31/08/2010

Esquerdas para lá de perfeitas..

...na última Super Sessions do Surfline. Tenham cuidado, nem eu nem o Surfline nos responsabilizamos ou justificamos demissões, gastos súbitos ou desaparecimentos repentinos. Sim, o vídeo é isso tudo e ainda mais!

Craig Anderson, Asher Pacey, Ian Walsh, Laurie Towner, Ozzie Wright e Josh Kerr: aqui.

(para quem não reparou, são alguns dos melhores tuberiders deste Mundo). 

Oh yeah!

Daqui. E está on.

30/08/2010

Teahupoo está finalmente on..

..com ondas de 1,5 metros, com muito bom aspecto. O Saca venceu o seu heat e já está no round 3. O Slater também já está no round 3 e ganhou no seu heat ao Andy Irons.

Escusado será dizer, vejam o evento. Já estão a perder!

As 9 melhores entradas do Kustom Airstrike

É minha opinião de que o Kustom Airstrike deste ano foi de qualidade muito inferior ao desejado. É importante não esquecer que estamos a presenciar um dos maiores avanços técnicos da história do surf mundial, portanto, era de esperar coisas mais avançadas que manobras tipo aéreos reverses, kerrupts e aéreos 360. Sim, temos um backflip do Flynn Novak, manobra que já é tentada há muitos anos e que, surpreendentemente, foi o havaiano o primeiro a aterrar. Temos também um "Big Spin" do Chippa Wilson, uma manobra extraordinariamente complexa para se fazer numa prancha de surf.
Mas são duas manobras em várias! Por 50.000 dólares! Porque não tentam "double sushi rolls" ou aterram 720? Quase que vale a pena perguntar..serão o "Backflip" e "Big Spin" manobras assim tão progressivas para o ano 2010?
E porque raio não está este aéreo do Alejo Muniz a concorrer?
De qualquer forma, aqui vão as 9 melhores entradas do Kustom Airstrike deste ano:

Snappers

Uma surfada em Snappers é cheia de altos e baixos. Altos = tubo. Baixos = ter 80000 surfistas a passar na parede da onda na saída do tubo + aterrar em cima de um deles. 

29/08/2010

Flores, Reynolds e Slater partem a loiça enquanto esperam por Teahupoo

...que pelo 7º dia consecutivo, teima em não aparecer, tornando este Billabong Pro Teahupoo 2010 um verdadeiro teste de nervos não só para os surfistas como (e aqui arrisco "principalmente") para a ASP. Este que é um dos eventos mais "dramáticos" do ano, graças ao já conhecido e amplamente falado "cut". Será que vai ser cancelado? Será que vão esticar o período de espera?

Seja como for, sigam o evento aqui e vejam aqui (no blog do Jeremy Flores) a Team Quiksilver no Tour a partir a loiça numa direita com muito bom aspecto e outra com um aspecto mais assustador, logo ali ao lado do "Fim da Estrada".

Quantos camiões cabiam e quantas formigas saíam?

Sim, estou a falar de um tubo, do Bruce Irons e no México. Adivinhem aqui!

26/08/2010

Quê? Um "Big Spin" numa prancha de surf?

Muito seriamente, este gajo, o Chris "Chippa" Wilson, é dos surfistas mais técnicos à face da Terra. Este vídeo é uma entrada de última hora (faltam 5 dias para acabar..) no Kustom Airstrike.

Que (se) Dane!

Dane Reynolds é o surfista mais "in" do momento. O talento e a persona alimentam as mentes de surfistas comuns, desde o mais pequeno grom ao mais veterano dos Velhos do Restelo. "-Favourite surfer? - Dane Reynolds". Dane é seguido, copiado e admirado, quer ele queira quer não. Dane faz coisas estranhas que ninguém percebe mas que todos dizem gostar.  Dane é o novo leader. "Follow the leader". Se viessem aliens à Terra e se a primeira pessoa que raptassem fosse um surfista, quando lhe dissessem "Take me to your leader" o pobre do surfista raptado levava os ET para Ventura. Hoje, só dá Dane.

