31/10/2010

Oscar Niemeyer

Vivo e bem vivo aos 103 anos de idade. Roubado daqui.

"Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein."

Monstros marinhos no Oeste Australiano

30/10/2010

Incrível Kirra! Fantástica! Impressionante!

E quando digo incrível, é mesmo INCRÍVEL! Vejam este vídeo da rubrica "Super Sessions" do Surfline.com! Destaque para o Josh Kerr e para a recuperação de Joel Parkinson! Já viram como ele está a surfar bem? Não, não viram! Vejam este link e babem-se! Vejam o Parko num tubaço, em pé e de braços em pé! INCRÍVEL!

Saca rico!

Mesmo com um ouriço espetado (ele deve estar bem habituado...Ribeira D'Ilhas e Coxos eheheh), Tiago Saca Pires deu uma lição lá em Porto Rico. Vejam lá como o homem tá a surfar bué!

Os heats do evento feminino do Rip Curl Pro Search em Porto Rico

A ASP já anunciou os heats do evento feminino do Rip Curl Pro Search em Porto Rico. As senhoras vão para a água a seguir aos homens - que já estão na água.

Tal como já tinha sido anunciado, o wildcard feminino é a havaiana Bethany Hamilton. Também a francesa Pauline Ado e a americana Sage Erickson estão no evento, como "substitutas" das lesionadas Jessi Miley Dyer e Amee Donohoe, ambas australianas.

Fiquem, então, com os heats do evento do WWT:

RIP CURL WOMEN’S PRO SEARCH PUERTO RICO ROUND 1 MATCH-UPS:
Heat 1: Chelsea Hedges (AUS), Melanie Bartels (HAW), Bruna Schmitz (BRA)
Heat 2: Sofia Mulanovich (PER), Paige Hareb (NZL), Nikita Robb (ZAF)
Heat 3: Stephanie Gilmore (AUS), Rosanne Hodge (ZAF), Pauline Ado (FRA)
Heat 4: Sally Fitzgibbons (AUS), Claire Bevilacqua (AUS), Bethany Hamilton (HAW)
Heat 5: Silvana Lima (BRA), Rebecca Woods (AUS), Sage Erickson (USA)
Heat 6: Carissa Moore (HAW), Coco Ho (HAW), Lee Ann Curren (FRA)

29/10/2010

Mais um freesurf françês de alto nível, por alturas do Quiksilver Pro France..

Vida de juíz ASP..

Entrevista da Stab Mag a Pritamo Ahrendt, um dos chefes de juízes da ASP em eventos World Tour e Prime, para além de ser o "inventor" do novo formato dos eventos do World Tour.

Recomendo que cliquem neste link e leiam a entrevista.

“Do irate surfers ever approach you outside of hours over a tough call? Honestly, when I first started in 1999, the surfers were much more aggressive and fiery and there were often blow ups and altercations and a fair bit of vibing but over the last 8 or so years we have built up a lot more respect and there is rarely more than the odd verbal tirade, which is usually fined. I haven't been approached other than the odd query or heat of the moment vibe in a long time. There is a protocol with which surfers need to fill out a complaint form and hand it to the beach marshal and it’s dealt with at the end of the round or. I'm sure its hard for the surfers sometimes when they lose heavy, close heats then see us in the surf, at the restaurant, at the hotel and at the airport. But honestly, I feel there is quite a cool respect from the surfers. When you watch any sport, the judges and the referees are always getting criticised. They're the ones making the hard calls and most of the punters are out there not knowing all the rules and the ins and outs of a sport. Most people just love the controversy.

Can you recount one of your most tense days at the office? The 2003 Pipe Masters when K.S (Kelly Slater) and A.I (Andy Irons) were going head to head for the title. They surfed the heat after each other from the 4th Rd. There were literally seven heats in one day that could have decided the ASP World Title. The judges' whole year of work and the two surfers' whole year of competing came down to one day. That's a lot of high-pressure situations. The title was decided in the final and there was almost an interference situation, which would have made it even gnarlier.”

28/10/2010

Marzifonia? Clayfonia?

