30/07/2009

Mau dia para o Surf / Bom dia para Espanha ?

Ao que parece, Iker Acero, conhecido e talentoso surfista espanhol (irmão de Eneko Acero) foi preso por ligações à ETA, organização terrorista que luta militarmente pela independência do país Basco. Vejam a notícia aqui http://ww1.rtp.pt/multimedia/index.php?tvprog=1098&idpod=28033&formato=flv e vejam a partir do minuto 22 e 30 segundos. Têm a versão reduzida no blog Ondas www.ondas.weblog.com.pt . Podem também ler a notícia nestes seguintes links http://www.ideal.es/granada/20090730/espana/detienen-surfista-iker-acero-20090730.html ou http://www.20minutos.es/noticia/488826/0/acero/detenido/eta/ .

Em baixo, Iker Acero.


29/07/2009

Ainda vestígios de J-Bay

Graças a um dos meus mestres, Julio Adler, e através do seu blog, http://julioadler.blogspot.com/ (que recomendo vivamente) , descobri esta pérola intrepertada por Dean Morrison durante a etapa do WCT em Jeffrey's Bay. Vale MESMO a pena ver..

ASP World Junior Tour em 2010

Este ano parece o ano das notícias-"bomba" no que toca ao surf competitivo. O "título" do Parko, o ano diferente de Slater, o circuito de surf da ESPN e agora, o anúncio da ASP de que vai haver um circuito junior mundial ! Será uma tentativa de resposta ao suposto circuito ESPN ?

A meu ver é uma espectacular iniciativa da ASP, é uma verdadeira aposta nos míudos mundiais. Infelizmente, parece deixar alguns surfistas de fora, surfistas geniais em freesurf e que não ligam tanto à competição, por exemplo, Julian Wilson e Clay Marzo que embora entrem em competições não chegam aos lugares necessários para o tour. Mas para isso "temos" os wildcards, não é?

Bom, parece estranho é fazer-se este circuito após um ano de crise financeira e económica mundial que ainda dura e que chegou ao surf e resultou no cancelamento de alguns eventos e provas, como por exemplo a etapa do circuito mundial masculino em Fiji ou a etapa do circuito mundial feminino no Brasil. Sim, a economia dos EUA parece já estar a dar sinais de recuperação económica mas será que já vai "dar" mais dinheiro para a realização deste circuito ? Óbvio que o retorno que o Tour Junior irá dar vai ser elevado mas mesmo assim existe uma coisa chamada Custo Inicial com o qual é preciso avançar, quem o tem ?

É uma notícia para seguir. Vejam para já através destes links :


Eu ainda estou aqui diz TB !

Meus caros, como ja devem saber, Taj "TB" Burrow é um dos meus surfistas de preferência ! Nesta curta entrevista dada à Stab, Taj mostra que está bem vivo e com muita pica para ganhar um título mundial, tal como quando começou a competir no CT !

28/07/2009

Nova sondagem

Tal como tinha aqui dito, vêm aí novas sondagens. Depois da "Qual o melhore goofy-footer do WCT?" aparece agora ( ideia dada por um dos mais fieis seguidores deste blog, Nuno, o "gestor" do site www.maresdomar.webnode.com , site que recomendo vivamente) "Desta mega-lista de alguns dos melhores surfistas sub21 do Mundo, qual é o melhor ?". Participem e vamos fazer com que esta sondagem tenha mais votos que a anterior ! A sondagem está do lado direito do blog, debaixo do "mail do blog" e da "malta que escreve" !
Participem, força aí !

26/07/2009

Resultados da sondagem "Qual é o melhor goofy footer do World Tour?"

Para vocês, o melhor goofy do WCT é o C.J.Hobgood com 5 votos. Depois, aparece Bobby Martinez com 2 votos e a seguir, surpresa das surpresas, Mick Campbell com 1 voto.
Foi uma votação pouco movimentada, com apenas 8 votos. Nos próximos dias, irá aparecer uma nova sondagem/votação. Alguém tem ideias ?

Eurotugas parte 2

Também entretanto, o Vans Pro Junior em San Sebastian chega hoje à sua recta final sendo que já não está nenhum surfista português em prova. Vasco Ribeiro e Nicolau Von Rupp foram quem chegou mais longe: o local da Poça e do Guincho, perdeu nos quartos de final para Jules Thomet, Marc Lacomare e Adrien Toyon. Já o luso-alemão perdeu nas meias finais para o sempre super-favorito Marc Lacomare (que também tinha eliminado Vasco Ribeiro) e para o inglês surpresa, Jayce Robinson. Foi um campeonato razoável para os portugueses, mostraram serviço mas podiam e deviam ter chegado mais longe. De qualquer maneira, vão haver mais oportunidades e contunua a haver esperança de um português terminar o circuito Pro Junior Europeu em primeiro lugar. Para já, vamos esperar pelo fim do campeonato e ver como fica o ranking.
Nas meninas, Ana Sarmento está neste momento na água, a surfar o segundo heat das meias finais. Vamos torcer pela local da Ericeira, última portuguesa em prova !
Sigam o que falta do campeonato em http://www.aspeurope.com/live/donosti09.html

Kelly Slater / U.S. Open

Entretanto, o U.S Open já vai chegando ao fim e o Slater está a surfar que nem um doido. Prenúncio do que irá acontecer em Trestles? Vejam os vídeos e apreciem..



23/07/2009

Eurotugas

Foi com agrado que soube, não-oficialmente na altura, que ia um contingente numeroso para competir na etapa europeia pro junior em San Sebastian no País Basco. Já oficialmente, soube que este evento, o Vans Pro Junior de Grau está a contar então com os seguintes surfistas portugueses que esperam aqui obter bons resultados : Ana Sarmento, Filipe Jervis Pereira, Rui Henriques, Sebastião Furtado, José Ferreira, Vasco Ribeiro, Frederico Morais, Francisco Alves, Luís Eyre, Nicolau Von Rupp e os irmãos Guichard, Luka e Joackim (sim, estes quatro últimos SÃO portugueses). Entretanto, é de realçar que só Sebastião Furtado e Felipe Jervis Pereira não passaram do round 1 do evento.