Assim, não é de estranhar que o novo filme do Dane Reynolds, Thrills, Spills, And Whatnot, onde o surf só aparece como bónus (literalmente, é um dos bónus do filme), seja quase um dos acontecimentos do ano. Não se sabe o que vai sair de lá mas hey, é do Dane...e, portanto, merece ser visto.

A Transworld (link transmitido a mim pelo amigo Vinícius), talvez uma das mais excitadas revistas de surf do Mundo (Chris Cotéeeeeeeee!!!!), está a acompanhar a "produção" do filme desde o início com atenção e hoje saiu-se com estas seguintes informações e com o trailer do filme, que podem ver em baixo.


"Thrills, Spills, And Whatnot

Directed by: Yani Lidori
Approximate Budget: $100,000
Soundtrack: Noise, Courtney’s band, some half songs and snippets of bands you’ve never heard of.
Locations: Caribbean, California, France, Nicaragua, and Mexico.
Production Time: A little more than a year.
Guest Stars: No real guest sections, but cameos by Adam Virs, Courtney, Dan Malloy, Ben Bourgeois, Julian Wilson, Dion Agius, Dusty Payne, and Kelly Slater.
Length: About a half hour.
Shot on: 8mm film on Bolex cameras, some 16 mm, a little bit of HD.
Price: TBA
Bonus Material: Don’t like art? Don’t fret, there’s a bonus section on the disc that has 45 minutes of straight Dane Reynolds ripping—and yes, he is ripping."

Deixo-vos aqui também o início da análise que o Chris Coté (!!!!!!!) fez do filme e que poderão continuar a ler aqui.
"If you’re expecting to see Dane Reynolds First Chapter Part Two, take those expectations and shove ’em.Thrills, Spills, And Whatnot takes the subtle weirdness we saw in First Chapter and cranks it up a notch to a level of oddity and artistic license we’ve never been privy to in the surf world. This is not a surf movie; it’s an art project, and a pretty damn good one at that (..)"

Como este post é sobre o Dane, tinha que ter pelo menos um vídeo do homem do momento a partir a loiça como só ele sabe. Assim, aqui fica um vídeo publicado hoje pelo Surfline.

25/08/2010

Josh Kerr...há oito nos atrás.

Este vídeo, postado por Josh Kerr no seu website, faz parte de um antigo filme de surf da Rusty, o Cop It, feito há 8 anos atrás. Para oito anos atrás, quando o surf aéreo ainda não estava tão exposto e desenvolvido como agora, estão alguns aéreos e manobras bem inovadoras e "groundbreaking" que juntamente com o surf alguns surfistas da turma californiana e outros australianos, de certeza que ajudaram a cimentar o actual surf hi fi. Destaque para a altura dos aéreos, para os alley-oops e tipos de "grab", para os tubos e para a música muito "early-2000". Sem esquecer claro, o facto de ondas havaianas aparecerem algo de que não posso deixar de sentir falta, sendo que isto é uma posição/opinião muito pessoal - há um limite para aturar beachbreaks franceses, Snapper's, Oeste australiano e etc..

Saca ao i

Uma muito boa entrevista ao Portuguese Tiger, vinda de fora do meio do surf. Não é um bom  sinal? Para lerem aqui.

Mas para vos aguçar o apetite, claro que vos deixo aqui alguns excertos da mesma.

"Da nova geração de surfistas portugueses quem poderá chegar ao circuito mundial?
Isso é uma pergunta ingrata. Neste momento não vejo nenhum miúdo com cabeça para chegar ao circuito mundial. Mas eu tenho 30 anos e uma forma diferente de ver as coisas. Olho para o Vasco Ribeiro ou para o Frederico Morais e considero que têm mais talento do que eu. O problema é que os grandes atletas não vivem apenas disso. É aí que está a parte mais difícil – a do suor, a de acreditar, de não ouvir pessoas, nem dar importância a críticas, especialmente em Portugal, que é um país muito pequeno e onde todos opinam. É preciso esses miúdos estarem muito bem psicologicamente e muito bem acompanhados, porque como crianças é impossível não darem importância às críticas (..)"