Meter para dentro

Quando vi este vídeo lembrei-me imediatamente do que o Júlio Adler me disse uma vez: para mandar bons tubos, é preciso meter muitas, muitas, muitas vezes para dentro. Só esta muito simples lembrança justifica pôr aqui o vídeo, mesmo não sendo este nada de especial. No vídeo, o louco australiano Andrew Mooney surfa umas direitas buracosas. (fonte)

Innersection: o trailer do filme

Saibam mais, aqui.
Innersection Movie Trailer 1 from INNERSECTION on Vimeo.

27/10/2010

Crónicas de Peniche vol.2 "Prever Peniche"

(agora com tempo para ser diárias, embora a sua actualidade tenha passado um pouco. São impressões de mais um estada em Peniche e de mais um campeonato do World Tour)

É impossível. É tão impossível que quase faz me questionar o uso de um sistema de previsões como o MagicSeaweed no Rip Curl Pro Portugal. Este ano vinha um swell gigante. Viu-se. O evento ia acabar em Supertubos clássico. Viu-se. Nos dias dos Belgas não deram Supertubos. Viu-se. O ano passado era impossível estar offshore naquela terça feira. Viu-se.
A culpa não é de ninguém, vamos desde já estabelecer isto. Nem do MagicSeaweed, nem da Rip Curl, nem da ASP, nem dos surfistas. É simplesmente Peniche e a sua relação conturbada com a Mãe Natureza. Se pensarmos nos termos do Direito, a península de Peniche pode ser vista como aquele advogado/jurista cujo maior objectivo é procurar formas de contornar a Lei e assim actuar nos casos - seja para o bem, seja para o mal.

Qualquer evento deve ser realizado na melhor altura do ano no que toca a ondas para esse local, isto é óbvio. Ajuda, também, que seja na altura do ano em que mais frequentemente foram avistadas boas ondas  nesse determinado local - pense-se no intervalo de Novembro a Fevereiro no Havai.
Em Peniche também funciona assim. Sabe-se que vão chegar ondulações fortes à costa penichense por alturas do Outono. O que vai acontecer depois, é o que não se sabe. Mas desde que as tais ondulações cheguem, alguma coisa há-de acontecer e quando acontecer, vamos poder contar com a confortável e útil polivalência da península.
Para além de que, como dizia um espectador do evento pelo qual passei numa das minhas caminhadas pela areia, "We will always have Belgas".

Assim, o melhor é mesmo deixar as coisas como estão pois mesmo que nos queixemos, nada vai mudar (felizmente). Só temos que esperar que algo aconteça e que Peniche tenha acordado para o lado certo. Depois o resto, que sera sera ...

"Now" de Chippa Wilson e realizado por Riley Blakeway

Se estess "clip" ficaram de fora do "Now", imaginem só a quantidade de truques que o filme não deverá ter.. Será que é surf ou surkate? Temos que esperar pelo filme para saber responder a isto..

26/10/2010

Os heats do Rip Curl Pro Search em Puerto Rico


No vídeo, o teaser do evento!

A ASP já revelou a folha de heats para o próximo evento masculino do World Tour, o Rip Curl Pro Search em Puerto Rico. Esta folha de heats ainda não conta com os wildcards. Contudo, já se sabe que um deles virá dos trials e o outro será o norte-americano (de Malibu na Califórnia) e atleta da marca, Dillon Perillo.

Ainda falta divulgar a folha de heats para o evento feminino, sendo que já se sabe que a wildcard será a havaiana e atleta da marca, Bethany Hamilton.

Não se esqueçam que a corrida ao título está reduzida a apenas dois surfistas, Kelly Slater e Jordy Smith e que Slater pode-se já sagrar campeão em Puerto Rico, sendo que:
-Se KS ficar em 3º ou melhor, é campeão mundial (independentemente do resultado de JS);
-Se KS ficar em 5º ou 9º, JS precisa de 1º;
-Se KS ficar em 13º ou 25º, JS precisa de 3º;
-Se JS ficar em 5º ou pior, KS é campeão (mesmo perdendo de primeira).

Fiquem, então, com o "heat draw" do evento masculino.