No meu entender, a ida a competições "Pro Junior" fora de Portugal é um passo essencial para a formação de qualquer surfista nacional que ambicione ser um surfista profissional. É que a competição aqui na "Tugalândia" é positiva até certo ponto (como o Saca rapidamente percebeu) e se eles querem ser bons, chegar ao WCT, ter sucesso internacional, não é fazendo carreira no nosso país que lá chegam (o Ximenez é muito acusado disto..abstenho-me de comentar isto..ou não..). É de louvar que os treinadores e pais destes míudos os deixem partir para as Europas. É mesmo assim ! É que se tivessemos circuitos competitivos internos como têm os EUA ou a Austrália, "carreiras nacionais" podem-se prolongar. Mas com o nosso circuito, no way.. E mesmo assim, americanos e australianos partem cedo para competir em todo o Mundo. Era essencial que treinadores, pais e míudos olhassem lá para fora e reproduzissem cá dentro um modelo que se sabe que funciona lá fora, em vez de tentarem inventar/descobrir novos que só dão maus resultados.. Enfim, desabafos..
Sigam os "nossos" míudos no link que se segue http://www.aspeurope.com/live/donosti09.html

Nat Young

Já ouviram falar da nova geração de míudos americanos que anda aí "blowing minds" ? É aquela geração do Kolohe Andino, Alex Smith, Conner Coffin, Luke Davis, Ian Gentil, Nat Young e outros. Pois bem, é este último, Nat Young, que venho mostrar hoje. Vejam vídeos, leiam o textinho e deslumbrem-se com a próxima geração de surfistas americanos :

22/07/2009

Voltei em força, com Voltaire "debaixo do braço"

Alguns de vocês podem ter reparado que nos últimos tempos não tenho feito "posts" de opinião pessoal, ou seja, tenho evitado manifestar a minha opinião pessoal, para além de evitar criticar, observar e analisar coisas que se vão passando no mundo de surf. É um facto. Não sei porquê mas julgo ter sido pelo crescimento repentino do blog e por ter passado a sentir alguma pressão para fazer coisas bem, dar bons pontos de vista, boas opiniões. Acho que também senti que não tinha estatuto algum para comentar, afinal não sou ninguém neste plano surfistíco, que direito tenho eu a comentar ? Exacto, supostamente nenhum. Mas foi exactamente desse "nenhum" e por causa desse "nenhum" que comecei este blog e visto que ao longo desta relativamente curta vida do blog, por diversas vezes prometi que me manteria fiel aos meus princípios, venho por este meio dizer que estou de volta. Eu não sou ninguém e isso dá me um ponto de vista exterior que pode ser muito positivo e interessante. Vou voltar aos posts críticos e opinativos, sem medo, vergonha ou qualquer outro tipo de coisa. Estou cá para discutir com quem quiser discutir. Estou cá para defender os meus pontos de vista e vou defendê-los. Mas quero que vocês me desafiem, que discordem de mim e me obriguem a argumentar. Conto convosco e vocês podem contar comigo. Ao escrever estas palavras lembrei-me de uma coisa que Voltaire disse e que ficou para a História, não só como um lema da liberdade de expressão como também um lema da livre imprensa e democracia : (por palavras próximas) "Posso discordar do que dizes mas defenderei com a vida o direito de o dizeres" ou "Não estou de acordo com aquilo que dizeis, mas lutarei até ao fim para que vos seja possível dizê-lo".

21/07/2009

Férias ?

Meus caros seguidores surfisticos, por motivos de ordem técnica (basicamente estou de férias e ainda não tenho net na casa de férias) não vou conseguir postar com tanta regularidade. Vou tentando dizer coisas sempre que puder ! Assim que tiver net (daqui a uns dias) vou voltar aos post regulares !


Para todos os que vão de férias,


Boas férias e desejos de boas ondas !


Até ao próximo post !

Marlon na Stab

Ao que parece, Marlon não é mais um renegado no WCT. ou melhor, um renegado pelos media internacionais. Prova disso, é esta entervista e vídeo : http://stabmag.com/jed/Marlon-Lipke-German-Portugese-world-tour-surfer/.

Valha-nos a Stab !

16/07/2009

E para não se queixarem que só.....

......deixo aqui links para textos, aqui vai :

Uma apresentação multimédia do site Surfline.com de uma viagem recente da Team Billabong (leia-se, Rasta, Parko, Andy "and friends") para filmarem para o "upcoming" filme, "Still Filthy" : http://www.surfline.com/travel/still-filthy-rasta-andy-parko--friends-find-perfect-coldwater-surf-for-billabongs-new-movie_28290/1/

Um clip do World Pro Surfers protagonizado por Kelly Slater, Taylor Knox e Dane Reynolds a destruírem as longas direitas de J-Bay enquanto não competiam : http://www.worldprosurfers.com/kelly-dane-taylor-jeffreys-bay.htm

E ainda mais outro clip do World Pro Surfers, desta feita protagonizado por Tim Boal (que neste clip cala todos aqueles que criticam o seu surf), Artiz Aranburu, David Weare e Kelly Slater : http://www.worldprosurfers.com/billabong-pro-jbay-one-day.htm

Mais umas coisinhas interessantes

Meus caros, mais umas horas sem nada para fazer, mais umas viagens ao surf por escrito. Isto foi o que descobri de interessante :



Uma entrevista com os protagonistas de "Clash of The Icons", Occy e Tom Curren : http://www.surfline.com/surf-news/catching-up-with-tom-curren-and-mark-occhilupo-after-their-j-bay-duel_28702/

Os Power Rankings do lewis Samuels, voltaram : http://postsurf.com/

Check it out !
P.S. E não, não sou com o Prof. Mart...Marcelo, eu leio tudo o que digo que é interessante, de uma ponta à outra.

15/07/2009

Importante

Recomendo mais dois artigos da Stab. Convém lerem o primeiro link e só depois o segundo, para mais fácil compreensão deste segundo link. São dois que valem muito apena e tratam, basicamente, o futuro do surf profissonal e dos circuitos profissionais, através das palavras de surfistas profissionais, jornalistas de surf e pessoas ligadas à indústria do surf. São ambos muito bons e interessantes. Aqui vão :
http://www.stabmag.com/features/fourth-kingdom/
http://stabmag.com/jed/espn-renegade-tour/

Clash of the Icons




O evento deste ano de J-Bay do WCT (que hoje acabou e que está extensamente resumido, passe-se a redundância, em baixo) foi animado por dois heats que se chamaram de "Clash of the Icons". Consitiu em opôr dois rivais de longa data, Occy e Curren. O primeiro heat que aconteceu no segundo dia de competição em J-Bay e antes do round 2, aliás, foi o primeiro heat dessa manhã, foi vencido por Tom Curren. O segundo heat que foi disputado antes da final do evento de J-Bay, foi vencido por Occy. Com estas vitórias, os confrontos directos entre Curren e Occy continuam empatados, com nove vitórias para cada um. Entretanto, fala-se já de outros heats com os mesmos "Icons" a acontecerem em outras etapas do Tour masculino, nomeadamente Mundaka e Bells.

Billabong Pro Jeffrey's Bay - o resumo

Se até ao momento do ano competitivo no WCT, houve um evento, aliás, O evento, foi este que acabou hoje em J-Bay. Houve de tudo ! Desde notas 10 justificadas a 10 injustificados, surfistas a partir tudo e surfistas que nem se percebe como estão no WCT, dois Clash of the Icons, wildcards, altas ondas e ondas menos boas, grandes derrotas e grandes vitórias, consagrações e "enterros", goofys e regulares, erros e golpes de sorte, tudo !