"O título de campeão do mundo ainda está no horizonte?
Sim. A minha ideia é essa, mas sei que ainda tenho que comer muito milho para lá chegar. As coisas têm vindo a evoluir, todos os anos estou numa posição mais alta. A vontade de ser campeão do mundo é um objectivo e não tenho o mínimo problema em o afirmar. Ninguém me pode proibir de dizer isso e é óptimo elevarmos a fasquia. Sinto-me cada vez mais forte e experiente"

"É verdade que está a planear escrever um livro?
Sempre gostei de escrever. No liceu estava na aérea de humanidades e sempre fui bom aluno a português. Não digo que serei eu a escrever o meu livro, mas tenho a ideia de um dia contar a história da minha vida. Já recebi convites para o fazer, mas ainda não é a altura certa."

24/08/2010

Maya


Pode parecer-vos estranho, pelo menos a mim pareceu-me a início, que o Surfline lance uma entrevista com a surfista de ondas grandes Maya Gabeira em pleno Verão no hemisfério Norte, altura em que como todos sabemos não há ondas grandes com frequência. A Maya está mais numa de aproveitar o Verão californiano, onde vive, do que atrás de ondas grandes nessa costa - se bem que está sempre com olho nas previsões, afinal é esse o seu emprego.
Mas logo a seguir pensei duas vezes. Nunca se falou tanto de surf feminino como hoje em dia, do talento das adolescentes que dominam todos os Tours, da Steph Gilmore, dos tailslides e dos aéreos, tudo. E contudo, tão pouco da Maya. Sim, claro, ela venceu 4 vezes seguidas os Billabongs XXL Awards femininos e está a liderar praticamente sozinha a nova geração de jovens mulheres surfistas de ondas grandes... 

Esperem lá. 

Ela está a liderar praticamente sozinha a nova geração de mulheres surfistas de ondas grandes! Sozinha! A Maya!

Já perceberam onde quero chegar, certo? Faz todo o sentido o Surfline lançar uma entrevista com a brasileira, seja em que altura do ano for. 


Leiam a entrevista, porque é realmente boa, aqui.

23/08/2010

Açores = good times?

campeonato masculino do Billabong Azores Islands Pro pode não ter acontecido, o campeonato feminino pode ter corrido em micro-ondas, milhares de euros e dólares podem ter-se perdido mas....a beleza da ilha, a boa onda geral e as energias relaxadas devem ter sido muito aproveitadas. Se não acreditam, vejam estes dois curtos vídeos da Erica Hosseini, belíssima surfista californiana, e das suas amigas, muitas das quais igualmente "gatas", a divertirem-se nas ilhas do Arquipélago dos Açores. Alana Blanchard, Laura Enever, Rosy Hodge, Nage Melamed...bom, já estão convencidos, certo? (fonte)

21/08/2010

Teahupoo está a chegar! Para já, os heats..

A última chance para os surfistas menos colocados do Tour se safarem do cutoff, está a chegar. Para aumentar ainda mais o drama, é em Teahupoo, uma das mais perigosas ondas do Tour e onde o conhecimento prévio conta e muito, como se comprova pelo sucesso dos wildcards no evento. Basicamente, é uma etapa onde está tudo contra os rookies.. Bom, eles quiseram entrar no World Tour, não foi? Agora aguentem!

O evento começa já na próxima segunda feira, dia 23 de Agosto.

Ficam aqui os heats. Reparem bem nos heats 8, 9 e 10..
(fonte)

BILLABONG PRO TAHITI ROUND 1 MATCH-UPS
Heat 1: 
Damien Hobgood (USA), Kekoa Bacalso (HAW), Jay Thompson (AUS)
Heat 2: Jadson Andre (BRA), Luke Stedman (AUS), Nate Yeomans (USA)
Heat 3: Bobby Martinez (USA), Jeremy Flores (FRA), Marco Polo (BRA)
Heat 4: Dane Reynolds (USA), Tom Whitaker (AUS), Blake Thornton (AUS)
Heat 5: Adriano de Souza (BRA), Roy Powers (HAW), Tim Reyes (USA)
Heat 6: Bede Durbidge (AUS), Kieren Perrow (AUS), Joan Duru (FRA)
Heat 7: Mick Fanning (AUS), Adam Melling (AUS), Tamaroa McComb (PYF)
Heat 8: Jordy Smith (ZAF), C.J. Hobgood (USA), Manoa Drollet (PYF)
Heat 9: Taj Burrow (AUS), Tiago Pires (PRT), Tuamata Puhetini (PYF)
Heat 10: Kelly Slater (USA), Andy Irons (HAW), Heiarii Williams (PYF)

