seis (!!) primeiros eventos, ou seja, depois da 6ª etapa do Tour, que será a etapa mistério (não se sabe onda ou local ao certo, nem patrocinador) na Costa Este americana. Assim, dez novos surfistas (ou não, novamente depende do One World Ranking, dos resultados Star e Prime e, consequentemente, de quem está nesse Top 10) entrarão no Tour em Trestles, a sétima etapa do Dream Tour de 2011. Isto torna uma coisa muita mais rápida e, possivelmente, fácil: a qualificação. Ou seja, agora, esta acontece duas vezes por ano, o que torna mais fácil para um surfista do WQS subir ao World Tour e a um deste descer àquele.

Outra grande, enorme, novidade é o surfista nº1 do alinhamento em cima: Kelly Slater. Ao estar confirmado pela ASP que ele estará em Snapper's no primeiro evento do ano, ele vai lá estar. Até porque, como Kelly disse ao GT após perder para o Jeremy nas meias finais do Billabong Pipeline Masters, a ASP não aceita que um surfista vá estando no Tour: ou está e vai a todos os eventos ou não está. Conclui-se que vamos ter que esperar até à primeira etapa na Gold Coast para ter a certeza absoluta de que Slater vai partir para o 11º. É que é preciso ter atenção a uma coisa, a partir de agora, são tudo datas especiais: 11 títulos em 2011, 12 títulos em 2012, 13 títulos em 2013, etc etc.

Este comunicado da ASP já me empolgou para 2011! Who's with me!?

19/12/2010

Muito, muito assustador.

Este vídeo é das coisas mais assustadoras que já vi. Mais uma vez o Surfline a trazer-nos um "Greatest Wipeout" e embora este não seja numa onda gigante, é tão assustador quanto se fosse numa. Vejam e assustem-se.

Pointbreaks e Slabs com Clay Marzo

Talento e habilidade naturais para ter uma prancha debaixo dos pés. É impressionante o à vontade do havaiano. Impressionante.

Nike 6.0 dá as boas a Alejo Muniz, rookie do World Tour em 2011

Que o Dusty Payne surfa bem, nós sabemos...

..pois temos vários filmes que o mostram: BS!, Modern Collective, Scratching The Surface, etc etc. É pena é que ele não mostre, ou melhor, mostre muito raramente, todo esse surf que tem no pé nos campeonatos do World Tour. Uma coisa é certa, Dusty não é o primeiro surfista a chegar ao Tour com a bagagem de um bom filme de surf e depois desiludir. Mas, mesmo assim, estava à espera que este Dusty Payne fosse diferente. Vejam este vídeo e confirmem que o talento do rapaz está a ficar perdido entre tantas paragens do WT, viagens, saudades de casa, etc etc..

16/12/2010

Acabou 2010! - Parko leva a VTCS, Jeremy Florés vence Pipeline Masters!



Billabong Pipe Masters Final Results:
1 – Jeremy Flores (FRA) 14.54
2 –
 Kieren Perrow (AUS) 13.77
Billabong Pipe Masters Semifinals Results:
SF 1: Jeremy Flores (FRA) 17.50 def. Kelly Slater (USA) 17.23
SF 2:
 Kieren Perrow (AUS) 15.03 def. Dane Reynolds (USA) 6.83
Billabong Pipe Masters Quarterfinals Results:
QF 1: Jeremy Flores (FRA) 14.00 def. Owen Wright (AUS) 7.43
QF 2:
 Kelly Slater (USA) 12.94 def. Adrian Buchan (AUS) 3.16
QF 3:
 Kieren Perrow (AUS) 13.00 def. Jordy Smith (ZAF) 12.00
QF 4:
 Dane Reynolds (USA) 17.00 def. Taylor Knox (USA) 3.37
ASP WORLD TOUR TOP 10 (Following Billabong Pipe Masters)
1. Kelly Slater (USA) 69000 Points
2.
 Jordy Smith (ZAF) 52250 points
3.
 Mick Fanning (AUS) 44750 points
4.
 Taj Burrow (AUS) 42000 points
4.
 Dane Reynolds (USA) 42000 points
6.
 Bede Durbidge (AUS) 39000 points
7.
 Adrian Buchan (AUS) 37250 points
7.
 Owen Wright (AUS) 37250 points
9.
 Jeremy Flores (FRA) 35750 points
10.
 Adriano de Souza (BRA) 32000 points
21. Tiago Pires (PRT) 201250 points