Após alguns dias de lay-day, o round 1 começou com boas ondas e no novo formato de heats. Um dos problemas deste novo formato, tournou-se óbvio neste mesmo round : os top 16 ao terem o seeding directo para o round 2 e, portanto, não surfarem no round 1, tornam a maior parte dos heats deste round desinteressantes, o que vai resultar em menos gente online para ver o webcast e menos gente na praia. Os destaques deste round vão para Nic Muscroft da Austrália que com um 15.17 eliminou o também australiano Josh Kerr com um 9.37. Destacou-se também o mais forte candidato a Rookie Of the Year deste ano e também o rookie mais bem posicionado nos ratings do WCT, o havaino Kekoa Bacalso que com um 15.83 eliminou o local Ryan Payne que fez 11.00, se bem que vinha a surfar muito bem dos trials. Contudo, o melhor heat foi o que opôs Sean Holmes, um dos melhores do Mundo em J-Bay e local de lá e que este ano "regressou" ao evento, e o powerhouse havaino Dustin Barca. Bonitos tubos, bonitas linhas e poderosos hacks marcaram este heat mas foi a experiência que levou a melhor e o sul africano eliminou o havaino com um 15.93 vs 14.50.

O round 2, foi épico e um "shocker" para diversos surfistas.Os dois primeiros heats do round 2 foram realizados logo no mesmo dia do round 1 pelo que não beneficiaram das ondas perfeitas de 2/2.5 m que os outros heats tiveram no dia seguinte. Este round 2 prometia embates espectaculares : Taj Burrow vs Sean Holmes , Michel Bourez vs Mick Fanning, Jordy Smith vs Dane Reynolds. Prometia e cumpriu. O primeiro "shocker" do dia foi para Taj Burrow que foi atropelado por um fenomenal Sean Holmes, tal como os scores deste heat mostram : 18.60 vs 9.33. O heat Michel Bourez vs Mick Fanning foi a surpresa do round ! Quando muitos esperavam a vitória do australiano, mais um "shocker" o "espartanto" elevou o seu surf a um nível superior ao do Campeão do Mundo de 2007, fazendo uma onda nota 10 em que fez três espectaculares tubos intervalados por hacks mesmo no pocket e ainda uma nota 8.27. Porém, seria injusto não falar no heat que Mick Fanning fez. "White Lighntning" surfou o seu melhor, desenhando das mais bonitas linhas que se veêm actualmente em J-Bay, fazendo um score de 17.27 que seria suficiente para vencer outros onze heats (!!!!) do round onde surfou. De facto, Mick teve mesmo o 5º melhor score da ronda. Parece impossível mas é a verdade e Mick reconheceu-o, apertando a mão de Michel Bourez no final do heat de ambos, em jeito de reconhecendo a derrota. Talvez o mais esperado heat da ronda, Jordy (o preferido da praia) versus Dane (o prodígio americano), foi um heat brilhante. Jordy fez uma onda de 8.5 e uma de 5.4 que lhe valeu um score de 13.9 e Dane, não querendo ficando atrás, fez um 10 (fenomenal, manobras mais tubos e ainda mais manobras) e um 7.83, que lhe valeram a vitória. É ainda preciso destacar dois heats deste round 2 : Kelly Slater versus Nic Muscroft e Greg Emslie versus Bede Durbidge. No primeiro, Kelly Slater fez de tudo, só não teve mesmo foi um 10. Fez quatro notas de 9 pontos : 9.00, 9.23, 9.27 e 9.57. Sim, tudo no mesmo heat. Perante um desencontrado, atropleado, dizimado Nic Muscroft que se ficou por um score de 9.34. Sem hipótese. O outro heat, Bede Durbidge versus Greg Emslie, não viu notas tão altas como as de Slater mas viu, também, boas ondas que se reflectem nos scores dos dois surfistas : 17.5o para o aussie e 16.00 para o "bru". O round 2 teve mesmo 6 dos 10 melhores "heat totals" do evento e 5 das melhores ondas do evento. Foi cá um round, han ? (em baixo, Dane no tubo da onda que lhe valeu o 10). Outra das grandes derrotas deste round foi Mineirinho que cedeu perante um finalmente em forma Nathaniel Curran.