Heat 11: Adrian Buchan (AUS), Dusty Payne (HAW), Drew Courtney (AUS)
Heat 12: Owen Wright (AUS), Brett Simpson (USA), Neco Padaratz (BRA)
Heat 13: Fredrick Patacchia (HAW), Matt Wilkinson (AUS), Tanner Gudauskas (USA)
Heat 14: Michel Bourez (PYF), Dean Morrison (AUS), Mick Campbell (AUS)
Heat 15: Taylor Knox (USA), Luke Munro (AUS), Travis Logie (ZAF)
Heat 16: Chris Davidson (AUS), Patrick Gudauskas (USA), Ben Dunn (AUS)

"Dark side of the lens" de Mickey Smith

Mais um excelente, fantástico, trabalho da turma de surf irlandesa, desta feita pelo multifacetado Mickey Smith.

Excelente perfil do Frederico Morais

Não podia deixar de referir este trabalho pois não é todos os dias que um trabalho desta qualidade fica disponível (mesmo que neste caso tenha sido por motivos de erros na impressão da revista) a custo zero. Este trabalho é da autoria do João Valente, director e editor-chefe da SurfPortugal e é um perfil sobre uma das maiores esperanças do surf português, o Frederico Morais. Vale a pena ler não só pela qualidade do trabalho mas também para saber mais sobre o Kikas. Vale a pena, acreditem.

A ler, aqui.

20/08/2010

Adam Robertson assina com a Billabong

Muitos podem não saber quem é este australiano, o que é uma pena. Adam Robertson é, pelo menos na minha opinião, um excelente surfista. Há ano e meio, chegou à final da etapa de Bells Beach do World Tour, onde perdeu com o Parko. Venceu também alguns eventos do WQS. No caminho, eliminou..bom, vocês podem ver quem ele eliminou, visto que ele é wildcard, ou seja, fundo do seeding. Esteve alguns anos sem patrocínio, foi largado pela Rip Curl antes da crise do "subprime", mas volta agora a ter um patrocínio forte que o vai apoiar (esperemos) na sua caminhada para o Top 38.
Para já, um vídeo engraçado do australiano..

17/08/2010

Filipe Jervis Pereira Vice-Campeão Júnior Europeu!

Estava a faltar. Com uma entrevista e fotogaleria da SurfPortugal, muito bom.

Teahupoo Trials

Esperemos que não seja como nos anos anteriores e Teahupoo "bombe" tanto nos Trials como no Main Event! (fonte)

14/08/2010

Nova crónica na casa alternativa, a SurfPortugal

E este texto, é sobre o Saca. Aqui fica um apetizer e a seguir, o link para a crónica!

"[Diogo Alpendre] Um Saca maior do que a soma das partes
Ao longo do tempo, ao ver as conquistas do Saca, fossem estas no Circuito Europeu Pro Junior, no WQS ou no WCT, não esperámos outra coisa que não essas mesmas conquistas. Ainda que o caminho para a conquista fosse o mais difícil e por vezes aquele que mais obstáculos reservava, (sendo que quanto mais são, maior a felicidade pelas suas vitórias) sempre soubemos que o "Portuguese Tiger" era capaz de lá chegar. Que o Saca é um surfista cheio de garra, persistente e com uma determinação fora do comum, não é nenhuma novidade para nós que estamos habituados a seguir o percurso do melhor surfista português."

11/08/2010

ASP concretiza mudanças anunciadas o ano passado em Mundaka!

E a notícia saiu hoje para a websfera! 

De forma reduzida (se quiserem saber tudo, sigam o link em cima), aqui estão as mudanças efectivas:

A sede da ASP vai mudar de sítio. Até 1999, a sede da principal organização mundial do surf competitivo estava localizada nos EUA, no Sul da Califórnia. Depois disso, mudou para a Austrália, Coolangatta para ser mais preciso, onde permaneceu até este ano. A partir de agora, a ASP vai estar sediada em Huntington Beach nos EUA, em Coolangatta na Austrália e, por fim, em Hossegor em França.