RIP CURL PRO SEARCH PUERTO RICO ROUND 1 MATCH-UPS:
Heat 1: Adrian Buchan (AUS), Kieren Perrow (AUS), Travis Logie (ZAF)
Heat 2: Dane Reynolds (USA), Taylor Knox (USA), Roy Powers (HAW)
Heat 3: Taj Burrow (AUS), Tiago Pires (PRT), Luke Munro (AUS)
Heat 4: Mick Fanning (AUS), Patrick Gudauskas (USA), Gabe Kling (USA)
Heat 5: Jordy Smith (ZAF), Brett Simpson (USA), TBA
Heat 6: Kelly Slater (USA), Daniel Ross (AUS), TBA
Heat 7: Bede Durbidge (AUS), Fredrick Patacchia (HAW), Dusty Payne (HAW)
Heat 8: Owen Wright (AUS), Andy Irons (HAW), Luke Stedman (AUS)
Heat 9: Adriano de Souza (BRA), Bobby Martinez (USA), Kai Otton (AUS)
Heat 10: Damien Hobgood (USA), Jeremy Flores (FRA), Matt Wilkinson (AUS)
Heat 11: C.J. Hobgood (USA), Jadson Andre (BRA), Tom Whitaker (AUS)
Heat 12: Michel Bourez (PYF), Chris Davidson (AUS), Adam Melling (AUS)

24/10/2010

Crónicas de Peniche vol.1 "(Auto-)Recomendação para o futuro"

(agora com tempo para serem quase diárias, embora a sua actualidade tenha passado um pouco)

Das duas vezes que o World Tour chegou a Peniche, senti-me estúpido. A razão é muito simples: temos em Portugal uma praia/onda/península que recebe alguns dos melhores do Mundo e eu não vou, quase nunca, lá surfar? Peniche é a uma hora de carro de Lisboa, tem óptimos sítios para comer e bons (e baratos) sítios onde ficar, ondas de todo o tipo e para todas as ondulações e vento e eu continuo a ficar em casa ao fim-de-semana a ver passar navios (às vezes literalmente)? Sim, de facto não são todos os fins-de-semana que se pode fazer uma mini-surftrip. E fazer uma missão de um dia em terras penichenses sabe sempre a pouco. Mas mesmo assim, porque raio não vou eu surfar mais vezes a Peniche? Eu vou-me humilhar publicamente com isto mas....sabem quantas vezes surfei em Peniche depois do Search o ano passado? Uma e foi para aí duas semanas depois do evento. No espaço de um ano, surfei uma vez no palco do evento do Dream Tour em Portugal. Sinceramente, algo não bate bem comigo e com a minha "malta do surf" e não há faculdade, trabalho, família, namoradas, que justifiquem uma única ida aos Super, Molhe Leste, Canto da Baía, Cantinho da Baía e Baleal, Prainha e Lagide, Belgas e por aí adiante, no espaço de um ano.

Assim, o que recomendo é o seguinte: se forem portugueses a viver no Continente, há poucas coisas que justifiquem não se ir a Peniche pelo menos uma vez por mês. Se não forem portugueses, nada justifica virem a Portugal e não surfarem na terra do "Coolest Mayor on Tour". Não, nem mesmo duas semanas seguidas de Ericeira a bombar. Seja como for, sejam portugueses ou não, encontramos-nos lá. Vão uma sardinhas para a mesa do fundo?

23/10/2010

Paul Fisher volta a fazer das suas..

..com dois vídeos muito engraçados que colocou no seu blog Follow The Fish. O primeiro vídeo é  do Hurley Pro Trestles 2010 (ao mesmo estilo daquele que já tinha feito o ano passado e que era manifestamente divertido) e o segundo vídeo.. só mesmo visto.

Deixo-vos aqui os dois vídeos. Desejos de boas risadas e bom fim-de-semana!


Quem é Flynn Novak?