Grande parte do round 3 também se realizou no mesmo dia do round 2 (portanto, ontem dia 14) e felizmente para nós, também beneficiou das altas ondas que rebentaram naquele mítico pointbreak. Neste round 3 vieram ainda mais surpresas e desilusões. A começar as desilusões, logo no heat 1, num heat de surfistas de pé direito à frente, a eliminação de C.J Hobgood às mãos (e pés) de Kai Otton que se revelou como um dos surfistas do campeonato, 14.60 vs 10.17. No heat 2, show do australiano Dean Morrison, claramente um sufista de pointbreaks, que com a sua barba à "mountain man" (diziam os comentadores do webcast...) eliminou o carrasco de Mineirinho, Nathaniel Curran, com um score de 17.63 vs 11.57. É de salientar uma das brilhantes ondas de Dean Morrison que foi avaliada com um 9.63. No heat a seguir, Bobby Martinez com um 15.00 despachou Ben Dunn com um 12.5, surfista que no primeiro round tinha eliminado Tiago Pires. Logo a seguir, Parko que já se vinha afirmando como o surfista mais em forma deste campeonato, fez um score de 18.50 para eliminar Kieran Perrow com um 12.33. Para tal, Parko fez um 8.50 e um 10, o terceiro do evento. A meu ver, este 10 tem muito que se lhe diga. Parko vê a onda de set espectacular, põe-se em pé, bottom curto, ataca o lip, volta à onda rapidamente e entra dentro de um tubo fenomenal do qual ninguém esperava que ele saísse mas alguns segundos mais tarde ele sai voando do tubo e com um "claim" sai da onda. Agora vocês dizem : "Fogo, foi um 10!!!". Em outras ondas, talvez fosse, sim. Mas em J-Bay, não deveria ser. Passo a explicar : o critério de avaliação das ondas em J-Bay define claramente que os juízes procuram, entre outras coisas, leitura de onda e aproveitamento desta. Não há duvida que o Parko soube ler a onda, alcançando o mítico tubo, contudo, o aproveitamento da onda, foi pouco mais que suficiente. A seguir ao tubo, Joel Parkinson tinha uma parede enorme, bonita, muito manobrável e apelativa, que podia ter aproveitado. O que aconteceria se o australiano a seguir tivesse dado mais três tubos e o maior aéreo de sempre em competição (tal como diz Lewis Samuels no link do post em baixo) ? Era uma onda superior a 10 ? Não, não existe nada superior a 10. Então o que seria ? É uma boa questão não é ? Era uma onda ainda mais perfeita ? A mim parece-me que os juízes antes de dar uma nota ao Parko, já tinha sempre os dedinhos encostados, no mínimo, ao 9. O que acham ? No heat a seguir ao de Parko, o favorito local Sean Holmes eliminou Mick Campbell, Dane Reynolds tratou de despachar o "carrasco" de Fanno, Michel Bourez. Logo a seguir, mais uma surpresa deste round, Taylor Knox que mesmo com o seu parco jeito para estar num heat, eliminou Kelly Slater. Aliás, demoliu com jeitinho, 12.57 do Capitão América vs 6.04 do "The Hell". É verdade que Slater, depois de T.Knox fazer um 8, não teve ondas para surfar a sério mas mesmo assim.. Após a derrota da ronda, ainda houve tempo para o "mano" de C.J, Damien Hobgood despachar 0 "bom gigante" Bede Durbidge. É importante referir que estes três últimos heats do Round 3 (Dane vs Bourez, Slater vs T.Knox, Damien vs Bede), já só decorreram durante o último dia da competição (ou seja, hoje, dia 15) que contou com ondas limpas de 3 a 5 pés.
Os quartos, trouxeram ainda mais show ao evento. No primeiro heat, uma surpresa, Kai Otton ganhou o heat das barbas (ambos os surfistas tinham a cara "decorada" com uma vasta barba) contra Dean Morrison que vinha realizar um bom campeonato, tal como o "Otto". Mas no final, o goofy que parece ter aprendido umas coisas com Occy, não deu hipótese ao Coolie Kid e despachou-o : 16.17 vs 10.83. Kai Otton vinha a fazer um bom campeonato, fazendo ondas que conciliavam bons tubos com boas manobras. No segundo heat dos quartos, Bobby Martinez versus Joel Parko, o australiano voltou a aplicar o seu surf da melhor maneira, vencendo o sem main sponsor "chicano" por 15.66 vs 10.83. No terceiro heat, talvez aquele que os espectadores na praia mas ansiavam, Dane Reynolds versus Sean Holmes. Infelizmente, para os espectadores, o seu "rapaz" não repetiu o tipo de ondas que vinha a fazer até ali e cedeu perante Reynolds que, na sua primeira onda, fez um 10 (!!!!) que pareceu desconcentrar Holmes. Mas Dane tinha ainda mais para dar e na sua quinta e última onda, fez um 9.2, numa onda em que fez manobras espectaculares, nomeadamente, um gigantesco "tail waft" à lá Ry Craike (segundo o próprio Dane), conseguindo, assim, o melhor score do evento, o que lhe valeu um relógio Nixon avaliado em 10.000 usd (U.S. Dolars). No heat de americanos que sucedeu ao de Dane, Damien Hobgood eliminou à justa o Capitão América, 14. 73 vs 14.30.
Estava o espectáculo lançado para as meias finais, dois heats goofy versus regular, aussie vs aussie, americano vs americano : Parko vs Kai e Dane vs Damien. No primeiro heat, o surfista do campeonato versus o surfista darkhorse/underdog do campeoanto. No segundo heat, o sufista mais espectacular do campeonato versus o outro darkhorse/underdog do campeonato. No primerio, Parko teve que surfar muito para eliminar um irreverente Kai Otton. Parko começou o heat em grande forma, fazendo a sua segunda onda 10 do evento ao que Kai respondeu com um 9.8 (que, aliás, deveria ter sido um 10), a sua melhor onda do campeonato. Parko fez depois um 7.83 que perante o 6.67 de Otto lhe garantiu a vitória. Resultado do heat 17.83 vs 16.47. Na segunda meia final, Damien eliminou Dane, tal como tinha eliminado Taylor Knox nos quartos, à justinha. Tão à justa que foi apenas na última onda nos últimos segundos do heats e após uma onda de Dane que tinha aumentado a distância deste para Damien. Os scores foram : 13.73 vs 13. 67. (apesar de manobras como as em baixo, nem Kai Otton na primeira fotografia, nem Dane Reynolds na segunda, conseguiram ultrapassar os seus adversários nos respectivos heats das meias finais).


A final, juntava assim, dois surfistas que vinham a surfar bem durante todo o evento e que garantiam espectáculo. Um pormenor interessante sobre esta final, é que ambos os surfistas já tinham chegado a esta em anos anteriores : Damien em 2003 quando perdeu para Slater e Parko em 1999 onde, com apenas 18 anos, eliminou Ross Williams. Na final deste ano de 2009, o vencedor foi Joel Parkinson que abriu logo as hostilidades, fazendo um 9.47 na sua primeira onda. Damien respondeu mais tarde com um 5.67 (que a meu ver podia ter sido um score um pouco maior, lá para os 7 pontos). Ao 9.47, Parko juntou um 6.57, compondo assim o seu score final de 15.97. Damien, novamente nos derradeiros segundos do heat e a precisar de um 9.70 para vencer o heat, fez um 6.27 e teve que se contentar com um segundo lugar neste evento. Com esta vitória, Parko reforçou ainda mais a liderança do ranking do WCT e já nada parece poder pará-lo (embora Slater tenha dito que para ele próprio ter uma chance ainda teria que ganhar os próximos três eventos, acrescentando um peculiar desafio a ele próprio "We shall see"). (em baixo, Parko a caminho da vitória e a celebrar o seu resultado com Damien Hobgood).





O Top 10, após este evento, está do seguinte modo :

1 – Joel Parkinson (AUS) 5076 pts
2 – C.J. Hobgood (USA) 3672 pts
3 – Adriano de Souza (BRA) 3613 pts
4 – Taj Burrow (AUS) 3460 pts
5 – Damien Hobgood (USA) 3374 pts
6 – Bobby Martinez (USA) 3357 pts
7 – Mick Fanning (AUS) 3350 pts
8 – Kelly Slater (USA) 3030 pts
9 – Tom Whitaker (AUS) 2942 pts
10 – Jordy Smith (ZAF) 2896 pts
...
36 - Tiago Pires (PRT) 1680 pts
40 - Marlon Lipke (DEU) 1310 pts
Em baixo, o link para os vídeos do evento que valem muito a pena ver !



P.S. Abstive-me de comentar os resultados do Marlon Lipke e do Tiago Pires porque foram desastrosos, principalmente no caso deste último.
P.P.S. Todas as fotografias, ASP/Getty Images P.P.P.S. A próxima etapa, a 6ª de 10, será o Hurley Pro em Trestles e decorrerá de 13 a 19 de Setembro.

14/07/2009

Assim fala (e bem), não Zaratustra mas sim, Lewis Samuels

(leitura obrigatória, tanto para o mais incauto surfista como para o chefe da ASP, passando pelo director da revista e pelo surfista profissional)
http://postsurf.com/2009/07/14/love-and-forgiveness/

Minha Stab, minha revista

O meu amor a esta revista é óbvio para todos os que vão seguindo este blog. E é perfeitamente natural !! Afinal, quem mais vos/nos dá isto ? :



Finalmente...

...um evento com altas, altas, altas ondas ! J-Bay está ripando tão agressivo !


Estão todos os surfistas a acordar para o evento ? Quem irá ganhar ? Lancem os dados que este vai ser do Diabo !!