A "ASP Board of Directors" é a partir de agora constituída por um "Independent Chairman" (uma espécie de presidente independente do conselho de administração), dois representantes dos eventos, dois representantes dos surfistas e (aqui é onde está a novidade) dois "Independent Directors". Estes dois Independente Directors serão Angus Murray e Kathy Kendrick. Murray trabalhou no passado na Fórmula 1, nomeadamente nas áreas de patrocínios, online/new media e "mobile marketing", para além de ser um impulsionador de projectos "new media". Kendrick foi Vice-Presidente dos Assuntos Legais para a Europa da Walt Disney Company e tomou parte integrante na criação da Dreamworks SKG (que nos trouxe filmes como o Kung Fu Panda, Madagáscar, Shrek, entre outros).

O formato dos eventos, tal como tinha aqui anunciado antes, será o seguinte:
Round 1: 12 three-man heats, 1st and 2nd advance to Round 3, 3rd to Round 2
Round 2: 12 man-on-man heats, 1st to Round 3, 2nd is Equal 25th place
Round 3: 12 man-on-man heats, 1st to Round 4, 2nd is Equal 13th place
Round 4: Four 3-man heats, 1st advances to Quarterfinals, 2nd and 3rd to Round 5
Round 5: Four man-on-man heats, 1st advances to Quarterfinals, 2nd is Equal 9th
Quarterfinals: Four man-on-man heats, 1st advances to Semifinals, 2nd is Equal 5th.
Semifinals: Two man-on-man heats, 1st advances to Finals, 2nd is Equal 3rd
Final: One man-on-man heat, 1st and 2nd

Leiam o "press release" da ASP, seguindo este link (ou o do início do post).

As notas 10 de Teahupoo

E não há muito mais a dizer. É uma das melhores esquerdas do Mundo, um tubo difícil de surfar e um turbilhão de emoções para quem a surfa.
Este vídeo é o terceiro de mais uma "websérie" da Billabong, desta feita relativo ao Billabong Pro Teahupoo.

10/08/2010

Antevisão de Trestles por Mick Fanning

Formato dos eventos do "Novo" ASP World Title REVELADO (e traduzido por mim)

É verdade meus caros. Como sabem, após a cada vez mais próxima etapa do ASP World Title em Teahupoo, o Tour vai mudar: 12 surfistas vão sair do Tour, ficando este doravante reduzido a 32(+4) surfistas.

Uma das questões que pairava, era o formato em que os eventos irão decorrer. Uma vez que o número de surfistas é diminuído, não fazia sentido continuar com um formato que tantas queixas originava da parte dos surfistas do Tour.

Ora, hoje, a ASL, publicou uma notícia no seu site referindo-se a este mesmo assunto, com informações da ASP e, nomeadamente, do ASP Tour Manager, Renato Hickel.

Assim, aqui vos deixo o link para a notícia da ASL. O essencial desta notícia, ou seja, a forma como os eventos do ASP World Title masculino irão decorrer no futuro, fica aqui em baixo, traduzida da notícia.

"Os eventos irão começar com três rounds:

Em primeiro lugar, acontecerão 12 heats de três surfistas cada. O surfista que terminar em primeiro lugar no heat deste round 1, avança para o round 3. Os surfistas que terminarem em segundo e terceiro lugar, avançam para o round 2 no qual decorrerão doze heats de dois surfistas cada (man-on-man), a eliminar do evento o surfista que perder o heat. Os vencedores dos heats do round 2, encontrar-se-ão com os vencedores dos heats do round 1 em mais doze heats man-on-man.

No final do round 3, terão acontecido trinta e seis heats e só restarão doze surfistas no evento.

Estes doze surfistas vão para a fase final do evento, que decorrerá (quase) como um novo evento que se traduzirá em quinze heats e 5 rounds.