Top 10 masculino da Vans Triple Crown Of Surfing:
1. Parkinson, Joel 10357
2.  Wilson, Julian 8531
3.  Buchan, Adrian 7883
4.  Centeio, Joel 7670
4.  Perrow, Kieren 7670
6.  Monteiro, Raoni 7657
6.  Flores, Jeremy 7657
8.  Larsen, Granger 7651
9.  Fanning, Mick 6599
10.  Ross, Daniel 5709

Steph vence o Vans Duel For The Jewel em Pipeline!

Show das miúdas em Backdoor! Agora nunca mais podem dizer que elas não são atiradas! Eu defendo até que elas deviam ter uma etapa do WWT na onda. Vejam o vídeo, elas fizeram algo que vocês nunca vão fazer. Go girls! Claro que a Steph foi a Rainha de Pipe...havia dúvidas?

15/12/2010

O outro Coolie

Depois de publicar aqui um vídeo do Parko, tenho que publicar aqui um do Mick, claro, não vá este ficar chateado e depois deixar de vir a este blog de que tanto gosta. Ou não. Enfim. É um vídeo engraçado e mostra bem quão robótico consegue ser, ao mesmo tempo que é..hum, não robótico. Vejam o vídeo.

14/12/2010

O Parko continua sujo

Ok, é um trocadilho estúpido com o Parko e o filme "Still Filthy". Seja como for, é dos melhores clips do Coolie Kid que tenho visto. E confesso que gosto mais de ver o seu surf acompanhado por (Heavy) Metal que por músicas indie, alternativas ou mellow. Eu sou bem capaz de pôr o meio dinheiro neste senhor para 2011..e vocês?
Infelizmente, os senhores da Runamuk Visuals não em deixam incorporar este vídeo já antigo aqui no blog pelo que se o quiserem ver (e eu sei que vocês querem!), sigam este link:  Joel. First draft edit. Still Filthy from RUNAMUKVISUALS.COM on Vimeo.

12/12/2010

Best of dos Surfer Poll Awards

Tenham atenção aos discursos do Dane e do Kelly que são, ambos, de chorar a ri.
(Rapaziada, a culpa de não haver nenhum clip da Alana não é minha).

A ver, aqui.

10/12/2010

Todd Glaser

Todd Glaser é um dos fotógrafos do staff da Surfer Mag e é um dos valores mundiais emergentes da fotografia de surf - embora já publique o seu trabalho há uns anos. Glaser é responsável por algumas das mais espantosas fotografias que se viram nos últimos tempos e tem já, no seu website, um portofolio espantoso. A rapaziada da Korduroy.tv foi investigar mais sobre o californiano e lançaram este vídeo para que assim todos nós pode-se-mos ser, quase oficialmente, ser apresentados. Depois destes três exemplos de excelente de fotografias de Glaser, encontrarão o vídeo que recomendo. (carreguem nas fotografias para as aumentar)

 

09/12/2010

Raoni, Josh, Alejo e Julian confirmados para 2011!

Depois de muita especulação e confusão matemática (principalmente no Twitter..), a ASP confirmou, através do seu site, que o brasileiro Raoni Monteiro, o australiano Josh Kerr, o brasileiro Alejo Muniz e o australiano Julian Wilson estão qualificados para o World Tour de 2011! 

Depois de toda a confusão gerada à volta da não participação de Julian no Pipemasters, as coisas acabam por correr muitíssimo bem para o jovem australiano. Não é demais salientar que Julian andou ocupado com o seu filme nos últimos dois anos, correndo pela primeira vez o WQS em 2010 e só na segunda metade do ano. Só com isto, o talentoso protagonista de Scratching The Surface qualificou-se para o Tour. Alejo Muniz é a outra cara nova no Tour de 2010, o que decerto vai agradar e muito ao seu novo patrocinador principal, a Nike 6.0. Heitor Alves, Raoni Monteiro e Josh Kerr regressam em 2011 ao Tour onde já estiveram.