P.S. Alguns de vós podem ter reparado que não fiz previsões para este evento. É verdade e não foi por preguiça ou assim. Eu simplesmente dei por mim olhando para surfistas, previsões e estatísticas e disse "Porra, qualquer um tem hipóteses!" E esta foi a minha previsão !

13/07/2009

Duelo

Finalmente, um duelo com os contornos necessários para ser um verdadeiro duelo. Ainda por cima, um duelo tão desejado como este. Amanhã, no round 2 da etapa do WCT em J-Bay, heat 12. Jordy Smith em casa e a escalar os rankings do WCT (actual nº 8 do Mundo) versus Dane Reynolds (actual nº 34 do Mundo) que voltou às vitórias nos heats aqui em J-Bay (versus Drew Courtney) e quer ganhar momentum para o resto do ano, para além de ter que subir no ranking para ficar no WCT para 2010 (será que ele quer ficar... ?).


Como disse, amanhã, aqui : http://www.billabongpro.com/jbay09/live.php
Amanhã, também, primeiro heat da manhã, o ansiado, Clash of the Icons, Mark Occhilupo versus Tom Curren. Logo pela manhã, ligar o pc e toca a "papar" o webcast..

Incógnito

Segundo http://www.priberam.pt/dlpo/dlpo.aspx (um dicionário online), a palavra "incógnito" tem a seguinte definição :

"incógnito adj. s. m.
incógnito
adj.
adj.
1. Não conhecido.
2. Que não se dá a conhecer.
3. Que toma um nome suposto.
s. m.
4. Pessoa desconhecida, que não revela o seu nome.
5. O desconhecido, o ignoto."


Eu acrescentaria um sexto ponto :
6. Dane Reynolds.

A meu ver, o supersónico californiano, é um "incógnito", pelo menos no WCT. Dane Reynolds, para mim, é um surfista "não conhecido" no WCT. Pelo menos, não da forma como ele se dá a conhecer. Mas a questão é essa, "ele não se dá a conhecer" pois "ele não toma o nome suposto". Quando penso no ser Dane Reynolds penso em surf mega rápido, radicalidade, manobras, consistência nas manobras, genialiadade. É este o Dane do WCT ? Não. Esse é um incógnito. O verdadeiro Dane, o "não-incógnito" é aquele que se revela no freesurf, aquele que foi apelidado de "melhor surfista do Mundo" pelo Rei do Surf, Kelly Slater. Mas será que este Dane Reynolds vai voltar ? Quando o teremos de volta ? Será que volta ?


São tudo boas perguntas, perguntas que ninguém, senão ele, conseguirá responder. O que todos esperamos (e rezamos) é que ele volte efectivamente ! Que ele volte a ganhar momentum e ganhe pica para passar toda a outra pica, a do freesurf, para a competição. Será ? Para mim não. É óbvio que gostaria de ver toda a genialidade do freesurf de Dane Reynolds no WCT mas por outro lado, tenho medo que o surf dele fique colado aos moldes de competição e não volte a ser o "surfista-livre" que era antes do WCT. É esperar para ver, tal como em muitas outras coisas no surf..

12/07/2009

Era uma vez...

No seguimento do assunto do post anterior, vou relatar um episódio de há uns dias atrás:

Depois de duas longas surfadas, estava com uns amigos na carrinha, prestes a ir para casa, e reparei num rapaz, já com os seus 20 anos, sentado no muro, cá em cima, com o fato de surf vestido e a prancha ao lado, seco, a olhar para o mar (que rondava o meio metro, metro nos sets, quase glass). Não dei qualquer tipo de importância na altura, obviamente.
Saímos da praia e, passados uns 10/15 minutos de caminho, alguém se lembrou que tinha deixado qualquer coisa na praia. Voltámos de novo para a praia. Quando chegámos, estacionámos o carro no mesmo lugar e não consigui deixar de reparar que, passados 20/30 minutos, o tal rapaz que eu tinha visto, estava exactamente no mesmo sítio, ainda sequinho. Como se já não fosse de estranhar, o tal indivíduo consegue espantar-me ainda mais, quando se levanta, agarra na prancha, e começa a descer as escadas e, pensei eu para mim, "finalmente vai entrar...", mas não, estava enganado. Tinha-se dirigido aos choveiros, apesar de estar perfeitamente seco. Depois do seu "banho", voltou a subir as escadas, foi até ao seu carro, arrumou o material e foi-se embora...

Será escusado referir que estamos no Verão?

10/07/2009

Quando quiserem comprar uma prancha nova..

..não pensem em ir à Semente, Koala, Polen, Red Eyes, SPO, ET, Pecas, Phynyx, Pukas, JC, Channel Islands, DHD, Chilli, Webber, Firewire, Insight, RM, JS, etc.

O melhor sítio para irem é a GANT. Já ouviram falar ? É aquela marca de pranchas muita conhecida ! Não, não é ! É aquela marca de roupa americana (?), de pólos, sapatos de vela, esse tipo de roupa, estão a ver ?
É que, aparentemente, a Gant, também faz pranchas. Ou só estará a vender a imagem do surf e surfwear ? Decidam por vocês após visualizarem as fotografias que aqui deixo em baixo e que tirei hoje, com o meu telemovel (daí a baixa qualidade de imagem), da montra de uma Gant em Portugal (não digo qual com medo das represálias judiciais das quais posso ser alvo.........buUuUuh....) !




P.S. Façam zoom e vejam como está bem explícito aquele GANT quase a chegar ao nose com o "copyright" e tudo !

09/07/2009

Mais um artigo da Stab Mag

A meu ver, para qualquer pessoa compreender este ano (2009, crise económica, recessão, efeitos no surf) em termos de surf, é absolutamente essencial ir lendo alguns artigos de surf que as "mags" vão publicando. Felizmente, sou um tipo atento e vou encontrando alguns e deixando aqui os links. Mas se vocês forem encontrando também, digam-me que eu ponho-os aqui também. Há minutos encontrei um novo artigo, da Stab Magazine, que está realista. Mas daquele realismo tipo "balde de água fria na cara depois de termos adormecido há dez minutos."


P.S. Stab Magazine, mais uma vez a marcar pontos.

Icónico (nada precisa de ser dito)


Foto : ASP/Getty Images

Um clássico

Porque há uma primeira vez para tudo, aqui vos deixo a primeira vez que Tom Curren surfou em Jeffrey's Bay, no não assim tão longínquo ano de 1992... (está nos vídeos do site do evento J-Bay que está aí a começar..)

Surfline Power Rankings do Hang Loose Pro 2009 sobre os "nossos" Saca e Marlon




Justo ou injusto para "os nossos rapazes" ?

06/07/2009

Resultados das previsões para o Hang Loose Santa Catarina Pro 2009

A primeira coisa que disse/previ foi que caso o Slater estivesse "on", ninguém o parava. Preciso de dizer mais alguma coisa ou só o facto de ele ter varrido o campeonato todo chega ?