Muito provavelmente, alguns de vocês não sabem nem querem sabe quem é este jovem surfista havaiano que acabou de ganhar o Kustom Airstrike. Não é nem de estranhar, nem de admirar. Confesso que Novak também não é um surfista que me interesse especialmente, nem mesmo com o seu "Flynnstone Flip" (uma manobra incrível mas que tem pouco a ver com surf). De qualquer forma, vim a descobrir que Novak tem uma história de vida interessante (com que me identifico em alguns momentos) e que essa história merece ser lida pois oferece uma visão quase diametralmente oposta à da realidade do surf profissional com que estamos habituados a lidar diariamente.
Como é bem sabido de todos, graças às diversas "campanhas" pró-Novak que inundaram a "surfoserfera" nos últimos meses, Novak não tem um grande patrocinador (main sponsor) e este facto dá-lhe uma liberdade de abordagem a certos assuntos que não é permitida (por diversos motivos, uns menos inocentes que outros..) a um surfista normal. Este é talvez o único verdadeiro aspecto interessante em Novak. Isto conciliado com alguns dedos de testa que o havaino de 27 anos visivelmente tem, resulta em alguns pontos de vista fortes e bem vincados que valem muito a pena ler e "desconstruir".
Assim, e porque a australiana Waves Surfing Magazine fez um bom trabalho ao pôr-lhe um gravador à frente e lhe dar liberdade total para falar, recomendo que leiam esta peça/artigo/entrevista da Waves ao Novak.
Para vos motivar a irem dar uma olhada no link (motivação que bem precisam visto que o Novak não é definitivamente um chamariz de interesse), deixo-vos aqui algumas passagens da tal peça/artigo/entrevista.

"The big companies practically run the editorial output of the magazines. If you don’t have the right sponsors, you’ll never get any coverage. And I’m the perfect example."

"The back cover and the front cover are exactly the same: they’re advertisements too along with every other page inside the magazine. I worked for a couple of magazines and I’ve seen it go down in the office first hand."

"My Flynnstone Flip is legit; it’s the first true backflip completed on a surfboard.I shouldn’t have to be the one to say it, but it’s all good. I can’t stop here, I’ve been self-promoting for years. The difference between my Flynnstone Flip and all other airs that have the word ‘flip’ in them is that mine has a ‘vertical rotation’ instead of a ‘horizontal rotation’. And for any technician, that’s a big difference."

22/10/2010

Dá-lhe Saca!

São ondas destas que o "Portuguese Tiger" anda a fazer na Ericeira. Vale a pena ir ver, não? E olhem que ele já está nos quartos de final.. Sigam o evento carregando no "logotipo" do mesmo colocado no início da barra lateral direita (ou indo à praia!).

21/10/2010

Peniche. Shea Lopez vs Ian Cairns: com qual concordam?

Como em tudo na vida, há pelo menos dois lados em cada questão. Peniche e o evento do World Tour é, aparentemente, uma dessas questões. Shea Lopez, ex-top 45 e agora analista online da Surfer Mag, diz maravilhas do evento português. Ian Cairns, fundador da ASP, treinador da equipa americana de surf e novo autor dos Power Rankings, critica o nosso Rip Curl Pro Portugal. Deixo-vos os argumentos de ambos, com qual concordam?

Shea Lopez, aqui.
"(..)let me say Portugal turned up and turned it on for this year’s event. No matter which site—weekday or weekend—the crowds of surf fans gathered at the water’s edge to see their favorite surfers up close and personal, showing a tremendous amount of appreciation for the excellent surfing on display. To me it appeared to be a grassroots U.S. Open with the huge crowds, but in a much more toned-down atmosphere where everyone at the beach was hanging on every tube-ride or massive air. Good call Rip Curl on planting the Search event there permanently after last year’s success. The combination of excellent surf ranging from barreling Supertubos to the ultra launchable ramps of Belgas was a real treat again. This combination requires the winner to be ready for anything every day and able to excel at both disciplines if they hope to make it deep into the event."

Ian Cairns, aqui.
"I seriously struggle with the idea that the waves around Peniche are equal to a WT status event.Supertubos is awesome for half a day on a perfect swell with the right tides and winds, but the rest of the waves they've run the event in make Huntington look sweet. Nonetheless, there is a whole group of WT surfers who seem to like the waves: Wilko and Taj wanted to surf Belgas, so I guess there is a place for a beachbreak event. Personally, I'd have all the events on reefs with tradewinds."

20/10/2010

Ainda Trestles, agora com o melhor vídeo que já vi

Pondo todas aquelas fotografias e cor-de-rosices de lado, toda a fixação feminina e admiração de fã, ou seja, se só deixassem a acção de surf, mesmo com aqueles efeitos de "slow motion" e em tom cinza, este vídeo seria ainda melhor. De qualquer forma, recomendo-vos verem este filme para verem quão bom foi o Hurley Pro Trestles. Tenham especial atenção a:
- ao surf do Kelly Slater. Reparem bem nas curvas que ele faz nas ondas, as guinadas que dá, a linha que assume, a água que manda;
- a velocidade de Mick Fanning nas manobras e respectiva recuperação;
- a velocidade de Taj Burrow (e comparem-na com a do Mick);
- a espontaneidade de Dane Reynolds e respectiva brutalidade;
- a inconsequência de Jordy Smith misturada em quase-perfeito flow.