A qualificação destes quatro surfistas deve-se à derrota precoce no Billabong Pipematsers de todos aqueles que lhe podiam "roubar" o lugar no One World Ranking.

A úninca (re)qualificação que ainda esta pendente é a de Dusty Payne, que para estar no Tour em 2011 tem de vencer o seu heat do round 3 contra Mick Fanning.

A todos, muito merecidos parabéns.

E o Saca termina o ano com uma derrota de primeira e um 25º lugar

Aqui, num sítio onde estão a dar ondas mas que não é Pipeline. Tanto pode ser Backdoor, Off The Wall ou Gums. Ou Ehukai.

Heats do Billabong Pipeline Masters definidos

A ASP já revelou as baterias dos três primeiros rounds do evento em Pipeline, bem como o formato da competição - dual heats man-on-man até ao round 3, depois sempre man-on-man.

Aqui ficam os heats:

BILLABONG PIPE MASTERS ROUND 1 MATCH-UPS:
Heat 1: 
Adam Melling (AUS) vs. Kamalei Alexander (HAW)
Heat 2: Matt Wilkinson (AUS) vs. Clay Marzo (HAW)
Heat 3: Kai Otton (AUS) vs. John John Florence (HAW)
Heat 4: Dusty Payne (HAW) vs. Kiron Jabour (HAW)
Heat 5: Luke Stedman (AUS) vs. Ian Walsh (HAW)
Heat 6: Roy Powers (HAW) vs. Danny Fuller (HAW)
Heat 7: Travis Logie (ZAF) vs. Jamie O’Brien (HAW)
Heat 8: Luke Munro (AUS) vs. Shane Dorian (HAW)
Heat 9: Gabe Kling (USA) vs. Kalani Chapman (HAW)
Heat 10: Rob Machado (USA) vs. Granger Larsen (HAW)
Heat 11: Heitor Alves (BRA) vs. Joel Centeio (HAW)
Heat 12: Tom Whitaker (AUS) vs. Bruce Irons (HAW)

BILLABONG PIPE MASTERS ROUND 2 MATCH-UPS:  
Heat 1: Chris Davidson (AUS) vs. TBD
Heat 2: Jeremy Flores (FRA) vs. TBD
Heat 3: Jadson Andre (BRA) vs. TBD
Heat 4: Bobby Martinez (USA) vs. TBD
Heat 5: Taylor Knox (USA) vs. TBD
Heat 6: Joel Parkinson (AUS) vs. TBD
Heat 7: Fredrick Patacchia (HAW) vs. TBD
Heat 8: Kieren Perrow (AUS) vs. TBD
Heat 9: Tiago Pires (PRT) vs. TBD
Heat 10: Patrick Gudauskas (USA) vs. TBD
Heat 11: Brett Simpson (AUS) vs. TBD
Heat 12: Daniel Ross (AUS) vs. TBD

BILLABONG PIPE MASTERS ROUND 3 MATCH-UPS:
Heat 1: Taj Burrow (AUS) vs. TBD
Heat 2: Owen Wright (AUS) vs. TBD
Heat 3: Bede Durbidge (AUS) vs. TBD
Heat 4: Adrian Buchan (AUS) vs. TBD
Heat 5: C.J. Hobgood (USA) vs. TBD
Heat 6: Kelly Slater (USA) vs. TBD
Heat 7: Adriano de Souza (BRA) vs. TBD
Heat 8: Damien Hobgood (USA) vs. TBD
Heat 9: Jordy Smith (ZAF) vs. TBD
Heat 10: Dane Reynolds (USA) vs. TBD
Heat 11: Michel Bourez (PYF) vs. TBD
Heat 12: Mick Fanning (AUS) vs. TBD

07/12/2010

Tributo da Surfer Magazine a Andy Irons

Nova esperança para Julian Wilson - Chris Davidson LESIONADO

Antes de mais nada, deixem-me agradecer ao seguidor do blog de nome Pina pois foi ele que me chamou atenção para isto no post em baixo.

