06/01/2017

E mais um update!

Não disse que o fim do ano/início do ano ia trazer novidades? Quase dá para cheirar a tinta das canetas usadas na assinatura dos novos contratos... E ouvir as lágrimas daqueles que ficam de caneta na mão, à espera que alguma coisa passe na secretária. Novamente, a fonte de boa parte disto é a Stab. Aqui vamos:

- Há (finalmente?) saídas na Hurley. Miguel Pupo e Conner Coffin não viram os seus contratos renovados. Surpreende-me o caso deste último, contudo, se pensarmos nas atualizações de contrato e bónus do John John, até faz sentido. Diz a supra citada revista australiana que Coffin pode juntar-se à Rip Curl, o que poderão ser más notícias para Dillon Perillo. Ainda sobre o homem de Santa Barbara, suponho que faça sentido para a marca tendo em conta que Coffin é o terceiro (quarto) americano da Hurley na equipa, depois de JJF, Kolohe Andino (e Filipe Toledo, que vive na Califa). Se o Nat Young não tiver saído da equipa, imagino que seja apenas porque tem mais tempo de contrato. É que se o Coffin "merece" sair, Young até do Tour caiu... 

- Nos putos, os irmãos Kyuss e Ras King, que eram da Volcom, passaram a ser patrocinados head to toe pela Vans, que já lhes vestia os toes. O puto Beschen, Noah, passou para a RVCA.

- O Noa Deane foi mesmo para a Volcom, saindo da Rusty. Esta última, por sua vez, foi buscar o Harry Bryant (quem?).

Pouco, eu sei, mas desconfio que ainda anda aí qualquer coisa a ser cozinhada...

31/12/2016

Update rápido do mercado

Estamos em fim de época (e de ano) pelo que importa reportar algumas mudanças no mundo do surf:

- John John Florence junta-se à equipa da Dakine em material técnico (aqui).

- A Target deixa de vez o surf. Depois de vários anos com equipa e de ter inclusivamente chegado a patrocinar o Maui Pro, etapa do World Women's Tour, a retalhista norte-americana não renovou os contratos com os compatriotas Kolohe Andino e Carissa Moore. Sobre a sua equipa de skate, não apanhei nada. Acredito que seja uma notável fonte de rendimento que, agora, ficou...seca.

- A Globe comprou 50% da Salty Crew.

Acredito que mais estarão para vir, até porque isto sabe a pouco.

Já agora, bom ano para todos!

21/12/2016

Uma nota sobre a Nazaré e o Nazaré Challenge

Quem se lembra do início da explosão da Nazaré e da sua onda? Quando a comunidade internacional dizia que a onda era má, mole e o que nela se fazia era mais snowboard que surf? O #NazareChallenge, que foi a primeira prova WSL a acontecer na Praia do Norte, mostrou a esta malta uma coisa engraçada: aqueles que lá andam e a desbravaram é que, afinal, têm razão. A Nazaré não é para meninos. Nunca foi e dificilmente algum dia será. Não é chegar, ver e vencer. Não foi por acaso que dos 6 surfistas que chegaram à final, 5 eram repetentes naquela praia. Qualquer pessoa, nem falo apenas de surfistas, consegue ver a potência daquela onda. O público generalista sempre admirou a onda, a sua força, e esta sempre lhe suscitou o medo. As pessoas desde o início admiraram a coragem dos que lá ousam surfar. Estranho como a tal comunidade internacional, que nunca lá tinha estado, tão rapidamente sentenciava a onda. Era só tamanho diziam! Agora, a história é outra. No meio disto tudo, houve quem acreditasse que a Nazaré tem alguma coisa a dar à modalidade. Houve quem tivesse a coragem de querer lá surfar e fazer uma competição e de ondas grandes. O #NazareChallege garantiu que a Nazaré tem mais um capítulo no livro do surf mundial. Na final do evento, estavam 5 surfistas que já surfaram na Nazaré. O outro, o sexto, que por acaso até foi 4º, é o brasileiro Pedro Calado. Entrevistei-o por motivos profissionais e nesta ocasião, admitindo que perdeu a virgindade da Nazaré quando entrou na água para a sua primeira bateria, falou de humildade, revelou-se apaixonado pela vila e comparou a onda a Jaws, Mavericks e Puerto Escondido, considerando a Praia do Norte uma mistura das três. Estava sorridente e com vontade de mais.

Obrigado àqueles que tornaram possível que um novo capítulo começasse e que eu lá estivesse para o virar da sua primeira página.

http://www.surfingmagazine.com/news/the-story-of-damien-hobgood-a-jet-ski-and-a-nazare-teepee/#d0GKwEVFbbffFPL4.97

Michel Bourez e Tyler Wright vencem no Havai


Fotos: WSL

19/12/2016

Josh Kerr e Rusty seguem caminhos diferentes



O vídeo, em cima, serve apenas como prova. Neste caso, dado o ponto na carreira, não sei se se adivinha algum patrocínio em breve. Mas quem sabe! A filha dele, Sierra, é patrocinada pela Roxy...

15/12/2016

Estão a ver o título do post em baixo? Eu estava enganado! Esta é que é a melhor coisa que vi no surf nos últimos tempos



Estes tipo são, provavelmente, o duo mais alucinado deste planeta do surf. Esta entrevista é só rir! Aliás, se têm seguido o Occ-Cast, sabem que o Occy a conduzir entrevistas... É só rir! A esmagadora maioria dos episódios parecem números de comédia. E, depois, juntar o Mason ao Occy... Não sei quem teve a ideia mas essa pessoa merece um prémio, JÁ!

HAHAHAHAHAHAHAH! É como se estivesse mocado sem fumar nada! Eles perdem-se completamente e depois só mexem as mãos mas parecem saber do que o outro está a falar! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!

11/12/2016

A melhor coisa que eu vi no surf nos últimos tempos



Depois do Hurley Surf Club, este anúncio da Quiksilver é das melhores iniciativas de uma marca de surf que vi nos últimos...anos?

06/12/2016

Tyler Wright vence no Maui e outros momentos mágicos de 2016



Resumindo, a Tyler Wright levou metade do Tour para casa e, neste momento, é a surfista, homem ou mulher, que mais dinheiro fez em competições de surf em 2016.

Sobre o vídeo, Stephanie Gimore, nem vê-la. Que ano desastroso...

Venha 2017!