Vejam o vídeo, em fullscreen e HD.

Calendário Reef 2011 - recomendo fullscreen

Surfline's Power Rankings pós Portugal

Como já vem sendo habitual, o Surfline publicou os "Power Rankings" do Coach Ian Cairns. De leitura quase-obrigatória sem a minha recomendação, espero que sigam este link e os leiam.

Sobre o nosso Saca e sobre o Slater, está mesmo na mouche. Leiam meus caros e minhas caras, aprendamos todos um pouco mais sobre surf através de alguém que, manifestamente, sabe mais que nós.

19/10/2010

Alana Blanchard

Recomendo, vivamente!!!!, o último post da Alana Blanchard no seu blog. Fiquem com o link directo para o post e com uma amostra de duas fotografias do que poderão ver quando seguirem o link - (as senhoras/raparigas/meninas que seguem este blog que me desculpem).


E em baixo, as fotografias (tiradas pelo fotógrafo da Surfing Mag, Jimmy "Jimmicane" Wilson) - cliquem nas fotografias para as aumentar.


"Contra a crise, surfar, surfaaaaaaar!"

Tive que citar o fantástico título dado pelo editor online da Surf Portugal, Vasco Mendonça.

O título é dado a uma excelente crónica feita pelo meu caro amigo e companheiro de ondas, Pedro Adão e Silva, na edição de sábado dia 9 de Outubro de 2010 do Expresso, onde começou a escrever há algumas semanas. Nesta crónica, Pedro Adão e Silva continua a sua (e nossa) batalha para provar que o mar em geral e o surf em específico são formas de combater a crise económica que assola o nosso país há dez anos e que se tem vindo a agravar, fruto do contexto económico internacional (iniciado com a crise do "subprime"), nos último três anos. O Pedro refere, bem, o recente exemplo de Peniche e dos campeonatos do World Tour que lá se realizaram este ano e o ano passado. Saibam mais, porque vale mesmo a pena, seja de que país forem (dica para os meus amigos brasileiros), seguindo este link.

Deixo-vos, também, com um "teaser" da mesma crónica.

""O retrato do país tem-se tornado todos os dias mais negro: desemprego elevado, contas públicas desequilibradas e um potencial de crescimento económico medíocre. A justa sensação com que se fica é que não se vislumbram perspetivas. Posto de modo simples, só temos uma saída económica para a crise: produzir bens que os chineses não possam imitar e que os alemães não sejam capazes de produzir com maior qualidade. Infelizmente, não há muitos exemplos de bens deste tipo. Mas temos um ativo económico que, por mais que tentem, nem chineses, nem alemães serão capazes de produzir: ondas de qualidade para praticar surf, como aquelas em que os melhores surfistas do mundo competirão ao longo destes dias em Peniche."

Pensas que sabes "Hackar"?

Hackar: arte de fazer um "hack".
Hack: arte de usar o rail com "power" a fazer carves, cutbacks, roundhouses...
Power: água no ar, violência, Matt Hoy
Matt Hoy: jovem senhor, ex-WCT, surfista power, professor de groms viciados em aéreos - confirmem estas entradas com o vídeo em baixo.

So You Think You Can Hack? from Waves Magazine on Vimeo.

Basicamente, ele já ganhou o 10º título..

Se já pensaram o que é preciso para o Slater ganhar (ou não) o título mundial, agora têm uma excelente resposta da revista Surf Portugal .

Saibam o que é preciso (como se fosse preciso muito..) aqui.

Trestles com a Go-Pro

Depois de vermos o êxtase que foi o Hurley Pro Trestles, assistir a um vídeo filmado com uma Go-Pro do que é surfar aquela onda íncrivel parece bem, não parece? Dêem uma olhada..

Tyler Wright e Jack Freestone ganham primeira etapa do Circuito Mundial Júnior!