Em segundo lugar, disse que os australianos Taj e Mick Fanning podiam ter uma palavra a dizer. Até tiveram. Chegaram ambos aos quartos de final.

Antecipei que o Parko não ia ter um resultado tão bom como na época australiana, atrevi-me mesmo a dizer que ele teria um 9º ou 5º lugar. Teve um 3º. Não é o mesmo que um 1º lugar como em Snapper's e Bells mas é uk "keeper" pelo que neste aspecto, enganei-me.

Afirmei ainda que o Mineirinho ia ter um bom resultado, tal como no início do ano. Teve um 2º lugar. Acertei nesta..

Falhei, depois, quando previ que surfistas habituados a beachbreaks iam ter algum sucesso.

Falhei, também, quando previ um bom resultado para surfistas de "alta performance" : Taj, Dane, Jordy e Chris Ward. 5º, 17º, 9º e 33º lugar, respectivamente. Até acertei no Taj mas não foi por ele ser um surfista de "alta performance". Ele até o é..mas acima de tudo é um excelente surfista e bom competidor.

Acertei quando disse que o Bede, vencedor da mesma etapa o ano passado, podia ter um bom resultado. Teve um 5º lugar, o mesmo que tinha tido em Sanpper's, ambos os melhores resultados do "bom gigante" esta época. Overall, é um bom resultado para ele.

Voltei a acertar (na correcção) quando afirmei que os havaianos podiam ter sorte neste evento. Foi o caso de Dustin Barca que conseguiu o seu melhor resultado esta época, um 5º lugar.

Até acertei umas coisinhas, não ?


Lá para o fim desta semana, farei as previsões para o Billabong Pro Jeffery's Bay.

Hang Loose Pro - o resumo

Pareceu ser com uma expectativa diferente que os surfistas do WCT partiram para o Brasil para a 4ª etapa do Asp World Tour. Em primeiro lugar e talvez o mais relevante de todos os factores, este evento passou do final do ano para o meio do ano, aproveitando uma época de melhores ondas no Brasil. Assim, o top 45 não se deparou com o habitual sol quente, praias cheias as gatas em curtos bikinis e as ondas pequenas mas sim com chuva, vento, praias com menos gente, "as míudas" mais vestidas e ondas com algum tamanho. Também era o regresso, neste evento, ao antigo formato competitivo, pondo de lado (pelo menos por um evento e ainda bem) o formato de "morte súbita" que tem sido muito criticado (e este evento veio justificar algumas dessas críticas.

O round 1, começou com bonitas ondas de 1.5/2 metros e todo o round se fez no mesmo dia. Alguns destaques deste round vão para Mick Fanning que conseguiu o score do dia, um 16.43 (composto, também por um 9.50), que lhe valeu a passagem directa ao round 3, eliminando o basco Artiz Aranburu e o americano Nathaniel Curran. Outro destaque vai para o líder do circuito Joel Parkinson que eliminou o compatriota Kai Otton e o wildcard local Guilherme Ferreira com um 16.00 x 10.36 x 6.70 respectivamente. Não só Tiago Pires e Marlon Lipke foram relegados para a segunda ronda como também o foi o enacampeão mundial (que estava no heat com o Marlon), Kelly Slater sendo que este não tinhas as suas pranchas e surfou com uma emprestada do amigo Fred Patacchia. Parecia o início de mais um evento desastroso para o "campeão dos campeões".

No round 2 com o mar um pouco mais pequeno, destacou-se Jordy Smith que bateu o americano ex-WCT Ben Bourgeois com os scores 16.07 x 9.07. Outro dos destaques foi a vitória de Tiago Pires sobre o "wonderkid" Dane Reynolds que cada vez mais parece estar a sentir falta do seu freesurf... Marlon Lipke perdeu com Damien Hobgood e Kelly Slater levou de vencido Bernardo Miranda. Era o início da destruição do "Rei". Após a concretização deste round, o swell caíu e a competição só retomou 4 dias depois.

O round 3 foi marcado pelo domínio dos surfistas com o "seed" mais alto, nomeadamente Bede Durbidge (que eliminou o tahitiano Michel Bourez), Adriano de Souza (em baixo, na foto ASP) (que se desembaraçou facilmente do sul africano Greg Emslie), Joel Parkinson (venceu um dos favoritos locais, Neco Padaratz), Taj Burrow (que se livrou do californiano Nathaniel Curran), Kelly Slater (que levou a melhor sobre o "aussie" Ben Dunn), C.J Hobgood (que com o score da ronda, um 16.17, eliminou o mebro da Euroforce Micky Picon) e Mick Fanning (que eliminou o havaiano Roy Powers).



Depois do round 3 concretizado, bastava um dia para acabar o campeonato e foi exactamente o que aconteceu.
Round 4, Quartos, Meias e Final, tudo num dia ! Saudades... Enfim, o jornalismo deve ser imparcial !! O grande destaque do round 4, que decorreum mar bastante mais pequeno que os outros dias, 2-3 pés (1m), vai para Kelly Slater, que já vinha a construir "momentum" e que atropelou o australiano Tommy Whitaker com uma onda de 9.5 e um score de 17.10 face aos 11.67 do australiano.

Nos quartos, antecipavam-se alguns embates interessantes. Aliás, todos os heats dos quartos podiam ter sido finais : Adriano de Souza vs Bede Durbidge ; Joel Parkinson vs Dustin Barca ; Kelly Slater vs Taj Burrow ; C.J Hobgood vs Mick Fanning

Foram vitoriosos Adriano de Souza, Joel Parko (que eliminou o darkhorse dos quartos Dustin Barca), Kelly Slater (que virou o heat "à la Slater" frente a Taj Burrow, tal como tinha feito na final de Trestles o ano passado ao mesmo surfista, Taj Burrow que já deve andar a desesperar com os heats frente ao "The Hell") e C.J Hobgood.

As meias finais podiam ter sido bem mais entusiasmantes, não fossem as ondas não colaborar, aparecendo poucos sets para os surfistas destruírem. Mesmo assim, no que foi uma surpresa para muitos (será que ainda deveria ser ?), Adriano de Souza eliminou Parko (nº 1 no Mundo) com um 14.97 contra um 13.86 do australiano. Na outra meia final, Kelly despachou o companheiro floridiano, numa semi-final que merecia mais ondas.