De acordo com uma publicação no mural da sua página de Facebook, Chris Davidson lesionou-e e provavelmente não surfará Pipeline o que abre uma vaga para a entrada em prova de Julian Wilson. De qualquer forma, ainda não é certo que Davo não participe e que Wilson seja o substituto imediato, até porque existe uma lista de alternates para surfistas do World Tour.

Deixo-vos aqui com o que "Davo" disse: "WELL GRADE 2 TEAR ,LATERAL LIGAMENT NO PIPE PROBALY FOR ME, GOOD BIRTHDAY PRESENT AND END TO A GREAT YEAR,I SUPPOSE AS THEY SAY SHIT HAPPENS AND AT LEAST I AM SITTING 11TH IN THE WORLD AND AM GOOD FOR NEXT YEAR ,I SAID IN ONE OF MY EARLIER POST JUST LET THE KID RELAX I DID NOT MEAN THIS MUCH ARRRRRRGH.".

Havai, wildcards locais, Julian Wilson e outras politiquices havaianas - crónica, opinião, reflexão, linchamento

(antes de mais nada, peço desculpa pela extensão deste texto. É um assunto sensível para mim e como tal, só paro quando paro. Acredito que este post  é interessante, pertinente e actual. Espero e acredito que também o vão achar assim.) 

Há quase dois anos atrás (faltam dois dias..), inaugurava este blog. O que me motivou a começá-lo foi o Pipeline Masters e toda a controvérsia relativa aos wildcards e "Pipe Specialists" que entram no evento. Na altura escrevi que isto era estúpido - os 16 especialistas (com a mudança para 32 surfistas no Tour, são agora, epnas, 8). Continuo a concordar com tudo o que escrevi na altura. Se querem ter 8 especialistas/locais de Pipe no evento, pá, têm que pôr 8 especialistas locais em todas as outras ondas do Tour. E não me acusem de estar a desrespeitar o Havai e os seus locais. Um havaiano é tão local de Pipeline como um português de Supertubos, um brasileiro de Santa Catarina, um sul-africano de J-Bay e etc etc etc. O surf é um desporto profissional (ou ambiciona a ser..) e como tal não pode permitir este tipo de coisas. Vêem mais 8 pilotos entrar numa qualquer corrida de F1 (a F1 e o surf são muitas vezes termos de comparação) simplesmente porque são do sítio da prova?

Mas 8? Simplesmente porque são de lá e porque ficam privados da onda durante uns dias? Então e os locais das outras ondas? Não ficam também privados? Sinceramente, acho que este "wildcard" que se dá é para aqueles meninos terem os seus 15 minutos de fama sem terem que percorrer um caminho tortuoso e difícil, o WQS, para se qualificarem para o Tour e assim poderem surfar o Pipeline Masters legitimamente. Mas argumentam vocês: "Ah, uns deles tiveram que se qualificar via o 5* da Volcom em Pipe no início do ano". Deve ser muito difícil fazer um evento por ano, numa das melhores ondas do Mundo e que conhecem como ninguém, para depois se qualificarem para o mais respeitado evento do Tour, não deve? Ui, tão difícil.

Os surfistas que legitimamente se qualificaram para o Tour, alguns com carreiras e permanência no Tour em risco, não só vão com toda esta pressão para Pipe como ainda têm que enfrentar alguns dos melhores no mundo naquela onda e que nada têm a perder para além de um bocadinho de pele roubado pelos corais de Pipe. Vamos lá falar de justiça, não é?

Ora, até ao momento, temos 12 havaianos qualificados para o evento sem estarem no WCT. Diz a ASP que a atribuição dos wildcards foi baseada nas prestação de surfistas havaianos (e só havaianos!) no Volcom Pipe Pro, na Van’s Tripe Crown e nos rankings das competições locais regionais (!!!).

Via Volcom Pipe Pro, qualificaram-se: Kamalei Alexander, Clay Marzo, Bruce Irons, John Florence, Kiron Jabour, Ian Walsh, Danny Fuller e Jamie O'Brien. Não importa que alguns destes (Bruce, Marzo e Kamalei) nem sequer tenham passado dos quartos de final no evento, enquanto os australianos Anthony Walsh e Mark Mathews tenham chegado à final, terminando em 2º e 3º, respectivamente.