Em primeiro lugar, acontecem quatro heats de três surfistas cada. Os surfistas que terminarem em primeiro lugar neste heats avançam para os quartos de final. Os surfistas que terminarem em segundo e terceiro lugar avançam para um round de quatro heats man-on-man a eliminar o derrotado. Os vencedores deste round avançam para os quartos de final onde irão encontrar os surfistas que ganharam o seu heat nesta fase do evento. A partir daí, os eventos decorrerão normalmente, passando dos quartos de final para as semi-finais e destas para a final.

Neste compactada fase final, um surfista que é empurrado para o round 2, terá que surfar cinco heats para vencer o evento. Então, os surfistas que não perderem nenhum dos rounds de três surfistas (nem ganharem) serão obrigados a surfar oito heats de forma a vencerem o evento.

*O ASP World Title feminino será simplificado em 2011, seguindo regras similares às do ASP World Title masculino (...).

09/08/2010

Filipe Jervis Pereira vence Islas Canarias Santa Pro Junior!

Antes de mais nada, parabéns ao jovem surfista! Dizem as boas línguas que Filipe sucede a Tiago Pires como vencedor de uma etapa do Circuito Pró Junior Europeu!

Após um brilhante 2º lugar na etapa anterior do mesmo circuito em Sopelana, Jervis foi às Canárias vencer a mais prestigiante competição na sua carreira, competição onde Frederico "Kikas" Morais tinha alcançado o segundo lugar o ano passado. Com esta vitória, Jervis vai para a última etapa do Circuito Europeu Pró Júnior na liderança desse mesmo circuito, com uma boa hipótese de o vencer e de se qualificar para os ASP World Junior Championships que irão decorrer em Bali na Indonésia e em North Narrabeen na Austrália.
Jervis tem estado um pouco na sombra de outros dos seus pares portugueses mas com esta vitória alcança o devido e merecido destaque!

Saibam tudo sobre esta vitória, aqui e aqui (este último link é no site da ASP Europe).

Em baixo, Jervis em acção nas Ilhas Canárias!


08/08/2010

Brett Simpson vence o U.S Open...outra vez!!

Se o ano passado já tinha sido uma verdadeira campanha de sonho, vencer o US Open em casa, voltar a vencer este evento é realmente um cenário idílico. Não só é o maior evento de surf no Mundo, como é o evento com o maior prize money, 100.000 dólares. Com a vitória deste ano e a do ano passado, tal como dizia eu meu car amigo Vinícus Maciel no Twitter, "Simpo" já fez mais dinheiro que muitos outros surfistas que andam pelo Tour! Para juntar o fantástico ao fabuloso, Brett Simpson venceu na final Jordy Smith, o actual número 1 do Mundo no Dream Tour e One World Ranking. Nas meias-finais, Simpo despachou Slater.

É uma vitória interessante, Brett Simpso vence em Huntington com ondas medíocres (duas vezes!) mas ainda não conseguiu um resultado digno de nota no Tour. Será apenas nervosismos de rookie?

De qualquer forma, parabéns ao (muito) Califonia Boy!
(foto ASP)

Balada do Dan Reynolds no US Open

04/08/2010

Extras de J-Bay, cortesia do Insurfnews

"Punt of the month" do Surfline com um aéreo animal de Alejo Muniz

Não, a sério. O aéreo é gigante. A onda já tem um certo tamanho, é Puerto Escondido, tem um aspecto medonho e o jovem brasileiro, que há uns anos venceu o Quiksilver Pro Estoril de 6* em Portugal, voa, voa, voa..num Kerrupt Flip!!

02/08/2010

Esperanças australianas em forma

Ryan Callinan e Creed McTaggart são dois jovens australianos muito talentosos e duas das maiores esperanças do surf daquele país (continente?). Talentosos e extremamente competitivos, estes dois jovens resolveram fazer uma viagem pelo Oeste Australiano, onde apanharam ondas muito, muito boas, algumas como só aquele local do Mundo proporciona. Vejam o vídeo e confiram o potencial destes dois jovens, sem esquecer o habitual "babanço" pelas ondas que nele aparecem (principalmente agora que em Portugal o vento Norte se faz sentir...e muito!). Surpreendam-se também com o à vontade de Creed em tubos pesados e ondas rasas.
Ryan Callinan and Creed Mctaggart Bloodlines Trip in WA from Jay Grant on Vimeo.