A final, o clímax de toda a semana, reunia dois dos favoritos do público (multidão ?) local : Kelly Slater e Adriano De Souza. Numa final que até contrariou as meias finais, teve bastantes ondas, foi o brasileiro quem começou melhor, postando rapidamente um 6.67 e um 5.33 para um 6.0 e um 2.33. A onda seguinte levou o público local ao delírio, com o Mineirinho a destruir uma comprida esquerda que lhe valeu um 8.00. Na troca de ondas a seguir, percebeu-se que Slater estava a aquecer : o americano fez um 6.83 contra um 5.10 do brasileiro. A pouco mais de dez minutos do fim, Slater faz das suas e vira a bateria (tal como tinha feito nos quartos frente a Taj Burrow e tal como já fez, que me lembre...e só assim de repente, pelo menos outras cinco vezes). A precisar de um 7.25 para passar à frente, apanha uma esquerda de set (esquerdas era o prato do dia) e disfere bem verticalmente, duas pauladas, seguidas de um floater mega-rápido (com direito a aterragem in-extremis e tudo) seguido de uma mistura de batidas, rasgadas e reentrys que lhe valeram um 9.27. Estava a bateria virada. Porque ainda não estava satisfeito, apanhou outra onda que lhe valeu um 8.67 e fez o melhor "heat score" de todo o evento, 17.94. O americano que por pouco não ia à etapa Brasileira, voltas às vitória e venceu o seu 41º evento do WCT e relançou a luta pelo título mundial. Após a vitória, Slater ainda teve tempo para elogiar o Adriano de Souza, que considerou o maior e melhor candidato brasileiro de sempre a um título mundial ASP e o público brasileiro.


Actualmente, o ranking do ASP World Tour está desta seguinte forma, onde é de valor destacar a subida de Kelly Slater ao 9º lugar do ranking (fonte: http://www.aspworldtour.com/) :

1 – Joel Parkinson (AUS) 3876 pts
2 – Adriano de Souza (BRA) 3206 pts
3 – C.J. Hobgood (USA) 3072 pts
4 – Taj Burrow (AUS) 3050 pts
5 – Mick Fanning (AUS) 2940 pts
6 – Bobby Martinez (USA) 2625 pts
7 – Tom Whitaker (AUS) 2532 pts
8 – Jordy Smith (ZAF) 2486 pts
9 – Kelly Slater (USA) 2430 pts
10 – Damien Hobgood (USA) 2342 pts
(...) 32 - Tiago Pires (PRT) 1455 pts
(...) 40 - Marlon Lipke 1085 pts
P.S. Todas as fotografias, ASP/Getty Images

05/07/2009

Margarida Rebelo Pinto

Eu não gosto da Margarida Rebelo Pinto. Não gosto do que ela escreve nem como ela escreve. Não gosto. Contudo, achei muito interessante e, principalmente,útil (já vão perceber porquê) uma coisa que a "cof cof cof...escritora...cof cof cof" disse numa entrevista à Maxmen (não, não li a Maxmen, foi o meu pai que me chamou a atenção). Diz então a "escritora" como resposta a uma pergunta do Alvim (ao que parece há um segmento habitual na Maxmen em que o Fernando Alvim faz perguntas a mulheres conhecidas) :

"Alvim : Olha, na verdade, nem as mulheres sabem o que as mulheres querem, não é?
M.R.P : É verdade. Quando está tudo bem, elas ligam o complicómetro e um tipo pensa : "Mas estava tudo bem..." E estava, por isso é que ela complicou. As mulheres são um bicho muito complicado. [risos]"


E não é que a Margaridinha consegue dizer coisas espertas ? Ena ena..

E o que é que isto tem a ver com surf ? Nada. Achei engraçado, desculpem lá o desvio pá..

04/07/2009

Interesses

Bom, vai na volta encontro umas pequenas entrevistas, uns artigos, umas notícias que são interessantes e para as quais disponibilizo o link aqui. Contudo, nos últimos dias, descobri várias coisas interessantes e achei que era estúpido fazer um post para cada uma delas. Portanto, aqui vão os links.


O primeiro, é sobre os salários de alguns surfistas profissionais. É um apanhado muito engraçado e até fala do Marlon. Sim, eles ganham bem : http://www.stabmag.com/features/let-it-rain/

O segundo, é uma entrevista ao actual número 3 do Mundo, C.J. Hobgood, durante a etapa do WCT no Brasil que acabou ontem. Muito engraçado, com o habitual humor a que C.J vem imprimindo nas coisas que faz : http://www.surfline.com/surf-news/interview-cj-hobgood_28003/

O terceiro, uma muito "short interview" com o actual número 4 no Mundo (e meu surfista preferido) Taj Burrow. Uma entrevista animada em que Taj fala do Açai, das míudas (rigs) e do tempo. http://www.stabmag.com/jed/taj-burrow-brazil/

O quarto e talvez mais interessante, uma entrevista do Andy Irons à Stab, feita neste mês que agora decorre (Julho para os mais distraídos..). Nem vou dizer nada, leiam e façam os vossos comentários :) ! http://www.stabmag.com/jed/andy-irons/

Quinto, o "Preformer of the month" (Junho) segundo a Transworld, Kolohe Andino. Um apanhado de imagens, vídeos e uma entrevisto ao jovem prodígio americano. http://surf.transworld.net/2009/07/01/monster-energy-performer-of-the-month-kolohe-andino/

Dêem uma olhada e passem por cá depois a dizer o que acharam destas "recomendações". E não, não recebo nenhuma comissão da Stab Magazine...apenas "curto à brava" o raio da revista !

P.S. Entretano, já está na fábrica o "resumo do Hang Loose Santa Catarina Pro 2009". Amanhã à tarde já deve estar aqui, bem como o resultado das previsões que tinha feito para o referido evento.

03/07/2009

Ah pois, ah pois..

Quem é que estava a ficar velho ? Quem é que não sabia escolher pranchas ? Quem é que já não sabia surfar ? Quem é que não ia para o 10 título ? Quem é que não ia ao Brasil ? Quem é que se ia semi-retirar ? Pois...

Kelly Slater, vencedor do Hang Loose Santa Catarina Pro 2009, 4ª etapa do WCT. Ele é o melhor do Mundo. Ele é o melhor de sempre. Ele vai-vos vencer a todos, quando quiser, onde quiser, nas condições que ele quiser. Querem ganhar ? Esperem que ele se retire !


P.S. Melhor ainda, foi ter desde dos quartos até à final, o Marlon e o Saca a fazerem o webcast. Tomá lá disto oh Evaristo !

Webcasts

Ok, tudo bem, podem queixar-se das ondas, do tempo, da estrutura. Podem queixar-se de tudo ! Menos de uma coisa : os webcasts !! Os webcasts deste Hang Loose Santa Catarina Pro 2009 têm sido brutais !! Desde o Slater ao Ithaka, do Jeremy ao Marlon passando pelo Saca, os webcasts têm sido muito fixes. Desde histórias do arco da velha a leituras de mensagens cómicas do pessoal da net, tem sido muito fixes. Oxalá trouxessem sempre os surfistas para a cabina do webcast ! E vocês, o que estão a achar ?

02/07/2009

Ian Gentil

Este míudo havaiano de agora 13 anos (no vídeo que aqui ponho tem 12) foi um dos grandes destaques dos NSSA deste ano. Vejam porquê neste vídeo. Vale a pena. Piada fácil, este Ian não é nada Gentil com as ondas !