(fonte)


OAKLEY ASP WORLD PRO JUNIOR FINAL RESULTS (MEN’S):
1 – Jack Freestone (AUS) 13.84
2 – Dale Staples (ZAF) 8.44
OAKLEY ASP WORLD PRO JUNIOR SEMIFINAL RESULTS (MEN’S):
SF 1: Jack Freestone (AUS) 12.84 def. Caio Ibelli (BRA) 11.83
SF 2: Dale Staples (ZAF) 16.83 def. Mitch Crews (AUS) 15.33
OAKLEY ASP WORLD PRO JUNIOR QUARTERFINAL RESULTS (MEN’S):
QF 1: Jack Freestone (AUS) 14.10 def. Nat Young 13.57
QF 2: Caio Ibelli (BRA) 13.83 def. Conner Coffin (USA) 11.76
QF 3: Mitch Crews (AUS) 18.23 def. Kiron Jabour (HAW) 17.86
QF 4: Dale Staples (ZAF) 18.06 def. Evan Thompson (USA) 12.90
OAKLEY ASP WORLD PRO JUNIOR FINAL RESULTS (WOMEN’S):
1 – Tyler Wright (AUS) 13.40
2 – Alizee Arnaud (FRA) 12.67
OAKLEY ASP WORLD PRO JUNIOR SEMIFINAL RESULTS (WOMEN’S):
SF 1: Alizee Arnaud (FRA) 13.97 def. Sage Erickson (USA) 12.84
SF 2: Tyler Wright (AUS) 16.00 def. Airini Mason (NZL) 11.34
OAKLEY ASP WORLD PRO JUNIOR QUARTERFINAL RESULTS (WOMEN’S):
QF 1: Sage Erickson (USA) 13.50 def. Malia Manuel (HAW) 11.83
QF 2: Alizee Arnaud (FRA) 17.33 def. Laura Enever (AUS) 9.23
QF 3: Airini Mason (NZL) 14.50 def. Diana Cristina (BRA) 13.83
QF 4: Tyler Wright (AUS) 19.17 def. Lakey Peterson (USA) 16.17

G-Land

Depois deste slideshow do Surfline, em que a equipa da Quiksilver (sem o Kelly e Dane) está a surfar G-Land - sem apanharem a melhor secção, Speedies - espero que a ASP leva o World Tour de volta à onda. Uma das melhores ondas (e esquerdas) do planeta, também das mais consistentes, G-land já ofereceu bons campeonatos e excelentes momentos de surf e é mais que digna de receber uma etapa tanto do World Tour como do Women's World Tour. 

18/10/2010

Lost...

Não, não é um post sobre a famosa marca de pranchas do Matt Biolos. É mais um post sobre este blog e sobre mim. Durante Peniche e neste pós Peniche, o blog tem andado meio parado. Isto deve-se a várias coisas:
- o trabalho em Peniche foi extenuante ou lá perto, embora óptimo;
- recuperar do cansaço de Peniche;
- compensar os 9 dias que estive fora de casa..;
- mudar o blog (não sei se repararam...);
- entre outros..

De qualquer forma, e para isto serve o presente, estou de volta à acção.

Se virem notícias desactualizadas, estou apenas a pôr tudo em dia.

Desculpem os últimos dias (semanas?) e.....stay tunned!

Diz o sábio Sunny Garcia "Tricks are for kids"

16/10/2010

Oops, tire-se o chapéu ao melhor marinheiro

Pena terem cortado o "tirar de chapéu" que Chris Davidson fez a seguir à saudação. Oops, que grande alley oops..

Kelly Slater vence o Rip Curl Pro Portugal















RIP CURL PRO PORTUGAL MEN’S FINAL RESULTS:
1 – Kelly Slater (USA) 13.33
2 – Jordy Smith (ZAF) 11.43
RIP CURL PRO PORTUGAL MEN’S SEMIFINAL RESULTS:
SF 1: Kelly Slater (USA) 16.03 def. Chris Davidson (AUS) 12.20
SF 2: Jordy Smith (ZAF) 14.00 def. Jeremy Flores (FRA) 10.57
RIP CURL PRO PORTUGAL MEN’S QUARTERFINAL RESULTS:
QF 1: Chris Davidson (AUS) 9.50 def. Adrian Buchan (AUS) 7.50
QF 2: Kelly Slater (USA) 15.24 def. Damien Hobgood (USA) 12.56
QF 3: Jeremy Flores (FRA) 14.17 def. Owen Wright (AUS) 13.67
QF 4: Jordy Smith (ZAF) 13.70 def. Patrick Gudauskas (USA) 12.50
RIP CURL PRO PORTUGAL MEN’S ROUND 5 RESULTS:
Heat 1: Chris Davidson (AUS) 11.84 def. Michel Bourez (PYF) 9.94
Heat 2: Damien Hobgood (USA) 11.10 def. Matt Wilkinson (AUS) 10.83
Heat 3: Owen Wright (AUS) 13.40 def. Travis Logie (ZAF) 9.73
Heat 4: Patrick Gudauskas (USA) 15.00 def. Jadson Andre (BRA) 8.16