No evento estão também Shane Dorian e Kalani Chapman. Estes dois, explica Júlio Adler, são wildcards convidados pelos patrocinadores. Dorian pela Billabong, Chapman pela Vans.

Via Vans Triple Crown of Surfing e após terem acabado as duas primeiras "Jóias", estão no evento Granger Larsen por ser o havaiano não qualificado para o Pipeline Masters mais bem posicionado no One World Ranking (!!!) e Joel Centeio por ser o havaiano com maiores possibilidades de ganhar a VTCS, a seguir a Granger, já qualificado pelos motivos acima descritos. 

De fora fica o australiano Julian Wilson, já anunciado o VTCS Rookie Of The Year, que alcançou o 3º lugar em Haleiwa e o 2º em Sunset e é o surfista com mais possibilidades de roubar a "Coroa" a Parko (que lidera o ranking com apenas mais 26 pontos que Wilson, o que, só ao estar em Pipe e Wilson não, lhe dá quase o título de bandeja e chuta Wilson para fora da corrida). Para além disto, Julian (mesmo só correndo meio ano de WQS), está na bolha para se qualificar para o WT de 2011 - e ao estar fora de Pipe, vê a sua qualificação muito difícil. 

E agora digam-me quem merece mais, competitivamente falando, estar em Pipeline?

Em mais uma prova da falta de profissionalismo da ASP e da WPS, estas já tinham atribuído os seus dois "ASP Wildcards" para a participação no Pipeline Masters, antes sequer de Sunset terminar. Esses dois "ASP Wildcards", vão para Rob Machado e Heitor Alves. De fora, sem "ASP Wildcard" e a precisar mais do que qualquer um deles (Rob participa por ser uma lenda e o único Pipe Masters fora da lista (?), Heitor já está qualificado para 2011 e este wildcard é uma prenda por isso mesmo), fica Julian Wilson. Ora a ASP/WPS, sabendo perfeitamente que o Havai é complicado em termos de wildcards, não podiam ter esperado até ao fim das duas primeiras jóias para dar o "wildcard", evitando esta polémica, altamente falada nos media, redes sociais e blogs, situação com Julian Wilson? Para além de que a ASP e WPS não pode dar prendas deste tipo, muito menos no Havai e no contexto competitivo das ilhas. Diz, bem, Randy Rarick, Director Técnico da VTCS, "They jumped the gun a bit and it would have been nice to have them wait like the Triple Crown did, to see the final ratings after Sunset. That would have been the only way Julian could have gotten into the event — via the ASP — since all the Hawaii slots had been allocated.”

Vamos ver agora se Julian Wilson vai entrar ou não. Shea Lopez, comentador da Surfer Mag, disse no Twitter que talvez Rob Machado cedesse o seu wildcard a Julian: "Maybe @Rob_Machado will giv his spot. He’s a nice guy". Se me permitem, somos todos bons rapazes mas no fim é o que se vê. Sinceramente, duvido que o Machado ceda o seu wildcard

Ainda nesta questão toda, falta falar do Raoni. Mas aí é fácil. O ranking da VTCS é o seguinte: 1- Parko com 8557 pontos; 2 - Julian Wilson com 8531 pontos; Raoni com 7657 pontos; Joel Centeio com 6417 pontos; Granger Larsen com 6398 pontos. Recuperando tudo o que foi dito para trás: estão no evento Granger, Joel, Heitor e Machado. Deviam estar, para uma luta justa pela Triple Crown, Granger, Joel, Raoni e Julian.


E agora ASP, o que vais fazer hoje à noite? Nada, não é?


P.S. Em situação normal, a ASP só teria uma vaga por atribuir. Com a trágica morte de Andy Irons, ficou com duas vagas e daí os dois "ASP Wildcard's"


P.P.S. Para evitar ferir sensibilidades, defendo o Julian em vez do Raoni porque o australiano tem mais hipóteses de levar a "Coroa" que o brasileiro. A situação ideal, obviamente, seria entrarem Julian e Raoni em vez de Heitor e Machado.


P.P.P.S. Saibam mais sobre todas as questões aqui abordadas neste post da Surfing Magazine.