Digam-me lá se este míudo em Portugal era ou não era campeão nacional open e pro junior à primeira ?


P.S. Aos companheiros de mar que por aqui passam, desculpem o post de baixo..

01/07/2009

Pai

Aviso desde já todas as pessoas que passam neste blog que vem aí um post autobiográfico e auto-analítico. Não têm que ler e, confesso também, que este post não se dirige a vocês, ao contrário de todos os outros que aqui ponho e escrevo. Peço-vos desculpa por isto. Tenho vindo a descobrir que a maneira menos difícil de me expressar e exprimir é através da minha escrita que graças a algum esforço da minha parte e graças, também, ao vosso feedback, tem vindo a evoluir. Pelo menos eu sinto-a a evoluir. Mas vamos passar esta questão. Provavelmente estão a pensar porque raio escreve este míudo, este puto, um texto autobiográfico num sítio público e sobre surf. Passo a explicar, eu gosto de escrever. E confesso que o assunto sobre o qual vou escrever, visto que é autobiográfico, vai passar pelo surf. Aliás, vai centrar-se no surf. No meu surf. No que o surf é para mim. Volto a dizer que não têm que ler este post, eu só estou a escrever aqui porque aqui me expresso melhor e quero este texto chegue às mãos, aliás, olhos, certos da maneira mais clara e verdadeira. E, também, porque para mim, este blog, é como um diário. Lamento mas vai ter que ser aqui que vou publicar isto.


Antes de mais nada, quero começar por te dizer que o surf é um desporto moderno, recente, com o qual tu não pudeste contactar (segundo o que me parece e é a minha opinião) diaria, explicita e intimamente até eu começar a surfar. Nunca foste muito de mar e se calhar foi com desilusão que me viste partir manhãs e manhãs a fio para a Costa da Caparica para aprender a surfar. Quando o surf foi crescendo dentro de mim, eu fui crescendo para o surf. É natural que outras coisas, como por exemplo outros desportos, fossem perdendo valor para mim. Não te sei explicar porquê mas para mim, o surf é assim: "é uma bactéria" que "nos contamina" e condiciona. Condiciona a minha vida, o meu pensamento, a minha vida mental. Condiciona a minha relação com as pessoas e com outros aspectos da minha vida, nomeadamente, a vida estudantil. Peço desculpa mas não te sei explicar isto de outro modo. Não sei se vais entender isto porque não fazes surf mas se calhar já tiveste algo na tua vida que te contaminasse assim. A esta altura (e se já não o tinhas percebido antes deste texto) já deves ter percebido que o surf para mim é viver. Faz parte da minha maneira de viver. "São os olhos pelos quais vejo o mundo". É do surf que vêm grande parte das minhas alegrias e vitórias pessoais. Sim, o surf "é isto tudo de importante". Provavelmente, não disseste o que disseste por causa do surf. Mas o que motivou a minha resposta (e ameaça....) foi o surf, aliás, a própria resposta que te dei tem contida a palavra "surf". Pelo que achei importante explicar-te isto.
Quero-te também dizer que nunca negligenciei a minha vida estudantil. Sim, é verdade que o meu primeiro ano na faculdade está a ser mediano e eu habituei-te a que nunca fosse mediano mas fosse, sim, excelente. No mínimo. Entende que antes de tu estares desiludido com este ano que agora acaba, eu estou ainda mais desiludido. Sabes (porque eu sei que sabes) que eu odeio ser mediano mas contudo sou orgulhoso o suficiente para nunca o dizer. Eu gosto de ser melhor. Gosto de ser bom e ser reconhecido. Mas agora não posso fazer nada, posso esperar pelos exames que vêm e tentar ser melhor. É o que farei. O resto, o que já passou (e francamente não foi assim tão mau, foi mediano, o que acaba por ser mau) só posso melhorar para o ano. É o que farei. Espero que percebas que cada aviso teu (e da mãe) é como um tiro certeiro numa ferida já por mim auto-infligida, metaforicamente falando obviamente. Como também sei que sabes, não consigo lidar com isto. Não sei porquê mas não sei lidar com isto. O surf é a maneira que tenho para tentar de lidar com isto. O surf, ao contrário do que se calhar pensas, não é só prazer. Também o é, óbvio. Mas pelo menos no meu caso, é quando tenho a maior parte dos meus momentos de reflexão. Logo, a maior parte dos choques com a realidade vêm também com o surf. O surf, não sei se felizmente ou infelizmente, não é um desporto. É uma forma de viver e, ao que parece, é a forma que eu escolhi para viver. Se te desilude, desculpa. Gosto de pensar que escolhi o surf e ele me escolheu a mim. Se não te desilude, óptimo, fico feliz em saber.


Espero que já estejas a ver onde quero chegar, aliás, tenho a certeza que já estás a ver. Aliar num aviso surf e estudos, não resultou para mim. "Ando" em sofrimento desde aquele jantar em que ameaçaste que me proibias o surf e eu, estupidamente, te disse "uh", uma interjeição estúpida, petulante e orgulhosa.. Podes achar que estou a falar do alto dos meus 19 anos ou estou a ser melodramático para ver se tenho a reacção que quero da tua parte. Garanto-te que não é essa a intenção. Estou bastante calmo (se calhar mais do que devia) e relaxado.


Quando te respondi o que respondi ao telefone, foi o "culminar do sofrimento", foi o falar por impulso. Falei irreflectidamente contudo, extremamente consciente do que estava à beira de perder. Desculpa mas eu não consigo lidar com o "deixar de fazer surf" (seja por proibição, seja pela minha lesão, por causa da qual, como sabes, parei de surfar oito meses).


Não sei mais o que te ei de dizer. Já te disse o que é surf para mim. Já te disse que o segundo ano e que nos meus próximos exames, vou tentar ser melhor. Resta-me dizer-te que peço desculpa pela reacção irreflectida, pela ameaça estúpida de forçar um chumbo, pela falta de respeito. Peço-te apenas que confies em mim e no meu julgamento da minha vida estudantil que tudo farei para que melhore.


Não espero nem quero (mesmo!!!!) qualquer reacção da tua ou da minha parte. Quero isto resolvido e encerrado, deixando, obviamente, todas as marcas que fez.


Diogo


P.S. Embora esteja publicado e, portanto, disponível a todos que queiram ler este texto, agradecia que quer o mail que me enviaste, quer este post/texto, ficasse entre nós dois, se me faço entender.

Vídeo

Os "manos" Hobgood, no seu blog http://www.blog.thegoodss.com/ , disponibilizaram um vídeo fenomenal do mestre dos carvings Taylor Knox. Vejam e tentem perceber como é que este "senhor", só ganhou um evento desde que está no tour (Brazil em 1996) !! É que agora já não vai ganhar nada, embora tenha um surf brutal, falta-lhe a nova escola de manobras em competição. Mas relembro, é um surfista fenomenal e um dos melhores do mundo em Lowers Trestles. Vejam o vídeo e toca a manifestarem-se !