11/10/2010

Caracol

As coisas têm estado bastante lentas aqui pelo blogue e eu sei disso. A verdade é que eu não esperava ter tanto trabalho aqui em Peniche (mas ainda bem que tenho!). Esperava poder postar todos os dias, contar aquilo que vejo e que estou a viver por cá (outra vez) mas isto não tem sido nada fácil e o dia continua com vinte e quatro horas das quais pelo menos seis têm que ser passadas a dormir e outras cujo número depende das condições do mar, passadas dentro de água. 
Escrever um post é uma coisa mais ponderada e daí eu ter apostado bastante nos tweets e no meu twitter onde estou limitado a 140 caracteres. Fácil, rápido e económico. Para isto serve o Twitter, certo? De qualquer forma, não queria deixar passar este momento em que tenho tempo para vos dizer isto. Já consigo ver com toda a certeza que um evento do WT disputado num beachbreak oferece que amanhã devo ter mais tempo. Vou fazer um upload para aqui de algumas fotografias que tirei e deixarei por cá também algumas estórias do que se tem passado aqui em Peniche. 
Da cobertura do evento por parte de média estrangeiros que tenho lido, a do Surfline parece-me a melhor. Sigam lá também o que se passa aqui em Peniche. 

Amanhã voltarei com um post decente!

Women's World Title ou We Win Too (Nova crónica no site da SP)

“E o que ganham as senhoras que fazem parte do Tour? Segundo Diogo Alpendre, um dos emissários da SURFPortugal em Peniche, cada vez mais respeito, admiração, valor e corações.

Numa praia do Lagide muito bem constituída apercebi-me que de um ano para o outro, de Rip Curl Pro Search Peniche para Rip Curl Pro Portugal, o olhar para com o WWT mudou. Se o ano passado já era notável, este ano, mesmo com menos pessoas na praia, foi incrível. Não só na Internet como na areia, entre público, staff e outros competidores. Interesse a sério! As palmas que soavam nas melhores manobras do dia e sobretudo na consagração de Steph e Carissa foram palmas sentidas, palmas que podiam ser de um evento masculino mas que felizmente começam a ter uma identidade própria."

Continuem a ler esta crónica, aqui.

10/10/2010

Carissa Moore domina Rip Curl Pro Portugal!




RIP CURL WOMEN’S PRO PORTUGAL FINAL RESULTS:
1 – Carissa Moore (HAW) 17.44 2 – Stephanie Gilmore (AUS) 8.60
RIP CURL WOMEN’S PRO PORTUGAL SEMIFINAL RESULTS:
SF 1: Stephanie Gilmore (AUS) 12.93 def. Sofia Mulanovich (PER) 8.80 SF 2: Carissa Moore (HAW) 17.66 def. Claire Bevilacqua (AUS) 8.50
RIP CURL WOMEN’S PRO PORTUGAL QUARTERFINAL RESULTS:
QF 1: Sofia Mulanovich (PER) 12.17 def. Chelsea Hedges (AUS) 6.40 QF 2: Stephanie Gilmore (AUS) 14.34 def. Paige Hareb (NZL) 8.17 QF 3: Carissa Moore (HAW) 15.10 def. Sally Fitzgibbons (AUS) 13.33 QF 4: Claire Bevilacqua (AUS) 12.00 def. Silvana Lima (BRA) 9.10
ASP WOMEN’S WORLD TITLE RACE TOP 5 (After Rip Curl Pro Portugal):
1. Stephanie Gilmore (AUS) 5688 pts 2. Sally Fitzgibbons (AUS) 4776 pts
3. Sofia Mulanovich (PER) 4344 pts
4. Silvana Lima (BRA) 4164 pts
5. Carissa Moore (HAW) 3852 pts